Tarefa 6 – Curso REP! – Milene Carla Rovaron

Data

14 de julho de 2020

Cursista

Milene Carla Rovaron

Função

Professora

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

EMEI Nair Corrêa Buarque

Milene Carla Rovaron – Rf. 823807-3 – Emei Nair Correa Buarque

Curso: Respeitar É Preciso: proposta de ação para a escola

Justificativa

Quando comecei participar do curso, assistindo os vídeos, fazendo anotações e refletindo sobre as mesmas, despertou-me três aspectos importantes na nossa escola: mediações entre os educadores, aproximar as famílias da escola para as decisões coletivas e ampliar a escuta das crianças.

Assim, a proposta descrita abaixo, tem a finalidade de validar a fala/escuta de todos os envolvidos nesse percurso, promovendo ações positivas e reflexivas para melhorar ainda mais a qualidade da educação proposta pela nossa escola.

Organizações da EU envolvidos

–  Todos os educadores da escola, a comunidade, as crianças e suas famílias.

Utilizaremos o espaço da APM e Conselho, as reuniões de pais/responsáveis e as reuniões extraordinárias.

Finalidade

Assim, a proposta, tem a finalidade de validar a fala/escuta de todos os envolvidos nesse percurso, promovendo ações positivas e reflexivas para melhorar ainda mais a qualidade da educação proposta pela nossa escola.

Objetivos (pautados nos indicadores de qualidade da Prefeitura de São Paulo)

– Conhecer a comunidade em que vivem, suas características, saberes, culturas, histórias, desafios e sonhos.

– Participar da organização do cotidiano, compartilhando autoria de seus projetos, escolhendo, decidindo e dando sugestões;

–  Resolver conflitos por meio do diálogo de forma negociada, aprendendo a se respeitar;

– Falar/opinar o que se discute em roda de conversa e observação.

Resultados esperados

– Maior envolvimento das famílias nas decisões da escola;

– Ampliar a escuta das crianças;

– Possibilitar que as discussões entre os servidores sejam respeitosas e as decisões sejam tomadas visando o bem estar das crianças;

– Promover ações na escola entre as crianças e famílias que sejam multiplicadoras de ações positivas para a comunidade do entorno.

Duração

– Segundo semestre/2020 e continuar em 2021; validar como ação permanente na unidade Escolar.

Avaliação

Constante e reflexiva, possibilitando a fala de todos os envolvidos como ação significativa para possibilitar novas aprendizagens, promovendo um espaço escolar reverberando oportunidade de manifestações, atitudes e decisões que priorizem as crianças e sejam harmoniosas no sentido de respeito a todos os pontos de vista, mas chegando num consenso.

Ações entre os educadores (todos as pessoas que trabalham na escola)

– Reuniões periódicas para avaliar os momentos de conflitos ocorridos na escola, como foram decididos ou não foram e as ações a serem tomadas para pacificar as situações e mudanças nas próximas situações para não se chegar num confronto pessoal entre as partes;

– Colocar uma caixa de relatos e pedidos de ajuda na sala dos professores para os educadores se manifestarem, seja anonimamente ou não;

Ações com as famílias/responsáveis

– Nas reuniões de pais/responsáveis agrupá-los brevemente, relatando as ações da comissão de conflitos e disponibilizar o espaço escolar para manifestarem-se;

– Uma vez por mês, enviar um informativo (via agenda) com as ações do mês da comissão de conflitos e solicitar relato das famílias de situações que estão insatisfeitos; se necessário chamá-los para uma conversa coletiva;

– Enviar o convite para as reuniões de APM e Conselho via agenda, whatsapp e se possível ligar, evidenciando a importância de estarem presentes e refletirem sobre as ações da escola.

Ações entre os educandos

– Retomar as assembleias, discutir os problemas da escola e possíveis soluções (no olhar das crianças);

– Apresentar os problemas e dar voz para as soluções propostas;

– Envolve-los nas decisões de festas, propostas coletivas, e escolhas de compras com a verbas;

– Inserir o Projeto “Diretor por um dia” realizado na Emei Nelson Mandela, para que as crianças tenham a oportunidade de mediarem situações, tomarem decisões.

Finalizando

As ações descritas serão acionadas mesmo nas aulas a distância, pois é um momento propício para nos prepararmos para o retorno presencial. Nosso maior objetivo será a escuta das crianças e famílias, para planejarmos um retorno acolhedor, incentivador e de superação de desafios, respeitando as especificidades das famílias das crianças e dos educadores.

Nossa primeira escuta será dos educadores: como estão se sentindo? O que aconteceu nesse tempo de distanciamento? Nos fortalecendo para retomar nossa rotina renovados pela dualidade, certos de que somos um grupo e que sozinhos dificilmente seremos capazes de vencermos os impactos da quarentena.

Milene, 14/07/2020