Tarefa 6 – Curso REP! – Luciano dos Santos Nunes

Data

22 de julho de 2020

Cursista

Luciano dos Santos Nunes

Função

PEB ll e médio

DRE / Unidade Educacional

Itaquera

Escola

Emef Artur Neiva

Projeto: Educação em Direitos Humanos

Mediante atual situação de distanciamento social a qual nos encontramos por causa da instauração da pandemia pelo Covid, precisamos refletirmos sobre as diferentes concepções, ações comportamentais, perspectivas, frustrações, tristezas, preocupações, incertezas, entre outros, anseios que permeiam as relações sociais, em especial, as relações no âmbito escolar pós pandemia, onde precisamos constituir novos espaços construtivos de aprendizagem mediante sondagem necessária das construções que foram consolidadas e das que ainda precisam se estabelecer nessa atual conjuntura social.

Nesse sentido, devemos prepararmos momentos e espaços de acolhimento social para toda a comunidade escolar, mapeando esse cenário e as relações humanas que foram sendo consolidadas nesse contexto social que intensifica as desigualdades e desenvolve concepções valorativas errôneas que acarretam em situações conflitantes no âmbito escolar.

Logo, a instituição escolar, enquanto espaço de constituição de múltiplos saberes e integrador da diversidade social, pode ser o cenário ideal para reflexão e consequente ação social pós pandemia, nesse sentido, temos como projeto a elaboração de uma semana de acolhimento, que ocorrerá assim que as aulas presenciais retornarem e, com a seguinte organização do espaço e da comunidade escolar:

Direção e gestão escolar: Formação contínua de seus pares para práticas alternativas que, desde a constituição dos saberes teóricos e analise de casos em Educação em Direitos Humanos, possa levar compreensão dos documentos oficiais que norteiam as ações sociais e escolares, proporcionando aporte teórico que estimule práticas reflexivas e construtivas de valores na comunidade escolar;

Professores: Possam constituir, medias e instigar diferentes projetos que foram sendo discutidos e propostos junto as reuniões internas e externas, as JEIFS, conselhos, associação de pais e mestres, conselho de mediação de conflitos, entre outros.

Estudantes: Junto ao Grêmio estudantil, propor atividades diferenciadas, exposições temáticas, peças teatrais que tragam aos olhares as ações e necessárias atuações educacionais em direitos humanos, estudo dos diferentes artigos que compõem os documentos norteadores, expostos em diferentes espaços escolares, sarau em EDH, plenárias estudantis com situações de caso que envolvam reflexões e adesão aos documentos em EDH que fundamentem a discussão em pauta, entre outras atividades.

No dia da escola da família, ou algum momento em que a comunidade esteja na instituição escolar, apresentar os trabalhos constituídos, bem como propor aos estudantes que apresentem os seus TCA trabalhos colaborativos autorais dentro de uma concepção em DHs já que a maioria desses trabalhos advém de indagações e críticas a realidade social que vivem nossos estudantes.

Dessa forma, separaríamos pelo menos uma semana para a prática dessas atividades, de preferência na semana do retorno as atividades presencias, onde o exercício constante da escuta e a prática do acolhimento contínuo se fazem necessário pós pandemia. Atividade semanal essa que seria acompanhada pelo Imprensa Jovem que, em diferentes momentos também iria permeando a semana em EDHs com videos e apresentações midiáticas que trouxessem para o debate as diferentes opiniões e gerando discussões em torno da temática em debate pois, como foi dito pelos palestrantes do curso: “… os conflitos são inerentes aos processos vitais das situações humanas … procurem nesse cenário constituir oportunidades e estabelecer novos repertórios … “

 

novas perspectivas