Tarefa 6 – Curso REP! – Priscila Marassi de Araújo

Data

18 de junho de 2020

Cursista

Priscila Marassi de Araújo

Função

PROF. ENS. FUND. II E MEDIO .

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

CEL. HELIO FRANCO CHAVES

A escola é um espaço de cultura e uma instituição social, onde as pessoas que integram essa escola, precisam ser participativos dentro e fora dessa comunidade escolar, formando cidadãos  responsáveis , críticos e criativos . Para isso, a escola precisa priorizar o senso de justiça, igualdade, solidariedade e respeito mútuo, construindo juntos valores e princípios, que visam o bem estar comum.

O ano de 2020  ficará marcado na história do mundo, ano que tivemos que nos proteger, nos isolar e nos reiventar, com muita resiliência, principalmente após essa pandemia do Covid- 19. O retorno as aulas presenciais, devem ser de muito cuidado, zelo e cautela , para que nossas crianças, jovens e adultos, se sintam acolhidos e protegidos. O isolamento e o distanciamento social deixarão marcas , pois gerou muito medo, angústias  e incertezas .

O primeiro passo a ser dado, a primeira ação , é de acolhimento , criando no âmbito escolar , um espaço social acolhedor, onde todos e todas  pertencentes a essa escola, inclusive as famílias dos estudantes , possam participar desse momento de afeto, amor e empatia. Esse acolhimento, seria uma recepção com cartazes motivacionais de boas vindas e bom retorno, com música ambiente, pois a musicalidade desestressa e cria um ambiente acolhedor, também pensei em entregas de cartões com frases de afetividade, incentivo, superação etc.

A segunda ação, seria convidar a todos e todas para uma roda de conversa, num espaço externo de preferência com muito verde, um Jardim, um pátio externo com plantas, um ambiente agradável ,  onde as pessoas se sentissem a vontade e descontraídos para falar e a ouvir, é que houvesse nessa roda de conversa muito diálogo, com vozes e escutas , onde cada um possa expor suas angústias, opiniões  e desejos para o retorno as aulas e a partir daí o norte para  os próximos dias e meses.

Pensei em ações simples, sem muito utopia, pois na prática as ações  são mais difíceis , mas que o básico prevaleça,  que é o respeito mútuo,  a dignidade, a igualdade e a justiça, que esses ideais possam nortear essas ações, principalmente reconhecendo o outro  como sujeito de direito, dando -lhe voz e escuta, e que dessas escutas qualificadas possam surgir mediações para os conflitos internos e externos que surgirão até o findar do ano.

Depois de superado e pensando para os próximos anos, o comitê de mediação de conflitos,   deve criar na escola  uma instância de gestão local, que agremie os familiares e comunidade do entorno a fim de envolvê-los no planejamento e execução de ações que contribuam para a melhoria tanto da escola, quanto da própria região. A proposta inclui quatro etapas: a constituição de um Comitê Local e também um grêmio estudantil; a realização de um diagnóstico das práticas educativas da escola; um mapeamento das oportunidades educativas do território e a elaboração de um plano de ação para melhoria da educação na escola na perspectiva da integração escola/ comunidade.