Por Crislei Custódio

Desde o início da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, muitas têm sido as notícias sobre o crescimento dos casos de feminicídio, lesão corporal e demais crimes associados à violência contra mulheres. No Brasil e no mundo, os efeitos da Covid-19 apontam para questões que ultrapassam os desafios médicos e sanitários na contenção da doença, trazendo à baila problemas estruturais e violações históricas de direitos que, diante da situação atual, aprofundam conflitos e desigualdades sociais.

Nesse contexto, o debate sobre igualdade de gênero e sobre a condição feminina, em uma perspectiva interseccional que considera fatores como classe e raça, é reposicionado no cenário político e social, tornando-se urgente.

Discutir as diferentes violências as quais as mulheres estão sujeitas, bem como as persistentes violações a que mulheres pobres, mulheres negras, mulheres indígenas, mulheres periféricas, dentre outras, são submetidas, é indispensável para o enfrentamento da crise que vivemos e para a construção da sociedade que queremos no mundo pós-pandemia.

Para nós, educadores e educadoras, essa questão é central não apenas pelo fato de que o magistério na educação básica é expressivamente feminino e porque nossos ambientes de trabalho são ocupados majoritariamente por mulheres – das equipes docentes às equipes de apoio. Essa questão nos é premente também para que compreendamos e sejamos parceiros na luta das mulheres, em sua maioria chefes de família, das comunidades em que se encontram as nossas escolas.

Abaixo, os depoimentos mencionados no vídeo: 

FABIOLA OLIVEIRA:

NATÁLIA NÉRIS:

Links mencionados nos vídeos, para serem visitados: 

Sufoco de cuidar dos filhos pequenos e trabalhar
Matéria aborda a situação de mães, em diferentes contextos, diante da pandemia de Covid-19.

Racismo ambiental
Reportagem do coletivo Nós, Mulheres da Periferia que aborda a situação de mulheres indígenas e quilombolas diante dos efeitos do racismo ambiental no contexto da crise do coronavírus.

PEC das Domésticas completa 7 anos golpeada por empregadores, economia e coronavírus
Matéria sobre a ameaça de retrocessos no Estatuto das Domésticas em tempos de crise econômica provocada pelo coronavírus.

INDICAÇÕES DE NATÁLIA NÉRIS

Dossiê Violência contra as Mulheres
Dossiê digital para divulgação de informações e debate sobre a violência contra as mulheres. 

Mapa do acolhimento
Plataforma que conecta mulheres que sofrem ou sofreram violência de gênero a uma rede de terapeutas e advogadas dispostas a ajudá-las de forma voluntária.

Aplicativo do governo federal de denúncias de violações de direitos humanos

Cuidados durante a pandemia – como denunciar uma violência doméstica
Cartilha de orientações sobre como denunciar casos de violência doméstica, sobretudo, no contexto de isolamento social provocado pela pandemia de Covid-19.

Chefe da ONU alerta para aumento da violência doméstica em meio a pandemia de coronavírus
Matéria que aborda a identificação do aumento de casos violência doméstica em diferentes países durante a pandemia.

Com isolamento social, rede de atendimento às mulheres vítimas de violência vê demanda crescer 500%
Reportagem do Alma Preta sobre o aumento dos casos de violência doméstica na cidade de São Paulo desde o início das medidas de distanciamento social.


Clique e veja a série Respeitar! nos tempos de coronavírus, com reflexões acerca de temas das formações do projeto e que dialogam com o período de isolamento social por causa do coronavírus (Covid-19). 

Deixe um Comentário