Tarefa 6 – Curso REP! – Priscila de Oliveira Silva Cavalcanti

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Priscila de Oliveira Silva Cavalcanti

Função

PEIF

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

EMEI ITALO BETARELLO

Projeto “ Se eu te ouço, eu te conheço, eu te respeito

Identificação

A EMEI Prof. Ítalo Betarello atende em media 514 crianças de 4 à 5 anos e 11 meses alternando em dois turno de 257 cada, divididos em nove salas no turno da manhã e 9 no período da tarde. No bairro do Jardim Brasil – Zona Norte de São Paulo. A escola conta com a colaboração de 31 professores que se revezam entre 3 turnos, 1 coordenadora, 7 A.T.E’s , 1 diretora e 1 assistente de direção. O grupo é engajado com a comunidade e esta a procura de novas formas de interagir com a comunidade educativa e o território de seu entorno.

Justificativa

Este projeto surgiu do interesse do grupo em conhecer e se aprofundar no tema da escuta ativa, foi através de uma Live com a educadora Celinha Nascimento que foi citado o termo escuta ativa este tema chamou a atenção da equipe de professores que assistia a Live, assim o assunto virou pauta de umas das reuniões formativas, onde eu pude perceber que os temas abordados no curso seriam de grande importância para que esta prática pudesse ser implantada na escola com toda a equipe profissional da U.E, pois através da discussão do grupo percebemos que a escuta envolve conhecer em profundidade toda a comunidade educativa, assim entendemos que mapear a comunidade atendida, e conhecer os D.H.’s  irá abrir as portas para que a, mesma seja ouvida, conhecida e respeitada em suas singularidades, criando condições para uma gestão democrática e participativa.

Organização responsável

Grupo de mediação de conflitos e interessados

Finalidade

Este projeto visa sensibilizar todos os participantes da comunidade educativa conscientizando sobre os direitos humanos, no intuito de promover o respeito aos mesmo e quando necessário incentivar pela busca da garantia de cada um deles, através de atividades que envolvam a capacidade de desenvolver o senso crítico, promover momentos de abertura para receber a participação de todos ouvindo suas expectativas, entendendo as realidades e necessidades de cada individuo através da escuta ativa, que vai além de ouvir o que o outro diz, mas enxerga, conhece e sente qual seria a melhor forma de ajudar, interagir e respeitar aqueles que nos rodeiam, promovendo o sentimento de empatia, e promovendo o desenvolvimento da interculturalidade

 

Objetivos:

  • Estimular e promover sentimento de empatia
  • Promover a interculturalidade
  • Tornar conhecidos os D.H.’s para que este seja muito mais que um documento a ser respeitado, e sim uma prática implícita nas ações cotidianas
  • Desenvolver o senso critico
  • Sensibilizar para olhar integral do ser humano, que considera suas histórias, suas diferenças e atende a suas necessidades
  • Criar oportunidades de diálogos “mediativos”
  • Práticas a escuta ativa como forma de conhecimento e relacionamento com o próximo

 

Duração

O projeto tem previsão de acontecer no pré-retorno as aulas presenciais durante as formações da equipe para preparação ao retorno presencial. A equipe entende que este projeto deva ser uma das formas de promover o acolhimento das crianças e famílias no retorno a escola demonstrando que neste período fizemos novas reflexões e nos apropriamos de ideais que serão a base para o respeito mútuo e a abertura para o diálogo com a comunidade educativa e seu entorno. Assim numa segunda etapa serão realizadas novas ações ao longo do ano letivo envolvendo a participação das famílias e crianças

 

Ações

  • Estudo e aprofundamento sobre escuta ativa e seus benefícios para educação infantil
  • Estudo a aprofundamento sobre o tema direitos humanos
  • Reuniões formativas para exploração dos temas abordados
  • Reunião com as Famílias sobre o retorno as aulas presenciais: quais são as expectativas?

Quais são as angustias?

Como enxerga o retorno presencial?

  • Elaboração de questionário para mapeamento da comunidade e as transformações que passaram durante o período de pandemia
  • Engajamento da equipe de mediação da equipe de mediação de conflitos na orientação e coordenação das ações e formações que serão oferecidas

 

Avaliação

O processo avaliativo será baseado na autoavaliação do grupo que será solicitado a dar um feedback sobre a participação no projeto e seus desdobramentos, também serão observados o atendimento dos objetivos citados anteriormente e quais a adaptações serão necessárias ao atendimento dos mesmos ou quais pontos devem ser modificados dentro do projeto ouvindo o opinião de todos os envolvidos.