Tarefa 6 – Curso REP! – RAQUEL VITORELO INSERRA

Data

28 de julho de 2020

Cursista

RAQUEL VITORELO INSERRA

Função

PROF ED.INF.ENS.FUND I

DRE / Unidade Educacional

Butantã

Escola

EMEF JOSÉ DE ALCANTARA MACHADO FILHO

Retomada das atividades presenciais no espaço escolar.

 

Direitos Humanos, meio ambiente, desigualdades sociais regionais, intolerâncias culturais e religiosas, abusos de poder, populações excluídas, avanços tecnológicos e seus impactos, política, economia, educação financeira, consumo e sustentabilidade, entre outros assuntos, são temas prementes, que precisam ser debatidos e enfrentados a fim de que façam a humanidade avançar.(Educação em Direitos Humanos, Caderno Diversidade e Discriminação.2019.p.61)

 

Justificativa

Diante do isolamento social, devia a pandemia do COVID – 19 se fez necessário a realização de várias ações e esforços por partes de todos os envolvidos na educação, visto que a grande maioria dos alunos não conseguiu acompanhar as atividades elaboradas pelos professores, devido a dificuldades de acesso à internet, falta de equipamentos eletrônicos adequados e o não recebimento do material didático e após o anuncio de um previsão de retorno das atividades escolares presenciais, temos que definir ações de planejamento como escuta de professores e comunidade escolar, levantamento de sugestões e elaboração de plano de ação com o objetivo de distribuição das turmas, horários e espaços e protocolos de segurança.

Objetivos

Abrir e espaços de diálogo e escuta mútua, envolvendo a toda a comunidade.

Desenvolver ações de planejamento com o coletivo do grupo gestor, administrativo e docente pensando em propostas seguras de acolhimento

Acionar os colegiados da unidade escola,  Conselho de escola e Grêmio estudantil em colaboração nas decisões a cerca do estudo da minuta com os protocolos sanitários, do retorno e as condições para esse retorno das atividades presenciais.

Mapear as questões que afligem as famílias nesse momento, com vistas a levantar dados pensando na proposição de ações

Mapear espaços existentes na unidade escolar tanto locais abertos quanto salas de aulas disponíveis.

Ações:

– questionário para as famílias;

– tabulação de dados com vistas a termos um percentual de quantos alunos atenderemos no retorno

– realização de reuniões de pais em plataforma virtual ( sala de aula do Messenger) com vistas a propiciar a escuta e colher sugestões sobre as aulas online e também a proposta de retorno das aulas presenciais

– levantamento do número de servidores que estarão afastados por fazerem parte do grupo de risco

– elaboração de um cronograma contendo: lista de servidores, horários de atendimento e a função que será exercida por cada um;

– Levantamento da quantidade de turmas e salas disponíveis  e espaços abertos

– Organização das salas de aula com vistas a manter distância entre as carteiras

– elaboração de cartazes  informativos em colaboração com alunos do grêmio sobre maneiras de evitar o contágio

– planejar atividades que trazem informações sobre vírus, atividades didáticas que enfatizam sobre riscos de contágio a serem utilizadas na semana de acolhimento

Duração

Dois (2) meses (julho e agosto de 2020).

 

Este projeto tem como foco toda a comunidade escolar que diante de um retorno escalonado e com protocolo sanitário rigoroso, para o retorno das aulas presenciais, notamos a necessidade de realizar um conjunto de ações para garantir a igualdade de oportunidades para todos, tanto de acolhimento como de recuperação das aprendizagens, dar a oportunidade de todos serem ouvidos em suas especificidades.

 

Como primeira ação foi elaboração um questionário, para que as famílias respondam sobre sua opinião em relação ao retorno presencial das atividades escolares, diante do mapeamento das respostas nos deparamos com duas possibilidades, famílias que não enviarão seus filhos para a escola e famílias que estão dispostas e necessitam que o aluno volte a frequentar a escola.

Perante essas possibilidades podemos propor opções para garantir a igualdade de oportunidade para todos, os que frequentarão as aulas e os que não frequentarão, visto que estamos enfrentando uma doença desconhecida, muitos estão inseguros, mesmo diante de protocolos e alguns possuem comorbidades que também os impedem de voltar para escola.

Para as famílias que decidiram que os alunos não frequentarão a escola podemos propor atividades de compensação de ausência em casa e aos que estrão presencialmente na escola, acolhê-los e escuta-los como foi esse período trabalhar o “luto” com os alunos que nesse período perderam seus entes queridos.

Os familiares serão claramente informados, nas semanas anteriores à reabertura sobre. Marcaremos reuniões quando tivermos decisões oficiais da Prefeitura de SP para passar às famílias.

Diante das questões mencionadas a Unidade Escolar planeja elaborar um plano de ação para o retorno, contendo propostas de atividades em trabalho remoto para aqueles que não se sentirem seguros em retornar, elaborando instrumentos de registros  e de acompanhamento que garantam o a efetivação  das devolutivas dessas atividades aos professores e também ações especificas tanto de protocolos de segurança quanto de  questões pedagógicas para alunos que participarão das aulas presenciais.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Educação em Direitos Humanos. Diversidade e Discriminação. 3º Ed. São Paulo, julho 2019.

Educação em Direitos Humanos. Respeito na Escola. 3º Ed. São Paulo, julho 2019.