Pensar o cotidiano e construir propostas em torno das relações raciais na escola

12 de novembro de 2019

Elaborado pela organização não governamental Ação Educativa, incentiva comunidade escolar a pensar coletivamente sobre as relações e práticas educativas, tendo como perspectiva a promoção da igualdade racial e enfrentamento ao racismo.

Desde que a Lei 10.639/2003 foi sancionada, educadores e educadoras tem buscado enfrentar o desafio de fazer com que a escola figure como um espaço de desconstrução de uma série de estigmas que ainda hoje recaem sobre a população negra brasileira, além de dar visibilidade à contribuição de homens e mulheres africanos e seus descendentes para a formação social brasileiro. Entretanto, muitas vezes, a perspectiva de que a escola atue no enfrentamento do racismo e promova a visibilidade da heterogeneidade cultural, das histórias e das experiências dos povos
africanos e dos negros no Brasil acabam ficando restritos às atividades que acontecem na sala de aula ou, ainda mais comumente, a atividades pontuais realizadas pela escola nos meses de maio e/ou novembro.

Para romper com essas fronteiras, a utilização dos Indicadores da Qualidade na Educação – Relações Raciais na Escola pode representar um bom ponto de partida para que todos os membros da comunidade escolar reflitam e construam estratégias variadas para lidar com estas temáticas. Elaborado pela ONG Ação Educativa – a partir de parceria com o Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Políticas de Promoção
de Igualdade Racial e Unicef –, o material apresenta uma metodologia de avaliação participativa, por meio da qual gestores, coordenadores, professores, estudantes e suas famílias podem analisar e refletir sobre diferentes aspectos do cotidiano escolar, tendo como perspectiva o enfrentamento do racismo, bem como a promoção das  relações de respeito, de equidade e de valorização da diversidade. Mais do que isso, elaborar propostas de intervenção com base em um diagnóstico construído
coletivamente.

O material sugere que a comunidade escolar realize um exercício de reflexão sobre o cotidiano escolar a partir de seis dimensões: relacionamentos e atitudes; currículo e práticas pedagógicas; materiais didáticos; acompanhamento e sucesso escolar dos estudantes; percepção e atuação dos profissionais da escola em torno da temática; e gestão democrática. Nesse roteiro, todos são incentivados a responder uma série de questões, tais como: as crianças negras têm oportunidade de conhecer e ouvir por parte dos professores e professoras falas positivas sobre sua estética, a história e a vida de pessoas negras no Brasil e no mundo? A equipe pedagógica tem conhecimento sobre quem são os alunos que estão faltando e as razões que o levaram a isso, levando em conta também o recorte cor/raça? Em sua escola, foram realizados alguma formação, encontro ou reunião que permitissem a reflexão crítica dos profissionais de
educação com relação ao seu pertencimento racial e sua identidade de gênero?

Indicadores de Qualidade na Educação – Relações Raciais e Na Escola
Ano: 2013
Autor(a): Denise Carreira/Ação Educativa
Clique aqui para baixar o material

Deixe um Comentário