Tarefa 6 – Curso REP! – Wigna Begna Sousa de Faria

Data

19 de julho de 2020

Cursista

Wigna Begna Sousa de Faria

Função

DIRETOR DE ESCOLA

DRE / Unidade Educacional

São Mateus

Escola

CEU EMEI ROSA DA CHINA

Tema: Ouvir é mais que escutar.

Justificativa: Dentro do ambiente escolar se ouve muito pouco todos os seguimentos. Isto é, as falas, embora escutadas, não são levadas em consideração.

Organizações da UE envolvidas: membros do conselho de escola e APM. Não obstante, todos os que participam da comunidade escolar serão envolvidos no projeto.

Finalidade: Os membros de todos os seguimentos da UE possuem opiniões que devem ser ouvidas. Com a pandemia da Covid-19, participantes da comunidade escolar portarão a necessidade de falar sobre os acontecimentos recentes, devido a isto, a escola deve estar preparada para ouvir os diferentes requerimentos de cada um destes.

Objetivo: O objetivo do projeto é que os indivíduos supracitados se sintam confortáveis em dividir suas convicções e, até mesmo, aflições com outros membros.

Avaliação: Se dará continuamente: antes, durante e após o projeto.

Duração: 1 ano ou que isso se torno parte do espaço escolar.

Desenvolvimento: O projeto será desenvolvido em uma creche e, portanto, é importante manter o contato com o pais dos bebes. Além disto, o dividiremos em etapas.

Na primeira etapa dar-se-á o acolhimento dos membros da UE por meio da escuta de cada seguimento e ao longo do ano segundo as falas o incomodo, as objeções, o luto, as inquietações  ofertaremos oficinas, palestras, filmes, músicas e seminários, roda de conversa que nos faça refletir, analisar, pensar sobre eu o outro e a sociedade em geral. Cada etapa tem por objetivo que cada membro seja ouvido antes de haver a necessidade que ele ouça outros. Bimestralmente avaliaremos as intervenções necessárias para o grupo seja ele de professores, pais, alunos, cozinha, limpeza, ATEs, agentes de apoio, gestão, para um intervenção mais apropriada, mesmo porque o aflige no começo talvez não será mais, por isso a necessidade de avaliar e reavaliar no processo o tempo todo.

A próxima etapa, será recepcionar os pais e, depois, alunos do mesmo modo com o qual foram os membros da UE. Será necessário que estejamos preparados para ouvir os pais e tranquiliza-los quanto aos efeitos adversos da pandemia. Por meio de diálogo, iremos conscientiza-los quanto a transformação que todos enfrentaremos no âmbito educacional. Este será um processo continuo ao longo do ano e, se necessário, estendido. Ademais, construiremos um espaço diferente da sala de aula, no jardim da escola, com bancos onde o professor ou qualquer pessoa que esteja na escola possa ter seus minutinhos com ele mesmo, com seus pensamentos, naquele local também podemos conversar com os pais, visto que temos local privilegiados com várias plantas frutíferas e pássaros, locais que nos põe em contato com a natureza onde promoveremos a reflexão dos pais e professores.

Serão convidados psicólogos, terapeutas e agentes de saúde. Estes auxiliarão o processo de retomada, por meio deles, mostraremos aos pais e equipe pedagógica que estamos redescobrindo a escola à qual estamos habituados. Não há receita pronta para o que adentraremos, cada unidade terá uma especificidade, construiremos o caminho no qual iremos a avançar, juntos.

Saber ouvir cada seguimento está de acordo com o artigo 26, clausura 2 da declaração universal de direitos humanas. Por meio disto, evitaremos intolerâncias e preconceitos perpetuados na sociedade. A tolerância começa no ouvir e entender os motivos do outro, o que ele esta passando, para conseguir ajudar, não julgado a partir das nossas percepções e vivencias mas sendo humano como o outro é.

Aluna: Wigna Begna de Sousa de Faria