Tarefa 6 – Curso REP! – Tereza Cristina Andrade

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Tereza Cristina Andrade

Função

COORDENADOR

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

CEU EMEF MARA CRISTINA TARTAGLIA SENA

TEMA: A INTEPRETAÇÃO DO TEXTO IMAGÉTICO (Como desenvolver no   estudante suas competências comunicativas – mais especificamente, a escrita – a partir do texto não verbal).

Desenho: Festival Anima Mundi – Pai e Filha (Father and Daughter)

A sequência didática foi embasada na Aula 4: Pensando na Diversidade.

 

JUSTIFICATIVA: As diferentes linguagens artísticas têm assumido um caráter cada vez mais influenciador no mundo globalizado. Desta forma, a apropriação das artes visuais no processo ensino-aprendizagem visando à leitura e à escrita tornou-se fundamental na sala de aula. “[…] se tomarmos o texto no sentido amplo de conjunto coerente de signos, então também as ciências da arte (a musicologia, a teoria e a história das artes plásticas) se relacionam com os textos (produtos da arte).” (BAKHTIN,1998, p.329).

 

PÚBLICO-ALVO: Estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental II

 

FINALIDADE: Estimular no estudante a compreensão e interpretação do texto imagético (não verbal). Demonstrar que a linguagem visual é capaz de suscitar sua leitura a partir de diferentes efeitos de sentidos e repertórios socioculturais.

 

OBJETIVOS/ RESULTADOS ESPERADOS: Produção de uma narrativa escrita, às expensas de acontecimentos não verbais encadeados, tendo como suporte um curta metragem de animação. Oferecer ao estudante a perspectiva de que “o texto tanto pode ser oral ou escrito e mais além, podemos estender a noção de texto às linguagens não verbais, vendo em suas relações aspectos instigantes do funcionamento do dizer.” (ORLANDI, 2008, p.10). Acrescenta-se como resultado esperado o desenvolvimento da criatividade e da autoria nas produções textuais.

 

DURAÇÃO: Três (3) horas/aula (45 minutos cada). Total de horas: 2h15min.

 

ATIVIDADES: 1ª Etapa – Apresentação geral da sequência didática. Participar aos alunos o desenvolvimento das 3 etapas (aulas). Nesta primeira, explanar os gêneros a serem trabalhados (conceituação e exemplificações): texto imagético (não verbal), filmete de animação de curta metragem e narrativa escrita.

2ª Etapa – Disponibilização do curta de animação holandês “Father and Daughter”, de Michaël Dudok de Wit. Reapresentá-lo, se for o caso.

Conscientizar os estudantes de que a obra de arte não visa ao único e exclusivo objetivo de entretenimento. A concepção de trabalho é programada a partir de cada cor, cada elemento, cada detalhe; ou seja, as escolhas não são aleatórias e sim, muito bem pensadas. Proposta aos estudantes: A partir do conteúdo estudado e de suas anotações da primeira etapa desta sequência, produza uma narrativa escrita, de aproximadamente 15 linhas, embasado(a) nas imagens dos acontecimentos verificados na animação.

                         3ª Etapa – Os estudantes, voluntariamente, lerão suas narrativas e no coletivo, farão sua autoavaliação a partir do seguinte questionamento: Até que ponto o texto imagético é importante? A carga emocional que o texto verbal provoca é semelhante à que provoca um texto não verbal? “O texto imagético realmente facilitou a organização das ideias na produção de minha narrativa?”

Justifique sua opinião, oralmente. Os estudantes que preferirem, poderão fazer suas autoavaliações por escrito.

 

AVALIAÇÃO: O professor deverá analisar as produções a partir de seus objetivos e finalidade, ou seja, deverá se perguntar: – “Meu estudante realmente conseguiu assimilar a importância do texto imagético para o processo ensino-aprendizagem da leitura e escrita? Em que medida a sequência didática efetivamente contribuiu para sua criatividade e autoria?” Caso o professor considere que tenha tido insucesso, deverá elaborar novas abordagens repensando suas falhas e com vistas a um trabalho pormenorizado e mais aprofundado.