Tarefa 6 – Curso REP! – Rosangela Aparecido de Araujo Gonçalves

Data

14 de julho de 2020

Cursista

Rosangela Aparecido de Araujo Gonçalves

Função

Profrsdora

DRE / Unidade Educacional

Guaianases

Escola

Emei Magdalena Tagliaferro

Acolhimento e adaptação pós pandemia

Duração; durante o restante do ano letivo de 2020 se prorrogando   para o ano seguinte

Justificativa: “Falamos em adaptação sempre que enfrentamos uma situação nova, ou

readaptação, quando entramos novamente em contato com algo já

conhecido, mas por algum tempo distante do nosso convívio diário. O

processo de adaptação inicia com o nascimento, nos acompanha no

decorrer de toda a vida e ressurge a cada nova situação que vivenciamos.

Sair de um espaço conhecido e seguro, dar um passo à frente e arriscar-se,

tendo como companhia o desconhecido para o qual precisamos olhar,

perceber, sentir, avaliar, nos leva às mais diferentes reações: permanecer

no espaço seguro e protegido, seguir adiante ou desistir e voltar atrás”

(DIESEL, 2003)

OBJETIVO:

  • Desenvolver ações de acolhimento seguro, mas prazeroso.
  • Reflexões com todos da instituição e comunidade.
  • Dialogar sobre as novas maneiras de relacionamento favorecendo o distanciamento.

DESENVOLVIMENTO:

Pensando e refletindo sobre novos olhares pós pandemia e de tudo que estudamos no curso, meu olhar agora deve estar voltado simplesmente para o coletivo. Embora ainda tenhamos um período pela frente antes do retorno da educação infantil faz-se necessário refletir; como será este momento para trançarmos ações e planejamento dos mais diversos aspectos que envolvam um retorno com segurança para todos.

Pensando que também estaremos nos deparamos com situações de auto preservação por meio dos familiares, suas fragilidades e medos e a participação das famílias irá trazer contribuições importantes par o processo de adaptação, por diversas razões assim diminuindo o medo e a ansiedade de adultos e crianças.

Primeiramente devemos envolver todos da escola para analisar e dialogar sobre as metas do governo, como será organizada e colocada em pratica. Num segundo momento chamar a comunidade para explicar as medidas do governo e as já ajustada na instituição seguindo as normas de segurança, a comunidade também irá contribuir com sugestões para melhor nos adequamos construindo novas ações valorizando a opinião de todos. Para tranquilizar os pais além da fala da gestão se fara necessário um representante da área da saúde para esclarecer algumas dúvidas. E quando as crianças também retornarem na roda de conversar deixar que cada um se expresse a seu tempo respeitando o seu espaço explicando para eles tudo que ira acontecer e as mudanças que deveremos adotar .

Sabemos que o retorno não será fácil, mas com estas ações poderemos   voltar com segurança passando para os pais uma estabilidade emocional, fazendo deste retorno um momento de aprendizagem de qualidade agradável e prazerosa.