Tarefa 6 – Curso REP! – SILVANA RUIZ BARBEIRO

Data

2 de julho de 2020

Cursista

SILVANA RUIZ BARBEIRO

Função

Pei

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

Cei Vicentina Velasco

 

 

 

 

 

 

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

INTITUTO WLADIMIR HERZOG

 

 

 

CURSO:

RESPEITAR É PRECISO A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E A ATUAÇÃO DAS COMISSÕES DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS.

 

PERÍODO: DE 02 DE JUNHO A 31 DE JULHO DE 2020

 

ATIVIDADE:

PROPOSTA DE AÇÃO ENVOLVENDO A EQUIPE ESCOLAR NO PROJETO RESPEITAR É PRECISO

 

 

 

CURSISTA:

SILVANA RUIZ BARBERIO

RF 844685-7

CEI VICENTINA VELASCO

DRE IPIRANGA

 

 

 

 

 

 

 

INTRODUÇÃO:

 

Após minha participação no curso RESPEITAR É PRECISO A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E A ATUAÇÃO DAS COMISSÕES DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS, pensei em elaborar um projeto inicial de primeiros passos para a implementação da Comissão de Direitos Humanos em uma unidade escolar.

 

 

COMO INICIAR UMA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS NO ESPAÇO ESCOLAR:

 

  • Apresentar-se a Gestão Escolar como interessado em colaborar para a criação da Comissão de Direitos Humanos na Escola e solicitar a participação de todos.
  • Identificar pessoas que estejam dispostas a participar de grupos de discussão do assunto e convidá-las.
  • Definir datas, horários e espaço onde as reuniões do grupo possam acontecer.
  • Solicitar que a Gestão escolar encaminhe os convites para as reuniões.

 

O QUE CONVERSAR NA PRIMEIRA REUNIÃO

  • Apresentação da proposta da Comissão em parceria com a Gestão Escolar.
  • Apresentação de todos os envolvidos.
  • Apresentar as propostas da Secretaria Municipal de Educação, do Instituto Wladimir Herzog.
  • Ouvir o que os participantes esperam desta comissão e elencar todas as opiniões.
  • Promover a leitura da literatura disponível sobre o assunto, promover debates, assistir filmes, ouvir músicas etc.

 

 

 

 

 

 

 

Roteiro:

 

Utilizar o material apresentado no curso RESPEITAR É PRECISO A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E A ATUAÇÃO DAS COMISSÕES DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS do Instituto Wladimir Herzog.

Apresentação as seguintes concepções nas reuniões iniciais

 

 

  1. Principios Básicos da Educação em Direitos Humanos

 

“Promover reflexões sobre a concepção de DHs e de Educação em DHs, buscando discutir conceitos, princípios e valores e problematizar estereótipos e clichês relacionados ao tema.” (extraído do curso Respeitar é Preciso)

 

  1. Respeito Mútuo

 

“Discutir os conceitos de respeito e respeito mútuo, atribuindo a eles o papel de ideias-chave e permanentes em todas as ações do Projeto Respeitar é Preciso! Refletir acerca da soberania do respeito mútuo como vetor de todas as ações e relações dentro da escola.” (extraído do curso Respeitar é Preciso)

 

  1. Mapeamento da Escola

Trazer as seguintes discussões para o grupo:

 

O que vai bem nesta escola?

O que precisa mudar?

  • Esclarecer o que significa mapear

”Mapear está relacionado ao conceito de Lugar. É preciso conhecer o lugar para ser possível tomar as melhores decisões em relação a ele.

O mapeamento faz parte do nosso cotidiano, mesmo que muitas vezes nem nos damos conta de como mapear é preciso, para as mais diferentes finalidades.” (extraído do curso Respeitar é Preciso)

 

 

O mapeamento deverá identificar problemas e potencialidades da escola abarcar os seguintes aspectos:

 

  1. RELAÇÕES

As relações que se estabelecem entre todos os integrantes da escola (alunos, profissionais de apoio, professores, diretores, coordenadores, adultos responsáveis, familiares etc.)

 

  1. TEMPOS E ESPAÇOS

A organização do espaço e do tempo escolar.

 

  1. REGRAS DE CONVIVÊNCIA

As regras de convivência e funcionamento

 

  1. COMUNICAÇÃO

As formas de comunicação que existem na escola

 

  1. PATRIMÔNIO DE CONHECIMENTO

Análise coletiva dos valores e concepções que os alunos aprendem com aquilo que planejamos intencionalmente.

 

COMO ATUAIR NA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS

Após o mapeamento dos problemas e potencialidades da escola, começa a atuação da Comissão de Direitos Humanos.

Primeiramente os participantes da comissão devem entender que CONFLITOS não são necessariamente ruins, mas que precisam ser ouvidos, explicados, entendidos. Para tanto o respeito deve ser a principal atitude dos participantes desta comissão. Os seres humanos são distintos, tem valores e princípios que precisam ser respeitados, mas como fazer isto?

 

  1. Abrindo espaços de escuta para todos os envolvidos.
  2. Solicitar a participação de outros integrantes da comissão.
  3. Ouvir cuidadosamente sem julgamentos
  4. Propor que os envolvidos apontem qual os caminhos deverão ser seguidos para chegar a uma conclusão que seja favorável a todos.

 

“Mediar conflitos é abrir espaço de diálogo em situações de conflito. A maneira como abrimos esse espaço de diálogo pode ajudar ou dificultar uma abordagem construtiva do conflito.”

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

 

Entendo que todo educador é um mediador de conflito por natureza, pois o cotidiano escolar é repleto de conflitos dos mais variadas, mas a mediação de conflitos vai muito mais além, pois nela construímos espaços de escuta e respeito.

O respeito é um valor que precisa ser exercitado através do ouvir. Precisamos construir espaços onde todos possam ser ouvidos sem julgamento de valor. O respeito ao outro que precisa ser ensinado. Aprende-se a respeitar, sendo respeitado, sendo ouvido, percebendo que alguém entende o que eu sou, o que eu penso, mesmo que não concordando com isto.

A comissão de direitos humanos no ambiente escolar deve ser uma ferramenta do diálogo, seus integrantes devem ser bons exemplos do verdadeiro significado do respeito.