Solidariedade em tempos difíceis de pandemia

Por Celinha Nascimento

É provável que a palavra solidariedade seja uma das mais lembradas em tempos difíceis, complexos, inéditos, inesperados e singulares de pandemia que estamos vivendo.

É provável também que, apesar de lembrada, a tal solidariedade represente mais uma privação para milhares de grupos humanos em muitas partes do planeta.

Felizmente também é verdade que milhares de pessoas levantam, organizam coletivos e engendram ações e as mais variadas atividades com objetivo de acolher os mais vulneráveis em igualdade de direito e dignidade.

Solidariedade é uma palavra política e como tal a vivemos dentro da Educação em Direitos Humanos.

Autoridades em seus campos de militância e pessoas anônimas de diferentes formações e áreas de atuação vivem a solidariedade como princípio da vida coletiva. 

A toda elas, nossa saudação fraterna e esperançosa.

Veja no vídeo indicações de conteúdo sobre Solidariedade em meio à pandemia:

Conteúdos citados no vídeo (clique nos títulos para abrir os links):

Texto do Caderno Sujeito de Direito
O Caderno Sujeito de Direito faz parte da Coleção Cadernos do Respeitar!. 

Texto da Comissão Arns
A Comissão Arns conclama toda a sociedade para que continue, e
intensifique, as ações solidárias, bem como conclama o Poder Público a cumprir com suas obrigações, no sentido de suprir carências sociais
acumuladas em razão da sua incúria. 

Rua, Solidariedade e a Pandemia
Uma conversa com o Padre Júlio Lancellotti

Entrevista de Frei Betto para Rádio Brasil Atual
“Rumar em direção a uma sociedade marcada pela solidariedade”

Campanha de Solidariedade de Gustavo Santos, aluno da Rede Municipal de SP:

Luiz di Souza – Solidário por princípio
Notícia sobre a morte do professor do Rio Grande do Norte,

Greve da empresa General Eletric
Que mudou a concepção de greve para um gesto solidário


Clique e veja a série Respeitar! nos tempos de coronavírus, com reflexões acerca de temas das formações do projeto e que dialogam com o período de isolamento social por causa do coronavírus (Covid-19). 

7 comentários

  1. Rondon em 6 de abril de 2020 às 19:13

    Mais que necessário, mais que possível falar discutirmos a solidariedade, os direitos humanos, a nossa própria vida. Num mundo que tristemente pensa o lucro como eixo, ouvir a Celinha e os demais convidados é repensar nossos valores e tirarmos desses tempos difíceis lições para esperança perspectivas e sonhos Que bom!

    • Respeitar É Preciso! em 7 de abril de 2020 às 11:21

      Que bacana, Rondon!!

    • Rosangela Pereira em 14 de abril de 2020 às 19:56

      Que bacana!!! Muito importante ver pessoas tão engajadas falando sobre educação e solidariedade. Junto e musturado, como deveria ser sempre. Parabéns, Celinha, puxando essa conversa. Muita coisa boa vem por aí.

  2. Fátima Madeira em 7 de abril de 2020 às 12:52

    Solidariedade e amor são palavras que caracterizam a personalidade da Celinha.
    Que felicidade poder refletir sobre estes temas essenciais, mas sempre tão preteridos, pela Celinha e por convidados tão fraternos, tão bons exemplos de vida !

    • Respeitar É Preciso! em 7 de abril de 2020 às 13:35

      Que bom que gostou, Fátima! Acompanhe a Campanha Respeitar! nos tempos de coronavírus, serão conteúdos incríveis para esses tempos que vivemos.

  3. Eliege Antonio em 7 de abril de 2020 às 14:18

    Uau. Gratidão sempre por pensar e transmitir tanta benevolência. E também convidados audiveis e necessarios sempre e como não poderia deixar de ser em tempos que mais do que nunca é imprescindível elevar as esperanças humanas. Abraço.

  4. Rosana Almeida em 7 de abril de 2020 às 22:57

    Quero parabenizar a todos envolvidos, que em tempo de tanta dificuldade vocês conseguiram organizar um tema em envidencia num profundo momento de aprendizagem de forma leve e sútil. Só apaixonada pelo trabalho de Célia Nascimento, profissional que me apresentou o quanto é importante amar o ato de ler para si e para o próximo.

Deixe um Comentário