2° Encontro na DRE Guaianases 2018 (tarde)

1 de dezembro de 2018

2° Encontro

Data: 15/05/2018 (tarde)
Formadora: Gunga Castro
Pauta:
– Retomada rápida dos encontros anteriores
– Conversa sobre o capítulo de mapeamento e sobre os conceitos de Educação em Direitos Humanos e Respeito – respeito mútuo
– Atividade em grupos: mapeamento do respeito – Situações concretas, o que está bom, precisa mudar. Apresentação da proposta e discussão em pequenos grupos
– Início da socialização das discussões feitas em grupo
– Exposição das discussões dos grupos
– Vídeo “O Migrante mora em minha casa”, como exemplo de situação de mapeamento e plano de ação no âmbito “Patrimônio de Conhecimentos”
– Análise de mapeamentos apresentados, conversa sobre a possibilidade de realizar alguma atividade relacionada ao mapeamento nas escolas, apresentação do portal, elaboração da vivência, avaliação do encontro.

A formadora iniciou apresentando rapidamente o Projeto Respeitar é Preciso! e o Instituto Vladimir Herzog, aproveitando para falar também do posicionamento do Instituto, anunciado há poucos dias, em relação à abertura dos documentos sobre os anos da ditadura militar, nos Estados Unidos. A formadora articulou esta apresentação com a ideia do respeito e o conceito de Educação em Direitos Humanos. Foram muitas as perguntas feitas a este respeito, o que estimulou a conversa sobre EDH e respeito mútuo, deixando todos à vontade para falar.

Neste sentido, foi perguntado quais as situações mais difíceis enfrentadas pelas escolas. O grupo passou a relatar situações e trocar comentários em uma conversa fluída para, por fim, se propor a uma reflexão.

Os relatos abordaram questões muito diferentes. O primeiro deles foi o de uma professora que se considerava uma professora “muito democrática”, mas depois que ofereceu um caderno aos alunos (adolescentes) para que anotassem suas impressões de cada aula, descobriu que não era bem assim. Foi muito interessante ouvi-la dizendo que, num primeiro momento, sentiu-se desrespeitada com as colocações dos alunos, mas acabou por compreender que era diferente, e que esta era a decorrência natural de uma abertura ao diálogo.
Um professor apresentou seu percurso como o de “alguém briguento” e relatou que fazia questão de contribuir com a formação de grêmios e instâncias democráticas nas escolas por onde passava. Num primeiro momento, afirmou que estas espaços diminuíram os conflitos, mas corrigiu sua fala para “diminuíram as situações de violência, o conflito continua lá”.
Contamos com um belo depoimento de uma professora sobre sua aluna com deficiência e o desrespeito dirigido a ela, no momento em que a escola resolveu que mudará a aluna de turma “a partir de amanhã”, sem avisar a ela e sua família.
Por fim, tínhamos 3 alunos que, acompanhados de uma professora, relataram uma questão: Havia uma regra na escola, segundo eles, construída pelos alunos, que proibia o uso do boné. Certo dia, um colega entrou em classe com um boné, dizendo ao professor que seu cabelo estava muito feio e ele não tinha condições de cortá-lo e o professor concordou em deixá-lo de boné, o que trouxe ao grupo um sentimento de injustiça. Perguntei ao aluno se ele via alguma relação entre este caso e o caso da aluna com deficiência sobre a qual a professora tinha falado há pouco (que despertava ciúmes dos colegas por ter um carrinho para circular pela escola). Ele disse que sim, e isso disparou uma discussão muito interessante sobre a diferença entre privilégio, regalia e direito.

Ao final desta atividade, a formadora apresentou um vídeo sobre o trabalho da professora Rosely Marchetti Honório, por conta da clareza com que se observa em seu projeto um trabalho de mapeamento e plano de ação:

Depois de conversar sobre o vídeo a formadora lembrou sobre os 5 âmbitos de mapeamento, falando sobre o exercício da deriva e assim dando início à análise que, por conta do tempo, foi feita de forma coletiva. O grupo conversou também sobre as possibilidades e as condições que o encontro pode ter oferecido para realizar uma tentativa de de trabalho nas escolas. A grande maioria das pessoas se dispôs a tentar se aproximar de um mapeamento.

*Confira a apresentação de slides da formadora.

*Leia aqui as avaliações do encontro feitas pelos presentes.

Deixe um Comentário