Tarefa 6 – Curso REP! – Marjorie Marcílio Machado

Data

29 de julho de 2020

Cursista

Marjorie Marcílio Machado

Função

Professora de educação infantil e ensino fundamental II

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

EMEI Professora Lucy Garcia Salgado

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

DRE IPIRANGA

ESCOLA: EMEI PROFESSORA LUCY GARCIA SALGADO

PROFESSORA: MARJORIE MARCILIO MACHADO

REGISTRO FUNCIONAL: 8248214 – VÍNCULO 1

 

 

                  RESPEITO E DEMOCRACIA PÓS PANDEMIA NO ESPAÇO ESCOLAR

São Paulo

2020

                 RESPEITO E DEMOCRACIA PÓS PANDEMIA NO ESPAÇO ESCOLAR

 

Estamos em meio a uma pandemia e temos que começar a pensar na volta às aulas de forma segura e que acolha a todos pensando sempre no respeito ao outro e numa perspectiva democrática de direitos. É necessário que haja uma escola democrática na relação de respeito com todos os envolvidos (família, alunos, profissionais) e para tanto algumas ações podem contribuir, dando escuta e voz a todos e todas.

 

JUSTIFICATIVA E RELEVÂNCIA DO PROJETO

É possível perceber diariamente no ambiente escolar e fora dele, a falta de empatia, respeito mútuo. Por ser um ambiente que costuma ter conflitos por diversas situações e ao mesmo tempo, o local onde tais conflitos podem ser discutidos, o projeto é de extrema relevância, sendo necessária uma intervenção externa (como mediadores de conflitos) que leve os envolvidos a refletir sobre suas ações, principalmente no retorno as aulas pós pandemia, onde pessoas vulneráveis se tornaram mais ainda, outras que não eram, se tornaram e muitas outras questões envolvidas. Lembrando sempre da importância da fala e escuta efetiva.

Na infância que o indivíduo recebe todo tipo de estímulo, seja positivo ou negativo. E é na escola que a criança costuma passar grande parte do tempo, por isso é fundamental desenvolver valores, resgatar sua história e de outras culturas, para que valorize e respeite todos sempre com uma visão crítica, porém, não podemos esquecer dos cuidados necessários para o momento atual, e de regras que, na Educação Infantil, são impossíveis de acontecer, como o distanciamento e um acolhimento sem toque, abraços e colo, entre outros.

Estamos em meio a uma pandemia e temos que pensar e preparar a volta às aulas de forma acolhedora e respeitosa, seguindo a organização Mundial da Saúde.

 

PARTICIPANTES ATIVOS PARA A REALIZAÇÃO DO PROJETO

Além da família, escola e crianças (de 4 a 6 anos), também a participação do conselho de escola que se constitui como órgão colegiado com representatividade de todos os segmentos da comunidade escolar que tem por objetivo fortalecer e ampliar a participação da comunidade, família, alunos, professores e funcionários no bom funcionamento da escola, contribuindo tanto para a organização e aplicação de recursos como também para a organização de planos, metas e projetos escolares, garantindo assim uma gestão democrática do ensino.

 

FINALIDADE

Pretendo com esse projeto promover muitas discussões, trocas, trazer reflexões para que todos entendam as questões do respeito mútuo e da democracia e possam colocar em prática, além de ser multiplicador do assunto, pensando no novo mundo que teremos que viver, aprender e conviver.

Conflitos a serem resolvidos na escola de violência, indisciplina, variedades de estilos, culturas e valores. Que estarão ainda mais preocupantes e recorrentes ao retornar as aulas, além das questões de renda familiar e emocionais que vem aumentando por conta da pandemia.

Por isso é importante o papel de sujeitos da escola, de direitos e deveres, que se tenha sempre a relação escola-família e professor-criança, sempre com respeito e diálogo onde haja uma negociação entre os envolvidos no conflito, de forma que todos se sintam ouvidos, escutem e entrem em um acordo da melhor forma possível, onde haja regras de convivência efetiva, sempre incluindo todos e todas no processo de criação de tais regras.

