Tarefa 6 – Curso REP! – Regina Maria de Szuvarcfuter

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Regina Maria de Szuvarcfuter

Função

Pei

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

Cei vila Brasilandia

Regina Maria de Jesus Szuvarcfuter

Proposta de ação

Acolhimento para retorno as aulas presenciais

 

Justificativa

A iniciativa da proposta leva em consideração que nós funcionários da unidade, nesse período de pandemia, também passamos por alguns eventos estressores, como: falecimento de alguém próximo, perda de emprego de algum familiar, perda de renda, medo de adoecer, de morrer, sobrecarga nos trabalhos remotos, de casa e da unidade para aqueles que permaneceram em trabalho presencial. Com esse fator é preciso considerar um acolhimento humano primeiramente com toda a equipe, por isso que após realizar a formação com a equipe do Instituto Vladimir Herzog e agregar novos conhecimentos desenvolvi essa proposta de acolhimento para minha unidade de exercício Cei Vila Brasilândia.

Essa proposta será baseada nos conceitos discutidos na formação do curso “Respeitar é preciso”, no qual define o respeito como reconhecimento de um sujeito de direito de falar de si, do mundo, de pensar, reconhecer que o sujeito tem voz. Isso implica em promover um diálogo e a escuta. A educação em Direitos Humanos prevê uma reeducação do olhar, um respeitar que não permite que a dignidade de ninguém seja violada, escuta que requer uma relação de confiança. Entender a escuta como ajuda mutua, em que todos cuidam de si, cuidando de si cuida-se do outro.

 

Finalidade

A proposta tem por finalidade promover o acolhimento com todos os funcionários da unidade, ofertar uma escuta qualificada e cuidado com todos, para que se preparem e consigam retribuir o mesmo acolhimento, escuta e cuidado com os bebês, crianças e famílias que retornarão à unidade escolar após a quarentena.

 

Objetivos/ resultados esperados

Na intenção de nos fortalecer, perceber o quanto podemos nos ajudar e pensar em caminhos, possibilidades de acolhimento para os bebês, crianças e famílias, sempre mantendo a escuta, mesmo não concordando com alguma fala, iremos demonstrar gestos e expressões respeitosas. Nessa perspectiva, juntos poderemos pensar e desenvolver estratégias de enfrentamento adaptativas a nossa realidade.

Duração

. Os encontros, no início virtuais, serão a cada quinze dias com duração de 1h00 aproximadamente. Depois quando tivermos a possibilidade dos encontros presenciais poderemos manter essa mesma duração ou qual o grupo decidir.

 

Ações

O instrumento utilizado para realização da proposta será o Círculo restaurativo, que no momento será por meio virtual, mas dando continuidade presencialmente quando for possível, pois é um recurso de aproximação e apoio a todos nós. Será colocado em prática momentos de diálogo e a escuta mutua, com respeito, em que ouvimos as experiências das pessoas e relatamos as nossas. No meio virtual utilizaremos como objeto de fala, o recurso que a plataforma utilizada oferece, o símbolo da “mãozinha levantada”.

Serão definidas algumas diretrizes que deverão ser respeitadas por todos, como: respeitar objeto de fala, escuta com atenção, cada pessoa não deverá ser pressionada a falar, no momento que sentir-se segura ela poderá dar sua contribuição para a roda. Será escolhido um mediador que conduzirá as perguntas norteadoras, solicitando que as pessoas comecem a relatar suas histórias, expressando sentimentos e necessidades. Acontecerá também o momento de explorar os problemas e começar encontrar caminhos, possibilidades para nosso objetivo.

 

Avaliação

A avaliação será por meio de registros das discussões, escuta das pessoas no final de cada encontro sobre os pontos positivos e negativos, as sugestões e progressos que acontecerão ao longo dos encontros.