Tarefa 6 – Curso REP! – Valdete E Rinaldi

Data

3 de agosto de 2020

Cursista

Valdete E Rinaldi

Função

Professor Titular Ensino Fundamental II e Médio

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

EMEF Octávio Pereira Lopes

CURSO RESPEITAR É PRECISO – TAREFA

 

Cursista : Valdete Estevinho Rinaldi

 

INTRODUÇÃO

Primeiramente quero agradecer a toda equipe do “Respeitar é Preciso” pela oportunidade de aprender tanto com vocês através deste curso. Vídeos e lives excelentes, falas simples, de fácil compreensão, pertinentes, totalmente contextualizadas. Equipe em perfeita sintonia. Estão realmente de parabéns.

Estive pensando e refleti muito antes de escrever aqui os motivos que me levaram a fazer esse curso, uma vez que são tantos. Porém concluí que a principal razão que me levou a fazer esse curso é porque acredito no ser humano, compactuo com a fala do pensador Lucas Morgado quando diz: “ Acreditar no ser humano é mostrar que um dia faremos um mundo melhor”

Penso que este deveria ser um curso para a sociedade em geral, por todos os pontos nele trabalhados. Lembrando que como diz Greg News “ Direitos Humanos são o denominador comum da sociedade.

1 -JUSTIFICATIVA

Quando cheguei ao término do curso, um leque de ideias e possibilidades se abriu para mim enquanto proposta de trabalho na escola em que atuo  sendo professora.

Faço parte da Comissão de Mediação de Conflitos, e como tal quero e sei que podemos fazer mais, atuando na prevenção e mediação de conflitos que muitas vezes interferem de forma negativa no desempenho escolar do educando.

2- Organizações da Unidade Escolar que poderão ser  envolvidas.

Para um resultado positivo em nossa atuação, penso que todas as organizações da escola deverão estar envolvidas : APM, CMC, Grêmio, Conselho de Escola.

É imprescindível a participação da Gestão Escolar, Coordenação, Corpo Docente , Discente e funcionários.  Afinal devemos ter como meta principal o desenvolvimento e o sucesso do aluno de forma participativa e democrática, estabelecendo respeito integral aos Direitos Humanos.

3- FINALIDADE

Pensando no retorno às aulas, sem risco para ninguém, e quando tudo voltar ao normal, minha proposta principal é  envolver toda a comunidade escolar em um trabalho de reflexão com todos os envolvidos, já citados acima, com a finalidade de sanar as divergências hoje existentes entre professores, alunos, pais e funcionários da Unidade Escolar. Promover ou tentar promover um diálogo entre as partes, através do respeito mútuo, para que se acabe com diversos e desnecessários tipos de violência que  hoje acabam interferindo de forma negativa no  desempenho educacional do aluno e seu  sentimento de pertencimento à Unidade Escolar. Transformação do cidadão visando a busca de um mundo melhor .

Registro aqui que ao citar funcionários, estamos excluindo os conflitos que tratam exclusivamente os profissionais da educação, aos quais deverá ser aplicada a legislação pertinente à matéria, como trata o parágrafo segundo do artigo segundo do Decreto 55.560/2015, que regulamenta a Comissão de Mediação de Conflitos – CMC nas UEs.

4Objetivos/ Resultados Esperados

Ao escrever esse item, parei para pensar e refletir sobre a diferença entre : Propósito- Objetivo e Finalidade, que é comum algumas pessoas (e até me incluo), acharem que são sinônimos, e então me questionei :

  1. Qual meu Propósito com a Proposta que gostaria de desenvolver quando voltassem as aulas ? E me respondo :Para o desenvolvimento deste trabalho, meu propósito, é o que me impulsiona e me move a viver cada dia como docente, buscando o melhor para meus alunos.  Conscientizá-los   sobre seus Direitos, o desenvolvimento do ser humano, ampliando  e potencializando a capacidade intelectual do meu aluno, o desenvolvimento da autonomia e do senso crítico, aprimorando habilidades e competências, valores e comportamentos.  .

 

  1. Com que Objetivo ? E me respondo : Penso no meu objetivo como etapas a  serem conquistadas para se chegar à finalidade. Creio que  através de ações (reuniões, conversas, oitivas) que priorizem a escuta e o diálogo, podemos conseguir, além de desenvolver o exercício da escuta do outro, compreendê-lo melhor, ajudar na resolução de conflitos e também acabar com a violência tão prejudicial na escola.

 

  1. E por fim Finalidade: Qual a minha finalidade com esta proposta? Transformação do cidadão visando a busca de um mundo melhor. Transformação do ser humano, mudança cultural, acabando com valores e costumes arraigados durante anos e historicamente contemplados por grupos que fortaleciam os mecanismos de dominação.

 

5 – Duração

 

Esse é um trabalho que não prevê fim, é contínuo, resiliente e perseverante, pois o ser humano se desenvolve e aprende a cada dia. Cada ano é um recomeço. Quando se fala em trabalhar com o ser humano não podemos falar em finitude. O ser humano nunca é um ser completo, terminado, precisa estar em constante transformação. Muito mais nesse ano tão atípico. A Educação é um processo de formação humana que nunca termina.

 

6 – Quais serão as ações

Primeiro passo seria uma orientação aos discentes sobre direitos e direitos humanos tendo como base a palestra da Juíza Federal Raquel Domingues do Amaral e o texto de Maria Victoria Benevides, entre outros.

A partir daí abrir espaços de diálogo na escola para que docentes pudessem conhecer melhor seus alunos. Uma tutoria seria o ideal nesse momento.

Promover as Assembleias de Classe e utilizá-las como ferramenta para conhecer melhor o  aluno e o que ele espera da escola.

Construir o exercício democrático na escola, através de palestras, conversas, diálogos que priorizem a escuta.

Orientar a comunidade escolar por meio da mediação independente e imparcial, sugerindo medidas para a resolução dos conflitos.

Todos alunos têm o face book da escola. Poderia ser feita uma chamada de live pelo face book da escola , e nela todos (pais, alunos, funcionários, professores) teriam direito a voz e principalmente refletiriam sobre as perguntas :

  • O que você entende por Direitos Humanos?
  • Para você, até onde vai o limite dos seus direitos?
  • O que é a escola para você?
  • Como é a escola para você?
  • Como você gostaria que fosse a sua escola?
  • De que maneira você pode contribuir para transformar a escola que temos hoje, naquela que você gostaria de ter ?

7 – Avaliação

A avaliação se daria de forma contínua no decorrer do processo, prevendo alterações que se fizessem necessárias. O dia a dia da escola já seria um feedback para entender a evolução desse processo como positiva ou negativa.

Reuniões com os pais, APM, Grêmio , Conselho de Escola, CMC nas quais prevalecessem o diálogo e troca de ideias para manutenção e ou alterações da proposta de melhoria do ambiente escolar.

Registro e reflexão sobre as respostas dos alunos e pais referentes às perguntas feitas, como um balizador para: a  escola que temos e a escola que queremos. Através disto ir em busca da escola ideal .

Registro, divulgação desse trabalho à comunidade escolar, com  proposta de solução para os entraves encontrados.

 

Assim termino minha tarefa, esperando ter contemplado o solicitado e   agradecendo a toda equipe  pelo vasto conhecimento que  demonstrou ter sobre o assunto em tela. Solicitando ainda que possamos ter mais cursos de igual teor.

Grata

São Paulo, 03/08/2020.