 

OBJETIVOS

– Levantar sobre as questões de cada família (de onde vieram, suas dificuldades, suas características, suas histórias)

– Promover estudos, pesquisas, debates e atividades sobre questões que vão surgir pós pandemia e outras que já existiam e se agravaram; ambientais.

– Oportunizar a participação da comunidade escolar: alunos, funcionários e familiares.

– Reeducar o olhar para a beleza   das   flores, plantas e jardins no espaço escolar e torna-los multiplicadores nesta prática sustentável.

– Pesquisar   e   estudar   algumas   espécies   de   plantas   e   flores   para   jardins suspensos.

– Oportunizar a participação da comunidade escolar: alunos, funcionários e familiares.

– Reeducar o olhar para a beleza das flores, plantas e jardins no espaço escolar e torna-los multiplicadores nesta prática sustentável.

– Oportunizar a participação da comunidade escolar: alunos, funcionários e familiares.

– Incentivar e estimular que todos e todas tenham disposição para aprender e entender as novas formas de agir e interagir, amenizando medos, dúvidas.

– Oportunizar a todos a fala, escuta, reflexão e tomadas de decisões

– Refletir sobre o protocolo referente ao retorno as aulas, e discutir como equipar a escola de acordo com a Organização Mundial da Saúde? Como a família pode ajudar a escola? Como a escola pode ajudar a família? Como será feita a segunda adaptação e adaptação de novos alunos?

– Valorizar e respeitar cada família, suas individualidades, necessidades, características e ideias

– Realizar atividades relacionadas ao respeito, empatia, cooperação, emocional e dos cuidados durante a pandemia

 

AVALIAÇÃO: Acontecerá diariamente com registros, fotos, rodas de conversa e filmagens de forma contínua até o término deste projeto.

 

DURAÇÃO

Será realizado pelo tempo que for necessário, pois esse tema deve ser trabalhado sempre e não podemos esquecer que na EMEI um grupo saí e entra um novo todo ano

 

AÇÕES

Através da escuta de todos os envolvidos, iremos preparar a nova realidade da nossa escola.

 

– Questionários, entrevista com a comunidade escolar para conhecer suas raízes, tradições, culinárias, entre outros… e a partir destes dados, planejar movimentos na escola como oficinas, teatros, fotografias das famílias em suas regiões de origem e exposição das mesmas pela escola, onde ao entrar para buscar a criança, se sintam acolhidos, felizes e orgulhosos de ver a sua história sendo valorizada e respeitada.

 

– Fazer o mapeamento da Unidade Escolar e do seu entorno com todos os envolvidos

 

– Oficinas mensais no momento da saída das crianças, onde se convida a comunidade para entrar mais cedo e participar de cirandas, contação de histórias, construção de brinquedos, culinárias e outros temas relacionados ao reconhecimento das características culturais da comunidade, considerados importantes para uma relação de respeito.

 

– Em reuniões de pais ou em outros momentos, trazer para a abertura alguém da comunidade, divulgar trabalhos, incentivar o movimento econômico da comunidade de forma bem tranquila e simples na escola.

 

– Acolhimento das crianças, famílias e também dos profissionais, de forma segura, seguindo o protocolo de retorno às aulas

 

– Discutir sobre os assuntos relacionado ao projeto nos horários de estudo das professoras, dúvidas, sugestões e mudanças se forem necessárias no projeto

 

– Realizar atividades constantes com as famílias na escola e fora também, conforme sentir necessidade, ou realização das atividades que irão acontecer ao longo do projeto

 

– Fazer pesquisas com as famílias sobre seus conhecimentos sobre o assunto do projeto, envolvendo as questões de respeito e democracia pós pandemia.

 

– Construir painéis, atividades escritas e jogos sobre o tema.

 

– Realizar reuniões quinzenalmente do conselho para discutir sobre o projeto que serão votadas como devem acontecer, dias e horários.

 

– Passeios e visitas em locais que podemos trabalhar as questões de respeito e democracia, que serão decididos por todas e todos.

 

CONCLUSÃO

O projeto deverá estar vinculado a realidade de todas e todos, podendo ser sempre flexível e sofrer alterações de acordo com a escuta, trocas, reflexões e por contas das questões da pandemia.