Tarefa 6 – Curso REP! – Neuli Maria Tenório

Data

10 de julho de 2020

Cursista

Neuli Maria Tenório

Função

PEF II E MÉDIO/ POED

DRE / Unidade Educacional

Santo Amaro

Escola

Emef Prof. Liliane Verzini da Silva

PROJETO: SENTIR PARA RESPEITAR

JUSTIFICATIVA

É evidente o aumento exponencial de alunos com algum tipo de deficiência matriculados na rede regular de ensino. Alunos que devem ter o direito à educação, bem como o direito de formação para a cidadania, sendo assim, não basta apenas que tenham acesso, mas sim, permanência na escola e sobretudo uma educação que atenda suas necessidades.
É neste sentido que o respeito ganha seu significado mais amplo, quando se realiza com o respeito mútuo: ao dever de respeitar o outro, articula-se o direito, a exigência do respeitado. As atitudes de respeito mútuo encontram-se no espaço das reações diretas, no convívio e consequentemente na ajuda e no prazer de fazer parte daquele lugar, a escola. As dificuldades existem, mas o importante é que o professor tenha em mente que o principal, além de incluir, é promover atividades que realmente vão favorecer o processo de ensino e aprendizagem de seus estudantes, favorecendo a socialização, reconhecendo suas habilidades, sanando ou minimizando as dificuldades, sempre respeitando suas características e suas limitações.

A contribuição da escola, é a de desenvolver um trabalho com respeito mútuo, na sala de aula, comprometida com desenvolvimento de capacidade que permitam intervir na realidade para transformá-la. Acreditar-se numa sociedade mais humana e justa, sem preconceitos, em que os cidadãos atuem compromissados com o bem comum. Existem situações de preconceitos a todo momento no ambiente escolar, logo, é necessário impedir que essas atitudes se instalem, através de tematizações em sala de aula, afim de que se analisem os motivos das discriminações e dos preconceitos que geram atitudes de desrespeito, caminhando para o rompimento das crenças que se perpetuam no tempo.

Neste sentido, esse projeto visa proporcionar ao aluno e à toda comunidade escolar sobre o conceito de que somos todos diferentes, devido ao fato de todo ser humano ser único em suas características físicas, emocionais e intelectuais. Visa também conscientizar a criança da importância de respeitarmos estas diferenças,  incentivando-a a conviver de forma harmoniosa com vários tipos de diferenças e deficiências, que podemos encontrar na sociedade. Sejam elas do tipo físico, cultural ou social.

PÚBLICO ALVO: Alunos de Ensino Fundamental I

 

PERÍODO: 1 semestre

 

OBJETIVO GERAL:

Conscientizar os discentes de que somos todos diferentes e que devemos ser respeitados pelo que somos, independente das peculiaridades que temos.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  • Desenvolver no aluno a capacidade de identificar vários tipos de diferenças;
  • Estimular o respeito às diferenças, objetivando um melhor convívio social;
  • Levar o aluno a reconhecer as dificuldades enfrentadas por deficientes físicos e visuais;
  • Estimular a sensibilidade e oferecer ajuda quando assim for solicitada, àqueles que necessitarem
  • Fazer o aluno reconhecer a importância do espaço físico adaptado para diferentes tipos de necessidades (acessibilidade);
  • Incentivar a solidariedade humana, através do auxílio a pessoas portadoras de necessidades especiais
  • Familiarizar a criança com o processo de inclusão na Escola;
  • Desenvolver no educando uma visão de sociedade mais justa e harmoniosa sem preconceitos;
  • Apresentar o bullying, como algo prejudicial ao convívio escolar;
  • Estimular a afetividade e o cuidar do outro, facilitando a socialização da criança nos grupos sociais a que faz parte.

 

ATIVIDADES

PARA INÍCIO DE CONVERSA (SENSIBILIZAÇÃO)

  • Roda de conversa mostrando aos alunos as semelhanças e diferenças em nosso corpo;
  • Desenhando o corpo humano do menino e da menina, identificando as semelhanças e diferenças;
  • Leitura com os alunos do livro “Como ser amigo” da editora Paulus;
  • Ouvir e interpretar a música: Você é especial (Aline Barros)
  • Construção de cartazes abordando a temática
  • Pesquisa na internet sobre os tipos de diferenças: raciais, físicas, culturais e outras.
  • Vídeos de sensibilização

 

APROFUNDAMENTO DAS ATIVIDADES

  • Pintando o autorretrato, identificando as características físicas e suas diferenças;
  • Apresentação de vídeo sobre os tipos de deficiências e a inclusão social;
  • Pintura a dedo com os olhos vendados;
  • Desenhando sem o uso das mãos;
  • Brincando de saci e outras brincadeiras que desenvolvam a percepção da importância dos membros superiores e inferiores;
  • Mímica para desenvolver o sentido da voz e o valor do silêncio;
  • Identificar através de um passeio pela escola os pontos de acessibilidade;
  • Exibição do filme do Nemo, exaltando a deficiência do peixinho por ter uma barbatana mais curta que a outra;
  • Construção de murais, cartazes e frases que servirão como slogan na culminância do projeto;
  • Pesquisa sobre o que é  bullying? Comentar sobre projetos de outras escolas

 

FINALIZAÇÃO: MOSTRA DE TRABALHOS – ESCOLA ABERTA ÀS FAMÍLIAS

  • Sala das sensações: o visitante pode vivenciar sensações como: caminhar vendado, se locomover com cadeira de rodas; pegar objetos com apenas 1 mão etc
  • Mostrar o painel coletivo realizado pelos alunos ao longo das semanas de realização do projeto. Construção de um painel coletivo com desenhos e pinturas que retratem um espaço escolar harmonizado e respeitando diferenças.

 

AVALIAÇÃO

Envolvimento das famílias e alunos nas atividades. Formulário on line a ser enviado para as famílias com a opinião deles sobre os eventos abertos a comunidade.