Tarefa 6 – Curso REP! – Renato Ferreira Lemos da Silva

Data

20 de junho de 2020

Cursista

Renato Ferreira Lemos da Silva

Função

Professor de ensino fundamental II e Médio

DRE / Unidade Educacional

São Mateus

Escola

EMEF José Lins do Rego

PLANO DE AÇÃO PARA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS PARA O CURSO RESPEITAR É PRECISO

 PROJETO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS PARA UMA EMEF DA DRE SÃO MATEUS, ZONA LESTE DE SÃO PAULO.

Renato Ferreira Lemos da Silva

 

Introdução

A mediação de conflitos é um processo pacífico de resolução de conflitos com práticas cotidianas de todo um grupo para se construir uma cultura educacional que atue nas situações do dia a dia que compõem o convívio escolar.

O Plano de ação sugerido neste projeto diz respeito à criação do Projeto de Mediação de Conflitos em uma EMEF da zona leste de São Paulo. Estava-se iniciando uma comissão de mediação na Unidade Escolar que,  infelizmente, foi paralisada devido à pandemia. O curso de mediação foi importantíssimo para que, no retorno as aulas, possamos dar inicio a Comissão de Mediação com uma bagagem enorme de aprendizado.

Justificativa

 A importância de se conviver em um ambiente escolar pacifico justificam a realização desse projeto.

Objetivos 

  • Criar uma comissão de mediação de conflitos na Unidade de Ensino;
  • Aproximar a comunidade da Instituição e envolve-los no projeto;
  • Melhorar as relações interpessoais;
  • Incentivar o diálogo para a resolução de conflitos;
  • Compreender as práticas de mediação e atuar para validá-las;
  • Refletir sobre a importância do respeito, da cooperação e da solidariedade;
  • Promover o diálogo e construir as regras coletivamente
  • Discutir formas de intervenção e debater maneiras não violentas de reagir a situações diversas.

Etapas

 1ª Etapa 

Apresentação do projeto a comunidade e convite para a equipe

Fase inicial onde haverá uma reunião para a explicação do projeto e convite a comunidade para participação e escolha de representantes.

2ª Etapa 

Criação de equipe de mediação

Identificar pessoas que se interessem pelo assunto e queiram participar, da equipe. É importante que a equipe tenha um representante de cada segmento. A equipe poderá reunir – se quinzenalmente para avaliação das medidas.

3ª Etapa

Reunião estratégica

Reunião com convidados, com filmes e documentários que envolvam o tema para que todos possam se aprofundar sobre o assunto, roda de conversa, troca de ideia e experiências.

4ª Etapa 

Mapeamento

Todos os envolvidos na equipe deslocam – se por toda a Unidade Escolar mapeando o ambiente. Atividade muito importante para se conhecer todos os espaços da escola. A comissão também pode mapear o clima escolar considerando as seguintes questões: como é o processo de elaboração das regras? Qual a percepção de justiça dos alunos com relação à resolução dos problemas e às normas da instituição? Quais as principais causas das brigas? Como elas são solucionadas? Como é a relação da escola com a comunidade? Questionários ou entrevistas com grupos focais podem ser utilizados para fazer levantamento.

5ª Etapa 

Questionário e entrevistas

Após o mapeamento, convidar alunos e servidores em geral para responder um questionário e entrevistar alguns alunos.

6ª Etapa 

Definição das ações

Após as respostas dos questionários e entrevistas, identificar os locais onde ocorrem mais conflitos, trabalhar rodas de conversas nas salas de aula utilizar bastante da escuta e pedir sugestões aos alunos. Faze-los entender que são atores importantes no processo e que serão ouvidos.

7ª Etapa 

Implantação

Apresentar todos os integrantes da comissão de Mediação de Conflitos nas salas de aula e explicar o significado e a função da comissão na Unidade de Ensino. É necessário que seja disponibilizado um espaço onde a Comissão possa atuar para reuniões, estudos de casos e discussão de problemas e possíveis soluções.

Recomendações

É importante que as atas das reuniões sejam disponibilizadas para todos que tenham interesse.

É necessário que além dos envolvidos na Comissão, sejam escolhidos alunos que possam identificar possíveis conflitos. Esses alunos teriam papel fundamental para prevenção dos conflitos.

Seria interessante que os alunos envolvidos no conflito fossem ouvidos quando se acalmassem do ocorrido. Marcar uma roda de conversa com eles para dias posteriores seria importante para obter sucesso na pacificação da situação.