Tarefa 6 – Curso REP! – Marta Araujo de Oliveira

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Marta Araujo de Oliveira

Função

Assistente de Diretor

DRE / Unidade Educacional

Itaquera

Escola

Parque Savoy City

 

Essa proposta foi elaborada tenho em vista o afastamento das crianças do ambiente escolar, devido a Pandemia Coronavírus, sendo executada na unidade escolar em que trabalho como Assistente de Direção, sendo um CEI na zona leste de São Paulo, bem próximo à uma grande comunidade, onde atendemos crianças na faixa etária de 4 meses a 4 anos.

Não atendemos somente as crianças dessa comunidade, pois a unidade está localizada em uma importante  avenida, favorecendo  o acesso de um bairro vizinho, cujos moradores apresentam melhores condições de moradia e transporte.

Por termos esse público diversificado, desde o início da pandemia, temos recebido cobranças opostas dessas famílias, tendo em vista o que é mais importante para cada uma delas: as que têm melhores condições, cobram para que o retorno seja o mais breve, pois estão envolvidos em home office e com os filhos em casa, não conseguem desenvolver as atividades profissionais, ao passo que as famílias da comunidade nos pedem cesta básica e o cartão alimentação fornecidos  pela prefeitura, além de nos questionar porque as crianças não podem ir à escola para se alimentarem.

Diante desse quadro, convocamos todos os servidores da unidade para reuniões  via plataforma digital , expondo tais fatos vivenciados  todos os dias presencialmente na unidade, e, após discussão,  iniciamos algumas ações, com o intuito de nos manter em contato e diálogo com as famílias:

  • Consolidação da página oficial do CEI no Facebook, publicando as atividades e interagindo com os familiares.
  • Criação de grupos no whatsapp, com cada sala de aula/agrupamento, utilizando o número fixo da unidade, sempre cumprimentando as famílias e as incentivando a manter contato conosco, abrindo espaço para que expressem seus medos, angústias e dúvidas.

Nesse meio de contato, muitas crianças se expressam e estabelecem conversas com as professoras, via vídeo principalmente.

  • Questionários mensais para acompanharmos as mudanças ocasionadas nas famílias devido a pandemia: perdas de familiares, perdas de emprego, doenças secundárias e do próprio vírus, desejo ou medo pela retorno às aulas, etc.
  • Carta aberta às famílias expondo nosso desejo de atende-los tão logo as autoridades liberem, abrindo espaço para expressarem suas opiniões em um de nossos canais de contato.
  • Distribuição dos cadernos do Curso Respeitar é Preciso entre as professoras readaptadas, possibilitando que haja rodízio dos mesmos entre elas após determinado tempo de leitura. Elas montaram uma equipe que atuará no atendimento presencial às famílias em nossa primeira reunião, assim que o retorno às aulas for efetivamente iniciado.
  • Solicitação `a DRE que nos enviasse os cadernos de aprendizagem (TRILHAS), que deveriam ser distribuídos nas residências/comunidade pela  empresa de entrega contratada pela PMSP, para que nós entreguemos na unidade (estamos atualmente nesse processo de entrega, com as famílias indo até a unidade para retirar). Essa ação devido ao fato dessa empresa não ter adentrado a comunidade e nenhuma criança desse local recebeu em sua casa, o material preparado e fornecido pela PMSP.
  • Assim que o atendimento presencial para as crianças for restabelecido, faremos reuniões com os pais/familiares sobre esse tempo de afastamento, visando acolhê-los e relatarem suas perdas, medos e angústias, conforme temos planejado com o grupo de professoras readaptadas.

São ações simples, alguém pode dizer que são até óbvias, mas, não é assim para quem está sem alimento, sem o local onde sabe que o filho está sendo bem tratado, cuidado e aprendendo, o que lhe favorecerá a ter uma vida diferente da que seus pais tem, ou seja, com as portas das escolas fechadas, a realidade está mais cruel para muitas famílias.

Sabemos das perdas de pessoas em algumas famílias, seja devido ao Coronavírus ou pela violência que enfrentam no bairro e na própria comunidade, infelizmente sabemos de um pai que foi brutalmente assassinado próximo à comunidade.

Não sei precisar quanto tempo mais essas ações serão efetivadas, pois com o retorno às aulas, as informações até então coletadas junto ás famílias seja pelos meios virtuais ou presenciais, favorecerão o acolhimento e a possibilidade das mesmas expressarem seus sentimentos para que, juntos, família e unidade escolar, possamos olher com respeito e carinho, as cianças.

Posso avaliar como positivas essas ações pois as famílias estão mais próximas, questionando e recebendo respostas através de nossos meios de contato, algumas participando das reuniões virtuais que fizemos e interagindo com os servidores da unidade.

Essa união e aprendizado seguirão conosco, nos fortalecendo e encorajando a terminarmos esse ano e iniciarmos o próximo tendo a unidade escolar como referência de que todos somos humanos e merecemos respeito.