#Expresso227, do Instituto Alana, relembra crianças e adolescentes na Ditadura
3 de abril de 2019
Porteiro passa em vestibular para Enfermagem graças a ajuda de alunos
9 de abril de 2019

Sesc promove debate “Como as Terras Indígenas Protegem a Biodiversidade?”

Na próxima quarta-feira, dia 10/4, o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP promove o debate “Como as Terras Indígenas Protegem a Biodiversidade?”, para abordar a importância e o papel das terras indígenas para a conservação e o incremento da biodiversidade.

No evento o público conhecerá a política indigenista posta em vigor pela Constituição de 1988 e entenderá como funciona o processo de demarcação das terras indígenas. O fio condutor será a diversidade social e biológica do Brasil. De acordo com o censo de 2010 do IBGE, há 305 etnias indígenas e 274 línguas diferentes, de troncos linguísticos diversos.

Quanto à mega biodiversidade, estima-se que apenas 10% das milhões de espécies da flora, da fauna e de outras formas de vida sejam conhecidas atualmente. Isso confere ao Brasil, segundo estudos recentes, lugar de destaque entre o restrito grupo de países megadiversos.

A experiência realizada pela aldeia Tenondé Porã, do estado de São Paulo, e premiada em 2018 com o prêmio Juliana Santili, será partilhada como exemplo ilustrativo da centralidade da manutenção das políticas de demarcação e proteção territorial, bem como do papel dos conhecimentos e práticas associados ao modo de vida dos povos indígenas para a conservação e a produção da biodiversidade.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. [email protected] / 11 3254-5600

(Foto: Vini Low Raw)

Palestrantes

Marta Amoroso

Marta Amoroso

Antropóloga, professora do Departamento de Antropologia da USP e coordenadora científica do Centro de Estudos Ameríndios CEstA/USP. Realiza pesquisas sobre territorialidade, política e
pajelança com os Mura da Amazônia Central. Publicou os livros Terra de Índio: Imagens em Aldeamentos do Império (2015) e a coletânea Paisagens Ameríndias: lugares, circuitos e modos de vida na Amazônia (2013) , que organizou com o antropólogo Gilton Mendes dos Santos.
(Foto: Acervo Pessoal)

Priscila Poty

Priscila Poty

Liderança indígena da aldeia Tenondé Porã e ganhadora, em 2018, do prêmio Juliana Santilli de agrodiversidade pela iniciativa Tembiú Porã – Alimento Sagrado.
(Foto: Acervo Pessoal)

Karen Shiratori

Karen Shiratori

Pós-doutoranda do Departamento de Antropologia da USP e pesquisadora do Centro de Estudos Ameríndios (CEstA). Trabalha com povos falantes de línguas arawá e tupi kagwahiva no sul do estado do Amazonas. Também desenvolve pesquisas sobre políticas públicas e direitos territoriais voltados aos povos indígenas em isolamento.
(Foto: Acervo Pessoal)

Serviço:
“Como as Terras Indígenas Protegem a Biodiversidade?”

10/04/2019, quarta-feira, das 19h30 às 21h30.
As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de Março, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.
LOCAL: Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andarBela Vista – São Paulo.
Valores: R$ 4,50 – credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentesR$ 7,50 – pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovanteR$ 15,00 – inteira
Clique aqui para se inscrever.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *