Menino 23: infâncias perdidas no Brasil

20 de fevereiro de 2019

Durante os anos 1930, cinquenta meninos negros e mulatos foram levados de um orfanato no Rio de Janeiro para uma fazenda. Lá, passaram a ser identificados por números e foram submetidos ao trabalho escravo por uma família que fazia parte da elite política e econômica do país e que não escondia sua simpatia pelo ideário nazista. Aos 83 anos, dois sobreviventes dessa tragédia brasileira, Aloísio Silva (o “menino 23”) e Argemiro Santos, assim como a família de José Alves de Almeida (o “dois”), revelam suas histórias pela primeira vez.

(Brasil, 2016, dir. Belisario Franca)

Deixe um Comentário