Tarefa 6 – Curso REP! – Leila da Silva Siqueira

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Leila da Silva Siqueira

Função

Professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental I

DRE / Unidade Educacional

Pirituba / Jaraguá

Escola

EMEF BADRA

Leila da Silva Siqueira – [email protected]

O RESPEITO ÀS DIFERENÇAS NO CHÃO DA ESCOLA

LEILA DA SILVA SIQUEIRA

 

JUSTIFICATIVA

 

Observando diariamente o entorno da escola onde trabalho, EMEF BADRA, EM PERUS, e o público que atendemos, percebemos a diversidade que constitui nossa comunidade escolar. Diferenças de cultura, raça e crença tornam o ambiente mais repleto de aprendizagens. No entanto, essas diferenças nem sempre é encarada como um fator importante para o desenvolvimento humano.

A austeridade e o preconceito apresenta-se em constante formato em meio a uma sociedade que ora penaliza ora protege os seus membros. Vemos perseguições e violências baseadas apenas nas diferenças e que são noticiadas dia a dia, em qualquer esfera. Neste contexto  a escola em suas limitações, não pode resolver sozinha esse problema social, por isso é preciso que  pais, gestores, família, educadores e todos aqueles que formam o cerne da escola precisam estreitar laços para potencializar e formar sujeitos que respeitam toda forma singular de ser e estar no mundo, que sejam capazes de olhar e ser tolerantes, que respeitem as diferenças e que lutem para combater o preconceito, a discriminação ainda tão insistente na humanidade.

 

FINALIDADE

 

Esse projeto visa que o respeito às diferenças seja disseminado diariamente, para que isso aconteça é necessário intervir em parceria com a comunidade, fazer uma reflexão sobre a temática da violência escolar e sua mediação dentro do ambiente da escola, suas consequências na aprendizagem e na formação do sujeito e um aspecto que pode nos ajudar a compreender como desmontar violências é pensar no modo como elas se perpetuam.  Só assim será possível quebrar as barreiras e trazer as famílias para interagirem com seus filhos na escola, pois as crianças e os jovens são a geração que a sociedade precisa para combater o preconceito, mas para isso todos os responsáveis por essa internalização, devem, antes de tudo, olhar seus próprios julgamentos.

É preciso garantir que os familiares entrem na escola confiante de que serão escutados e compreendidos, sem receio de passar por qualquer tipo de constrangimento ou ser alvo de alguma forma de preconceito.

 

 

OBJETIVOS

 

  • Possibilitar ao educando uma formação integral, resgatando valores e culturas, encaminhando-os para a formação de um mundo melhor e mais justo;
  • Transformar reflexões, discussões, análises, em mudanças de atitudes, em ações;
  • Desenvolver atitude de respeito perante as diferenças, mediante momentos de interiorização, para ampliar o autoconhecimento;
  • Que os educandos, os membros escolares, a comunidade perceba a influência da estrutura social na vida cotidiana do homem;
  • Valorizar e respeitar todas as etnias;
  • Valorizar a troca de ideias e opiniões;
  • Expressar ideias, sentimentos e respeitar os colegas;
  • Valorizar o diálogo, a solidariedade e a justiça;
  • Compreender que somos capazes de ouvir e transformar nossos olhares;
  • Compreender a importância de se respeitar e respeitar o outro.

 

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES DO PROJETO

 

Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Elaboração do Projeto x
Apresentação do Projeto junto à U.E. x
Organização do espaço/materiais x
Reunião com o Conselho de Escola e Grêmio Escolar x x x x x
Estudo e realização do projeto x X x X X x x X X X
Avaliação do Projeto x X x X

 

 

 

 

 

 

AÇÕES

 

A comissão de mediação de conflitos apresentará ao conselho de escola e ao grêmio estudantil a proposta de desenvolvimento de duas ações simultâneas com leitura de livros paradidáticos e uma mostra de curtas metragens que durante o seu desenvolvimento serão criadas rodas de conversa e discussões temáticas a fim de promover os objetivos propostos.

“é preciso que a escola vá além das experiências cotidianas, propondo leituras mais ambiciosas além de puro lazer, incentivando o aluno a se tornar um espectador mais exigente e crítico, propondo relações de conteúdo/linguagem do filme com o conteúdo escolar”.

Os livros indicados compõem o acervo da Sala de Leitura da escola, porém outros poderão ser adquiridos, entre eles indicamos os essenciais na promoção do respeito à diversidade na escola: O mundo no Black Power de Táyo, Nós, Esquisita como Eu, Carona na Vassoura, O monstro das Cores, A bruxa Salomé, A Joaninha que perdeu as pintinhas, Extraordinário, A árvore generosa, Qual é a cor do amor? Extraordinário, Kabá Darebu, O cabeço de Lelê, Elmer o elefante Xadrez, Pode Pegar! As fabulosas fábulas de Iauaretê, Os convidados de senhora Olga, Vovô Valentim, A avô adormecida, A menina e a figueira, Tampinha tira o óculos, Tal Pai, Tal filho, As cores no mundo de Lúcia, Flicts, O menino que gostava de ler, O caso do Bolinho, Diferentes somos todos, Menina Bonita do laço de fita, Meninos de todas as cores, Laís a fofinha, O monstro Rosa, Do jeito que você é, O menino que tocou a sombra.  Chamaremos esta ação de “quartas de leitura”, todas as quartas-feiras os alunos indicarão um dos livros para leitura e debate realizado em sala de aula discutindo o respeito às diferenças na escola.

A Etapa prevista é o festival de curtas metragens, indicamos alguns dos selecionados: Cores e Botas, Vista a minha Pele, Dudu e o lápis cor de Pele, O xadrez das cores, Pode me chamar de Nadí, Super respeito entre outros.

A Dimensão Pedagógica destas ações serão realinhadas conforme as necessidades da escola, o grêmio como dinamizador do processo, divulgando as ações por meio de mural de fotografias, acolhimento de relatos de outros estudantes e organização dos tempos e espaços junto a equipe de mediação de conflitos.

Esperamos que através destas ações o clima escolar possa ser vivenciado em outras perspectivas e que ampliemos as experiências dos estudantes na construção de uma educação igualitária e democrática.

 

 

AVALIAÇÃO

 

Os alunos serão avaliados mediante o conceito de participação na execução do Projeto, podendo ao final da execução do mesmo serem conscientes sobre seu papel na promoção da paz e um melhor ambiente escolar.

 

Referência Bibliográfica

 

BOTAS E CORES. disponível em:  https://www.youtube.com/watch?v=Ll8EYEygU0o

 

PELE VISTA MINHA. disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=JIvjTmQgXOA

 

PELE DE COR DE  LÁPIS O E DUDU.

disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-VGpB_8b77U

 

CORES DAS XADREZ O.

disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=I2E-wkh-mGw

 

NADÍ DE CHAMAR ME PODE.

disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HNmizIrjQKU

 

RESPEITO SUPER.

disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=CH1f5mjDLw0