Tarefa 6 – Curso REP! – Jorge Cesar Furuta

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Jorge Cesar Furuta

Função

Professor de Ensino fundamental II e médio

DRE / Unidade Educacional

Capela do Socorro

Escola

Emef Joaquim Bento Alves de Lima neto

 PROJETO: ACOLHIMENTO NO RETORNO DAS AULAS NO PERÍODO PÓS ISOLAMENTO SOCIAL

 

 

JUSTIFICATIVA:

Com o desafio de nos adaptarmos (Todos, professores, alunos e Escola) a essa nova realidade e com isso ajustarmos essa nova rotina. Fortalecer, qualificar e reinventar nosso modo de agir, pensar, ensinar, aprender e com isso encarar essa nova realidade de estudo e sala de aula. Sem afastar o aluno, fazendo – o sentir – se amparado e acolhido, bem como o Professor e os Funcionários das Unidades Escolares.

 

 

HISTÓRICO:

Nossa escola se localiza na região do Grajaú, atualmente um dos três bairros, mais afetados pela COVID – 19. Durante as aulas on – line, é comum relatos de alunos e famílias com problemas de saúde (Infectados pela COVID – 19, depressão, dentre outras), mas também, dificuldades financeiras, problemas nas moradias causadas pelo isolamento social, dificuldades em realizar as refeições necessárias, relatos de agressões, tristezas pela perda de pessoas próximas, enfim, diversas questões que acabam deixando a educação e os estudos em um segundo plano.

 

 

OBJETIVO GERAL:

Promover a escuta das angustias e anseios de alunos e profissionais da educação no retorno das atividades escolares presenciais.

 

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

Promover a construção coletiva de estratégias para enfrentar a retomada das aulas presenciais minimizando os efeitos do período de isolamento social e de suas consequências. Promover a busca ativa dos estudantes que não estão realizando as atividades, equilibrar o controle da participação do aluno, com foco na aula. Estimular a participação, acompanhar quais estudantes estão realizando as atividades e quais são suas angustias e dificuldades.

 

 

AÇÃO:

– Estabelecer encontros periódicos da Comissão de Mediação Escolar para atendimento e escuta de Alunos, Funcionários, Professores e Pais;

 

– Realizar reuniões para diálogo, troca de ideias e opiniões, envolvendo toda a comunidade escolar para análise dos protocolos de retomada das aulas presenciais;

 

– Estabelecer contato por WhatsApp, Facebook, Telefone, com pais e responsáveis, cujos filhos não retornarem as aulas;

 

– Colher depoimentos dos alunos sobre as aulas a distância e o retorno para a escola, para que seja divulgado a toda a comunidade estudantil. Para promover o sentimento de acolhimento e o desejo de querer participar.

 

 

PERÍODO:

Iniciando em setembro de 2020 com reuniões on line para discussão do possível retorno. Intensificado no início do retorno das aulas presenciais (período que necessitará de uma maior atenção no acolhimento do aluno afim de se evitar a evasão escolar), findando no decorrer da normalização das atividades escolares presenciais, porém respeitando o período de recuperação das defasagens advindas do período de aulas não presenciais. Estendendo – se para que se transforme em encontros permanentes, afim de que a Comissão de Mediação de Conflitos Escolares possa criar o habito da Educação em Direitos Humanos na nossa Comunidade Escolar, e que a ação perdure ao período pós pandemia e possa atuar de forma constante e permanente.

 

 

AVALIAÇÃO:

Ao final do período proposto avaliar o nível/senso de pertencimento do nosso aluno. E que toda Comunidade Escolar possa ter uma ação protagonista na Educação em Direitos Humanos.