Tarefa 6 – Curso REP! – Keila Aparecida Brasil

Data

24 de julho de 2020

Cursista

Keila Aparecida Brasil

Função

Professor de Educação Infantil e Ensino fundamental I

DRE / Unidade Educacional

Itaquera

Escola

EMEI APARECIDA MARIA DE MENDONÇA

PLANO DE AÇÃO: EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

Unidade educacional: EMEI Professora Aparecida Maria de Mendonça
Responsável: Prof: Keila Aparecida Brasil

Justificativa:

A partir de 2014 a rede municipal de educação realizou um censo sobre a autodeclaração de raça para as famílias e os servidores da Secretaria Municipal de Educação. Nesta pesquisa ficou evidente que muitos educadores e familiares das nossas crianças negras não se reconheciam como tal, neste mesmo momento nossa Unidade Escolar teve a oportunidade de participar de um Grupo de Estudos sobre o tema étnico-racial, além outras formações opcionais oferecidas pela RME-SP. Ainda no ano de 2014, no horário coletivo, iniciamos uma discussão e reflexão sobre o papel da escola na articulação de uma proposta de educação étnico-racial com a apreciação de uma literatura não hegemônica através do projeto de sessão simultânea de leitura. Fizemos o levantamento do acervo de literatura africana, afro-brasileira e indígena. Fizemos a leitura e reflexão do texto: Práticas de leitura das literaturas africana, afro-brasileira, indígena e latino-americana – critérios para a seleção do corpus literário e projeto (SME-DOT, Núcleo de Educacão Étnico-racial). Fizemos análise de alguns livros encontrados na unidade: quanto aos aspectos gerais, trabalho estético com a linguagem, ilustrações, temática, personagens, discurso e critério para seleção da obra. Disponibilizamos o acervo encontrado para leitura cotidiana com as crianças nas rodas de leitura e realizamos o Projeto “Leituraço”, no mês de novembro. Infelizmente, naquele momento dispúnhamos de um acervo literário escasso ou muitas vezes, encontramos obras que não vem de encontro aos critérios desejados.
Em 2015, seguimos dialogando e o grupo chega à conclusão que nossa escola precisava traçar um plano de ação para articulação do trabalho pedagógico étnico-racial, neste sentido decidimos coletivamente que o PEA – Projeto Especial de Ação do próximo ano 2016 deveria ter o tema voltado para a educação étnico racial e assim aconteceu não apenas em 2016, mas em 2017 também.
Desde este momento esta Unidade Escolar se preocupa em garantir o estudo, reflexão, diálogo e as ações para a valorização das culturas de matriz africana e indígena.
Em 2020 devido à rotatividade de funcionários e o novo público de crianças e famílias a serem atendido, decidimos resgatar a temática para formação dos funcionários e por entendermos a pertinência e relevância do tema diante a atualidade e fatos encontrados no cotidiano da unidade.

Etapas do plano de ação (projeto):

– Levantamento da autodeclaração cor/raça entre os educadores e educandos;
– Pesquisa de atitudes/valores que ocorrem no ambiente escolar;
– Levantamento de materiais (acervo bibliográfico, brinquedos, etc)
– Seleção de aspectos a serem abordados
– Seleção e pesquisa de materiais (textos, documentos, livros, etc)
– Socialização nos horários coletivos
– Elaboração de questionário para a comunidade (coleta de dados)
– Elaboração e aplicação de atividades
– Exposição de trabalhos e fotos

Duração: Permanente

Uma vez que o tema requer diálogo e conscientização cotiadiana em todas as ações.

Responsáveis pela articulação e elaboração do plano de ação:

Gestores, professores e demais funcionários. As discussões, pesquisas e organização do processo ocorrerão nos momentos de Estudo Coletivo (JEIF), que já acontecem na unidade e também na elaboração e na execução de atividades para serem desenvolvidas com as crianças.

Participação das turmas e suas famílias:
A participação das crianças se dará através dos projetos de turma (escuta infantil), atividades permanentes (projetos da escola). A participação das famílias acontecerá no evento Família na Escola, oficinas, encontro de pais e responsáveis, reunião de conselhos de escola, por meio de pesquisas.

Objetivos do Plano de Ação:

•Organizar os espaços educativos contemplando a diversidade étnica e cultural do contexto em apreço;
•Objetivar, nos espaços educativos, a distribuição igualitária de atenção e afeto a todas as crianças;
•Apresentar materiais e brinquedos que remetam à ancestralidade africana e indígena e à compreensão dos signos e significados da população negra;
•Evidenciar a contribuição de ascendência africana (e outras), por meio de contos, cantos, danças, trajes, alimentos e demais manifestações do repertório cultural presentes no cotidiano;
•Valorizar a oralidade como instrumento de transmissão de conhecimento;
•Acolher a diversidade material e cultural das crianças, atentando ao combate dos preconceitos raciais e outros;
•Conhecer e valorizar a origem e histórico de cada indivíduo dentro do grupo;
•Envolver famílias e comunidade nos projetos da instituição e seus registros;
•Considerar as diversas tradições culturais como essenciais ao processo educativo, independente da etnia e condição social em que se originam, buscando romper com os preconceitos já instituídos e buscando formas de construir atitudes de respeito e de solidariedade;
•Garantir a formação de vínculos que conduzam a uma postura ética e de valorização da vida, respeitando tanto os humanos como os demais seres vivos.

Avaliação do Plano de Ação:

A avaliação acontecerá durante todo o processo, o que nos possibilitará pensar em estratégias para superar as dificuldades que surgirem no percurso, considerando que a cada ano recebemos novas crianças e seus familiares, posto isto compreendemos que o processo educacional pode apresentar limitações a cada ano. Na prática este plano de ação, deve considerar que as crianças são seres integrais, e que é importante prever condições para que a mesma se construa, levando em consideração que ela é um sujeito que se emociona, pensa, imagina, constrói e tece relações a todo o momento em tempos e espaços variados, tanto em situações coletivas como individuais. Portanto o trabalho deve ser articulado entre todas as linguagens do conhecimento e expectativas de aprendizagem para a educação infantil (múltiplas linguagens), visto que todas podem contribuir com a construção da identidade positiva das crianças através de atividades orais, de experimentos, visualizações, conhecimento da história, brincadeiras, valorização de si e do outro, entre outros.