Programa Jovem Monitor/a Cultural tem inscrições abertas até 30/6
7 de junho de 2019
Violência na escola x Escola como rede de afeto: conheça a história de Henrique Vieira
12 de junho de 2019

2o. Grande Encontro das CMCs marca lançamento de Cadernos de Mediação de Conflitos

No último dia 3 de junho o auditório do Ibirapuera foi palco do 2o. Grande Encontro das Comissões de Mediação de Conflitos das Unidades Educacionais da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, evento que aconteceu em parceria com o Projeto Respeitar é Preciso, do Instituto Vladimir Herzog.

Além de dar continuidade às reflexões e discussões sobre a Educação em Direitos Humanos e o papel da Comissão de Mediação de Conflitos iniciadas no 1o. Grande Encontro, em 2018, e servir como um espaço de diálogo entre os membros da CMCs das escolas e das Delegacias Regionais de Educação da rede municipal, o evento também marcou o lançamento do Caderno de Mediação de Conflitos, que vai integrar a coleção de materiais do projeto Respeitar é Preciso!, de educação em direitos humanos.

O início da manhã começou com uma apresentação do Coral da Gente, do Instituto Baccarelli.
Foto: Daniel Cunha / Divulgação SME

A abertura do evento contou com a fala das autoridades presentes: o diretor executivo do Instituto Instituto Vladimir Herzog, Rogério Sottili; a coordenadora da COCEU Raphaella Burti; a diretora da Divisão de Gestão Democrática e Programas Intersecretariais Ana Carolina Weiss Barrilari; e o Procurador do Município de São Paulo Maurício Morais Tonin.

A profa. Dra. Flávia Schilling realizou uma palestra sobre o conceito de horizonte, pensando nos conflitos que acontecem nas escolas para que, a partir do olhar sobre eles, seja possível chegar numa escola justa onde há respeito à igualdade de direitos e recusa da desigualdade de tratamentos. “Se todas e todos são iguais perante as leis, regras e combinados, sejam estes formalizados ou sociais, cotidianos, o justo é que não existam dois pesos e duas medidas”, diz.

A prof. Dra. Flávia Schilling (esq.), ao lado de Ana Rosa Abreu (centro) e
Ana Lúcia Catão, durante o 2o. Grande Encontro

A diretora de Educação do Instituto Vladimir Herzog, Ana Rosa Abreu, apresentou para os presentes a nova organização do Respeitar é Preciso! para os anos de 2019-2020, falando sobre os cursos Respeitar é Preciso!, que acontece em todas as DREs da capital paulista, e o Educação em Direitos Humanos: desafios contemporâneos, além de outros eventos como o próprio Grande Encontro e os Seminários Regionais. Além disso, apresentou também a equipe de formadores 2019, que conta com os profissionais Ana Lúcia Catão, Celinha Nascimento, Crislei Custódio, Gunga Castro e Rogê Carnaval.

Ana Rosa Abreu apresenta os Formadores 2019 do projeto Respeitar é Preciso!

Já a professora e formadora do Respeitar Ana Lúcia Catão falou sobre o novo caderno do projeto, Mediação de Conflitos, de sua autoria, produzido a pedido das Unidades de Ensino e das DREs por um material específico sobre Mediação de Conflitos na perspectiva da EDH.

Ana Lúcia Catão apresenta o Caderno Mediação de Conflitos

Na sequência, a coordenadora pedagógica Debora Cristina Bevilacqua Ollandin Neves, da CEI Parque Santa Rita (DRE São Miguel) e a diretora Juliana Eliete Pereira Thomaz, em companhia da professora Camilla Ferreira de Lima, ambas da EMEF Castro Alves (DRE Freguesia do Ó) apresentaram relatos de experiências que estão transformando as unidades e fortalecendo laços de respeito mútuo e diálogo, a partir da apropriação dos materiais e dos encontros do Respeitar é Preciso!. Os relatos receberam comentários das profas. Daniele Kowalewski e Maria Paula Zurawski e serviram de inspiração para os representantes das escolas presentes. 

Da esq. para a dir.: Debora Cristina Bevilacqua Ollandin Neves, da CEI Parque Santa Rita, Camilla Ferreira de Lima e Juliana Eliete Pereira Thomaz, ambas da EMEF Castro Alves (DRE Freguesia do Ó), e as professoras Daniele Kowalewski e Maria Paula Zurawski.

A profa. Maria Victoria Benevides, uma das referências em Educação em Diretos Humanos e uma grande parceira do Respeitar, também subiu ao palco e fez uma fala sobre o horizonte que devemos perseguir de uma escola justa e de uma educação emancipatória, com respeito aos direitos humanos de todos e não de uma minoria privilegiada.

Ao final do evento, dois alunos da EMEF Castro Alves fecharam a manhã com depoimentos repletos de sensibilidade, emocionando os presentes: Gustavo Freitas da Silva e Samuel Wallan Barbosa

Samuel Wallan Barbosa (esquerda) e Gustavo Freitas da Silva durante 2o. Grande Encontro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *