#AdiaENEM: sem aula, sem prova! – a campanha que viralizou na pandemia

Por Rogê Carnaval

Na última semana, viralizou nas redes sociais a #AdiaENEM. Trata-se de uma reivindicação absolutamente legítima e que nós, do projeto Respeitar é Preciso!, do Instituto Vladimir Herzog, entendemos por bem encampar e ajudar a difundir.

Sabemos que o Exame Nacional do Ensino Médio foi instituído no Brasil em 1998, e na última década passou por reformulações e passou a ser o principal instrumento de acesso ao Ensino Superior  no nosso país. É por meio do ENEM que milhões de estudantes ingressam nos Institutos e Universidades Federais e nas instituições privadas de ensino superior que mantêm convênio com o Governo Federal via ProUni.

Mas o ano de 2020 tem sido absolutamente atípico, em função da pandemia de COVID-19, que atingiu em cheio o Brasil e já ceifou milhares de vidas de brasileiras e brasileiros.

O isolamento social, medida necessária para salvar vidas, interrompeu as atividades escolares desde março, e não há nenhuma perspectiva de data para a retomadas das aulas presenciais nas cidades e municípios de todo o país.

E nesse sentido, é preciso levar em conta que, mesmo com os esforços das redes públicas municipais e estaduais de todos os estados para manter os alunos minimamente conectados aos processos de ensino e aprendizagem por meio do ensino à distância, nada substitui com a mesma qualidade o ensino presencial.

E, ainda mais grave: é preciso reconhecer que nem todos, no Brasil, têm acesso à internet banda larga em suas residências, tampouco dispositivos como tablets e computadores pessoais, para acessar as plataformas de ensino à distância.

Precisamos, na perspectiva dos Direitos Humanos inclusive, assegurar um mínimo de equidade entre aqueles que desejam prestar o ENEM, e é por isso que se torna absolutamente urgente o adiamento da prova de 2020.

Abaixo selecionamos alguns artigos importantes para aprofundar essa discussão. Boa leitura, e #AdiaENEM! 

Educação a Distância (EaD) não resolve os desafios do momento e pode aprofundar desigualdades

Sem internet, merenda e lugar para estudar: veja obstáculos do ensino à distância na rede pública durante a pandemia de Covid-19

Acesso à tecnologia: o novo indicador de desigualdade

EaD na educação pública ignora que 42% das casas não têm computador

Embate sobre data do Enem revela desigualdades no acesso à educação

Acesso à Internet reproduz desigualdade social e econômica no Brasil

Abaixo, o artigo que a Equipe Respeitar é Preciso! produziu e foi publicado no site Carta Capital (clique na imagem para ler): 


Clique e veja a série Respeitar! em tempos de coronavírus, com reflexões acerca de temas das formações do projeto e que dialogam com o período de isolamento social por causa do coronavírus (Covid-19). 

Deixe um Comentário