Tarefa 6 – Curso REP! – Magno Leão Faleiros Alves

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

Magno Leão Faleiros Alves

Função

Professor ensino fund ii e médio história

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

Emef jean mermoz

As experiências do Grêmio e da Comissão de Mediação de Conflitos no decorrer do ano letivo, de 2019, na EMEF Francisco Rebolo, na DRE Campo Limpo, me inspiram para dar continuidade a tais projetos em outras escolas. Com adaptações as realidades escolares e, sobretudo o fortalecimento e ampliação da participação dos estudantes na unidade escolar.

Na verdade, estava para desenvolver esses projetos junto com outros colegas na EMEF Jean Mermoz, DRE Ipiranga, onde trabalho atualmente, porém a pandemia do coronavírus e suas consequências interromperam o processo. Por outro lado, assim que retornarmos à normalidade ou em 2021, 2022, colocarei tais experiências em prática, seja nessa escola ou em outra.

Para ilustrar tais propostas, relatarei as experiências do Grêmio e da Comissão de Mediação de Conflitos, visto que as futuras ações as terão como base.

Sobre a Comissão de Mediação de Conflitos, depois de discussões e votação entre os docentes decidimos que os professores coodernadores de sala, seriam eleitos pelos alunos e não os professores que escolheriam as turmas, a decisão se baseou na  afinidade dos alunos com professores e não o contrário. O professor coordenador também foi responsável por acompanhar as assembléias mensais da CMC no decorrer do ano, mediador de fato era um aluno, integrante da Comissão. As assembléias eram mensais e o ocorriam ao mesmo tempo em todas as turmas, nas assembléias os alunos expunham seus incômodos e desejos de mudança perante a escola, tornava-se um espaço de escuta, pesquisa. No dia da assembléia, o aluno mediador recebia orientações e formações dos professores que compunham a CMC. Ainda, a CMC atuava na mediação dos conflitos e divergências que ocorreram naquele ano letivo, escutando todos os envolvidos, procurando soluções harmônicas.

Sobre o Grêmio, com a resolução da SME para instituir o Grêmio nas unidades escolares, iniciamos a preparação do processo eleitoral. Antes e no decorrer da formação das chapas, todas as turmas assistiram o documentário “Eleições” (2018), para inspirá-los, além das orientações dos docentes. Com as chapas formadas e inscritas, os alunos fizeram propagandas com cartazes, campanhas nas salas de aula e para os professores durante as reuniões de formação. Durante, o processo eleitoral uma funcionária do TRE da região, onde até a escola dar uma palestra sobre o tema “Democracia e eleições”. Ocorreu a votação, onde todos estudantes, professores e funcionários votaram e tivemos uma chapa vencedora: Partido Voz Ativa.

Em relação as adaptações futuras, tanto na CMC e no Grêmio os seus desenvolvimentos ficaram na mãos de poucos professores (como nas minhas). O aspecto positivo foi que possibilitou maior centralidade e com isso organização. Por outro lado, gerou divergências desnecessárias com outros docentes, que se sentiam excluídos e/ou supunham que o lado pedagógico das disciplinas seria prejudicado. A intenção daqui em diante é envolver o maior número de docentes, tornando-os partícipes do processo, visto que nos dois projetos os professores do Ensino Fundamental I não se envolveram por se encontrarem em outro turno, apesar de alguns esforços. Acertamos na formação e nas orientações aos alunos, porém é possível ampliar e aprofundar a Cultura da Paz, bem como os Direitos Humanos, tornando assim expressões e atitudes cotidianas, dado a esse curso e outros realizados. Falhamos no acompanhamento depois da eleição do Grêmio, os gremistas só conseguiram emplacar uma proposta até o final de 2019, sendo que a idéia era fortalecer e atrair os estudantes dentro da escola, conseguimos durante o processo eleitoral, erramos posteriormente, por falta de tempo, na ampliação do diálogo. As avaliações foram feitas através de observações entre os professores partícipes  ao longo do processo e posteriormente, temos que ampliá-las para toda unidade, por meio de pesquisa e/ou escuta.

Após as adaptações, sugestões e melhorias, pretendo continuar e participar no desenvolvimentos desses projetos em outras unidades escolares, visando o fortalecimento e participação dos estudantes na escola, a autonomia destes e irrigando os direitos humanos, assim como o pensamento crítico.