1° Encontro na DRE Butantã 2018

1° Encontro

Data: 04/05/2018
Formadora: Gunga Castro
Local: CEU Butantã
Horário: 08h às 12h30
Pauta:
– Abertura (Diretor Regional da DRE-Butantã e Gestor do CEU Butantã)
– Prática e Teatro – Alunos e Alunas da EMEF José Dias da Silveira
– Retrospectiva das atividades realizadas pelo Comitê de Mediação de Conflitos no ano de 2017 e apresentação do cronograma para o ano letivo de 2018 (Interlocutores: Profº Roger Aparecido da Silva e Supervisora Profª Maristela Lúcia Tosetti Vieira)
– Formação da mesa e apresentação dos relatos sobre projetos desenvolvidos por Unidades Escolares, na área de Mediação de Conflitos: Cada escola terá 15 minutos para realizar seu relato, sendo elas: EMEF José Dias da Silveira; EMEF Daisy Amadio Fujiwara e EMEF José de Alcântara M. Filho.
– Prática e Teatro – Alunas e Alunos da EMEF José Dias da Silveira (Vídeo)
– Síntese reflexiva, realizada por mediadora do Instituto Vladimir Herzog
– Abertura à discussão com os presentes

Após a apresentação da equipe da DRE, os presentes assistiram à apresentação da peça de teatro “Eles não usam Black tie, Paraisópolis é aqui”, dos alunos da EMEF José Dias da Silveira. Foi um momento muito importante do encontro, uma vez que muitos dos comentários e discussões que aconteceram ao longo da manhã referiram-se a ela. Segundo a formadora:

De fato, tratou-se de um trabalho maravilhoso [a encenação]. Como sabemos, a peça original trata de diversas questões, tais como miséria, injustiça, greve, prisão e etc, tomando uma família de periferia como referência. A releitura, adaptada para os dias de hoje e à realidade que os adolescentes vivem, é de fato muito sensível. Os adolescentes ficaram na plateia quase até o final do encontro, e mostraram como construíram o espetáculo (que faz parte do currículo de Arte e Língua Portuguesa).

Os relatos apresentados pelas EMEF José de Alcântara e Daisy Amadio Fujiwara também abordaram questões que diziam respeito à arquitetura da escola, à posição e a forma como são tratadas as “terceirizadas” da limpeza, entre outros assuntos.

Após a fala da supervisora escolar, a formadora foi convidada a fazer uma “síntese reflexiva” dos tópicos abordados no dia. Ela abordou uma fala dos alunos que apresentaram o teatro: “a gente briga muito”, sobre o papel que os conflitos-brigas cumpriam neste processo de construção do grupo e do espetáculo, aproveitando para falar de conflito, do papel das comissões e do respeito – que foi abordado em todas as falas, com definições bastante diferentes, como por exemplo: “respeito é o sentimento que nos impede de dizer algo que não agrade alguém”.

O público era de cerca de 50 pessoas, sendo algumas mães e pais que também deram depoimentos importantes. Uma das mães, por exemplo, contou que sua filha de 4 anos, aluna da EMEI Monte Castelo, comentou que “as crianças que têm duas mães como eu também podem participar da festa”.

Leia as avaliações do encontro aqui.

Deixe um Comentário