Tarefa 6 – Curso REP! – Roberta Islei de Oliveira Santos

Data

9 de julho de 2020

Cursista

Roberta Islei de Oliveira Santos

Função

Pei/ professora

DRE / Unidade Educacional

Guaianases

Escola

Ceu Cei Josely Maria Cardoso Bento

Roberta Islei de Oliveira Santos | Rf 8399565

Elaboração Proposta de ação para envolver toda a comunidade escolar com o retorno às aulas pós pandemia.

*Justificativa*
Enquanto profissionais da educação, famílias e comunidade precisamos compreender que vivemos um contexto de enormes desigualdades sociais, econômicas, culturais que com a pandemia apenas tornou mais crítico e evidente.

Ao anunciar a retomada da economia entra na discussão a reabertura das escolas, sobretudo, os Centros de Educação Infantil que recebem crianças de 0 a 3.

Neste cenário, o direito da criança à educação e, principalmente, à vida se entrelaçam as demandas urgentes das famílias,
emergindo assim os dilemas do reconhecimento do CEI como um espaço educativo.

Para além dessa discussão que é latente, a escola deve promover ações na perspetiva da Educação em Direitos Humanos, em que se coloque ao lado dessas famílias que precisam dessa assistência com solidariedade, respeito , cooperação e sem que haja julgamentos ou lições de moral. Sendo assim um ambiente que acolhe e permite que famílias e crianças sintam-se protagonistas.

*Intencionalidade*
– Olhar de novo para as famílias;
– Dispor a conhecer e escutar.

*Objetivo| Resultado *
– Construir uma relação de confiança entre Educadores, isto é, todos os profissionais da escola e famílias/comunidade.

*Ação no CEI*

A iniciativa de reconhecer que na escola há questões de socialização que necessitam de atenção, é um grande passo para que todos os envolvidos possam criar estratégias buscando uma Educação em Direitos Humanos. Porém para que esta iniciativa seja assertiva, faz-se preciso o empenho e participação de todos. Neste sentido, a minha ação acontecerá primeiro com a equipe escolar.

1 momento – No espaço de formação – Projeto Especial de Ação – Conversar sobre a experiência que tive na formação e propor que cada um da equipe pense em 1) Uma situação na escola em que se sentiu desrespeitado por alguém. Como se sentiu. Como reagiu. 2) Uma situação na escola em que você foi respeitado por alguém. Como se sentiu. Como reagiu.
3) Uma situação na escola em que você respeitou alguém. Como se sentiu. Como reagiu.
4) Uma situação na escola em que você desrespeitou alguém. Como se sentiu. Como reagiu.
Após a reflexão, deixar a equipe à vontade para quem quiser contar a sua experiência.

Fazer a leitura do texto Respeito Mútuo. (Caderno Respeitar Respeito na Escola, p. 49 a 50)

2 momento – Propor a mesma reflexão do primeiro momento, mas colocando as famílias no centro das questões. Situações que sentiu respeito ou desrespeitado pelas famílias. Situações que sentiu que repeitou e desrespeitou as famílias.

O que acham que levam as pessoas respeitar e/ou desrespeitar o outro?
Abrir para discussão e sugerir, após a pandemia, ressignificarmos o olhar para as famílias dos bebês e crianças.

3 momento – Olhar de novo para as famílias requer disposição em escutar, dialogar e, por conseguinte, conhecê-las.
Para isso, será proposto o mapeamento das condições das famílias do Cei.
Onde moram. Com quem convive. Como foi o este período de isolamento. Se todos adultos da família trabalham. Se houve desemprego neste período. Como foi a experiência de ter as crianças em período integral em casa. Com quem as crianças ficavam a maior parte do tempo. Quais foram as dificuldades que tiveram ao manter contato com a escola e professores pelas plataformas.

Este mapeamento pode ser feito por questionário distribuído durante a primeira reunião de acolhimento pós pandemias ou enviado às famílias via agenda.

A equipe poderá contribuir na elaboração deste questionário.

4 momento – Leitura do intem A Mediação de Conflitos na perspectiva da Educação em Direitos Humanos no Projeto (Caderno Respeitar Mediação de conflitos, p. 21 a 26)

Refletir sobre as concepções que tínhamos e ampliamos sobre o conceito Conflito.

5 momento – Propor entre os professores e os outros profissionais do CEI um exercício de escuta mútua – Uma pessoa contar para a outra uma situação difícil que esteja vivenciando.
A outra pessoa com empatia, sem julgamentos e sem interrupções acolhe e depois diz o que escutou sem dar a sua opinião e, ao final, pergunta se foi o que a pessoa quis dizer.
As duas pessoas então invertam o lugar de fala e escuta.

Ao final, as pessoas relatam como foi se sentir escutadas e se foi fácil ouvir o outro sem julgamentos.

6 momento – Leitura do poema Amor e respeito de Braulio Bessa

Conversar com a equipe e propor, a partir do mapeamento e assim do nosso conhecimento sobre as famílias, praticar constantemente o exercício de escuta e que neste percurso conduziremos as famílias a também nos escutar, de modo a promover uma relação de confiança.

Essa ação com as famílias também reflete nas relações que estabelecemos com os bebês e criança.

*Duração*
A ação com profissionais da educação terá duração de um mês. No entanto o exercício em escutar, respeitar, valorizar, dialogar deverá ser ação constante.

*Avaliação*
A avaliação será de cada sujeito envolvido em relação a ele mesmo. Sua trajetória, aplicação do seu conhecimento e relação com as famílias, crianças e seus pares.