Tarefa 6 – Curso REP! – Keila Cristina Castelhano Antoniolli

Data

30 de julho de 2020

Cursista

Keila Cristina Castelhano Antoniolli

Função

Assistente de Direção

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

CEI Parque Casa de Pedra

PROPOSTA DE AÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO EM

DIREITOS HUMANOS

DO CURSO RESPEITAR É PRECISO!

  

CURSISTA: KEILA CRISTINA CASTELHANO ANTONIOLLI

RF.: 804.351.5/1

 

JUSTIFICATIVA

O Plano de Ação será desenvolvido de acordo com as aprendizagens obtidas no curso “Respeitar é Preciso!”, do Instituto Vladimir Herzog sobre Educação em Direitos Humanos envolvendo toda a comunidade escolar (Equipe Gestora, equipe docente, quadro de apoio e vigia, funcionários terceirizados da limpeza e cozinha, bebês e crianças, familiares e responsáveis.).

Sabemos da necessidade em se trabalhar desde a primeiríssima infância o respeito mútuo e a cidadania, dando vez e voz a todos e todas, combatendo qualquer tipo de discriminação e preconceito de etnias, religião, nacionalidade, gênero, orientação sexual e política.

Com esta proposta, iniciaremos um trabalho de voz e escuta de forma a conscientizar que as ideias e ações, mesmo sendo divergentes, podem ser respeitadas e convividas e que os conflitos sempre existirão, porém devem ser discutidos e trabalhados diariamente por todos que dele fazem parte.

 

FINALIDADE

A intencionalidade deste plano é que todos os envolvidos do contexto educacional aprendam a ouvir e serem ouvidos, falem e deem a voz aos demais e consigam conviver em harmonia, respeitando as opiniões e ações mesmo que estas sejam divergentes às suas, resultando no respeito mútuo.

 

OBJETIVOS/RESULTADOS ESPERADOS

Com este plano, desejamos que os envolvidos aprendam sobre o respeito mútuo, a tomada de decisões em conjunto, tenham vez e voz em todos os âmbitos, garantindo a escuta ativa em todos os momentos que dele se fizerem necessários. Faremos um mapeamento da necessidades atuais pós pandemia.

 

DURAÇÃO

Um ano letivo.

 

DESENVOLVIMENTO

– Convocar os membros do Conselho/APM da Mediação de Conflitos para conversarmos sobre a proposta de ação e apresentar-lhes os 07 cadernos do curso “Respeitar é Preciso!”, disponibilizando-lhes o acesso ao link para baixarem se assim o desejarem.

– Promover com todos os membros da Equipe Escolar uma formação com os pontos primordiais do curso que a Keila Cristina Castelhano Antoniolli foi contemplada, dando-lhes acesso aos vídeos, livros e demais itens assim trabalhados.

– Chamar os membros da comunidade para uma conversa sobre este Plano de Ação para que todos possam se sentir pertencentes e participativos.

– Organizar na entrada do CEI um local atrativo com livros, revistas e assuntos referentes aos Direitos Humanos e Respeito mútuo para que todos possam usufruir dos conteúdos abrangentes deste tema. Inclusive os familiares e responsáveis poderão compartilhar conosco se encontrarem algo interessante para colocar no acervo.

– Na bancada da secretaria do CEI colocaremos uma caixinha decorada escrita em sua parte externa: “O QUE PODEMOS FAZER PARA MELHORARMOS NOSSO DIÁLOGO?”, para que todos que assim o quiserem possam colocar ideias, sugestões, críticas, etc.

– Colocar em nossa área de alimentação da Equipe Escolar um espaço para que a equipe escolar, sempre que desejem, possam escrever como estão se sentindo e colocar no mural ou um varal, podendo ser palavras, frases, poesias, etc.

– Promover espaço de diálogos com toda a comunidade e equipe escolar, tanto com data planejada como diariamente, dando-lhes o acolhimento necessário de escuta ativa sempre que for necessário. Nestes encontros com a comunidade, faremos contato com as redes protetivas (UBS, Conselho Tutelar, CRAS, dentre outros) para ministrarem palestras para todos os envolvidos de acordo com a demanda levantada. Com os familiares e responsáveis que são imigrantes, podemos convidá-los para uma roda de conversa sobre a sua cultura aos demais e sugerindo, inclusive, possibilidade de uma oficina de coisas comuns aos seus costumes.

– Com os bebês e crianças, a equipe escolar pode trabalhar o respeito mútuo através das interações, desenhos, de cartazes produzidos coletivamente e expostos nos espaços da Unidade Educacional, do brincar, do acolher, dos momentos de roda de conversa ou mesmo em momentos individuais, ouvindo-os e ensinando-os a ouvir, falar e respeitar ao próximo, de modo rotineiro, para que aprendam que todos tem direitos e deveres e que podemos conviver com as diferenças.

 

AVALIAÇÃO

A avaliação será feita periodicamente de 15 em 15 dias ou sempre que for necessário, observando de que maneira os conflitos estão sendo trabalhados. Registraremos em livro próprio denominado “Mediação de Conflitos” cujos membros farão o acompanhamento destas ações e resultados obtidos.