Luto para nós é verbo: um papo sobre violência do Estado e violação do ECA

O movimento Mães de Maio é uma rede de apoio, proteção e luta, formado pelas mães, familiares e amigos daqueles que, de alguma forma, foram vítimas da violência do Estado.

Criado logo após os “Crimes de Maio”, quando policias e grupos paramilitares promoveram a chamada “onda de resposta aos ataques do PCC”, que matou quase 500 pessoas, (sendo 400 jovens negros e pobres), o grupo, ainda hoje, luta pela apuração da verdade e pela justiça para todas as vítimas da violência do Estado contra a população pobre, negra e integrantes de diferentes movimentos sociais brasileiros.

O Respeitar é Preciso! esteve com Juliana Farias, antropóloga e roteirista do filme Luto para nós é verbo, que mostra ações da Rede Nacional de Familiares de Vítimas do Terrorismo de Estado e depoimentos de integrantes do grupo Mães de Maio.

Juliana contou sobre a história do filme, a relação das mulheres na busca pelos direitos de seus entes queridos e como ela vê o Estatuto da Criança e do Adolescente em meio à violência das periferias e morros: 


Assista ao vídeo Luto para nós é Verbo, produzido pelo Conectas

2 comentários

  1. Carmen sueli geanezini em 13 de dezembro de 2019 às 13:03

    Imprescindível este movimento das mães de maio na luta contra a violência instituída e por direitos humanos.

    • Respeitar É Preciso! em 18 de dezembro de 2019 às 11:43

      Sim, um movimento relevante e indispensável, que deve ter visibilidade e apoio por quem luta pelos direitos humanos. 😉

Deixar uma resposta Cancelar resposta