Tarefa 6 – Curso REP! – Irlem Cristina de Andrade Garcia

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Irlem Cristina de Andrade Garcia

Função

Prof. De ed. Infantil e Ens. Fund.I

DRE / Unidade Educacional

São Miguel Paulista

Escola

EMEI Professora Célia Ribeiro Landim

IRLEM CRISTINA DE ANDRADE GARCIA

CPF 144.379.008-71/RF 7935366.1

EMEI PROF CÉLIA RIBEIRO LANDIM/DRE MP

SÃO PAULO, JUNHO DE 2020

 

 

PROPOSTA DE AÇÃO PARA COMUNIDADE ESCOLAR PARA AVALIAÇÃO DO CURSO RESPEITAR É PRECISO

 ORIENTADO PELOS FORMADORES: ANA LÚCIA CATÃO, CELINHA NASCIMENTO, CRISLEI CUSTÓDIO, GUNGA CASTRO E ROGÊ CARNAVAL

 

“O respeito mútuo, um respeito sem fingimentos e sem rotinas, um respeito bem intencionado, que todos os dias se iluminam de argumentos novos e todos os dias se sente pequeno diante da sua aspiração, poderá servir de base, dentro da obra educacional, a um movimento de resultados eficientes, no problema urgentíssimo da salvação do mundo pela garantia unânime da paz. (Cecília Meirelles (1901-1964), poetisa).

(Trecho extraído do livro “Cecília Meirelles: coleção melhores crônicas”, Global editora.)

 

“É necessário entender o que é afetividade e porque ela é fundamental na formação de pessoas felizes, éticas, seguras e capazes de conviver com os outros e com o planeta”.

(Nova Escola – A revista do professor, Março/2005, pág. 52)

“Mediados pelo registro, deixamos nossa marca no mundo”.

(Observação, Registro, Reflexão, pág. 41 – Instrumentos Metodológicos)

 

JUSTIFICATIVA: Observamos a necessidade de desenvolver este projeto na Unidade Escolar para acolher educandos, família, comunidade, educadores (entendendo como educadores todos os integrantes da equipe escolar, independente da função que exerce) e, assim, em um ambiente acolhedor, cada ser humano poderá dar o melhor de si, seja dentro ou fora da sala de aula para o bem estar de todos e principalmente do educando.

 

OBJETIVOS GERAIS:

  • Desenvolver o bem-estar, o respeito a si a ao próximo dentro e fora da escola, nas relações adulto-criança – criança-criança e adulto-adulto;
  • Desenvolver a parceria entre a família e a escola, buscando a valorização das famílias e da equipe escolar;
  • Desenvolver o intercâmbio cultural.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  • Desenvolver a auto-estima, a aceitação e o orgulho da origem familiar;
  • Desenvolver o respeito às diferenças (inclusão, raça, cultura, estrutura familiar e etc.);
  • Desenvolver o respeito e cuidado com os colegas, fortalecendo os vínculos afetivos e reduzindo assim a agressividade dentro e fora da sala de aula e da escola;
  • Melhorar a interação educadores/alunos/outros membros da equipe escolar, procurando a valorização e o respeito mútuo;
  • Desenvolver o respeito, o cuidado pela escola, a função de cada profissional, ampliando a possibilidade dos educandos perceberem que este espaço também é seu;
  • Desenvolver maior proximidade da comunidade com a escola, ampliando a oferta de oportunidades para que os pais estejam presentes na unidade escolar, aumentando assim a participação da família nos diversos eventos escolares e elevando a assiduidade da família nas reuniões de pais, de Conselho e APM e Outros.
  • Oferecer informações e orientações aos pais, para que possam se sentir mais seguros com relação aos filhos, através de conversas com os educadores (agendadas na escola e/ou domiciliar nos horários de htpc e uso de Agenda Escolar);
  • Ministrar palestras e fóruns com profissionais de diversas áreas (psicólogos, pedagogos, dentistas, Conselheiros tutelares, nutricionistas, enfermeiros, etc.) para orientação dos pais e membros da equipe escolar;
  • Registrar o desenvolvimento global do educando, em todos os seus aspectos (cognitivos, afetivos, sociais), observando suas dificuldades e avanços e disponibilizar aos pais para que tomem ciência e contribuam com suas observações.
  • Registrar todas as conversas que são realizadas com os pais, de casos relatados pelos educadores, sobre o desenvolvimento do educando, suas dificuldades e etc.
  • Registrar todas as conversas entre os membros da equipe, de casos de problemas de interação e convivência que possam surgir e suas dificuldades.

 

DESENVOLVIMENTO: Elaborar o projeto político-pedagógico junto com a equipe escolar e comunidade, decidindo que projetos educativos são cabíveis para a escola; Utilizar de dinâmicas de grupo e avaliações para se conhecer o grupo; Propiciar momentos para conversas individuais e em grupos pequenos a fim de conhecer o que cada um pensa (críticas e sugestões) sobre o seu trabalho na construção de uma escola melhor; Propiciar momentos de conversas individuais com os pais; Promover workshops e palestras com temas de interesse das famílias e da equipe escolar (Saúde da criança, Saúde Bucal, A importância do toque, Terapia do Abraço, Limites na Infância, Aleitamento Materno, A posse responsável de animais de estimação, Motivação, Conduta ao procurar um emprego, Reaproveitamento de alimentos, Alimentação saudável, Uso consciente dos Recursos Naturais, Descarte consciente do Lixo etc.); Aproveitar todos os momentos para trazer a família para a escola, oferecendo oficinas de trabalhos manuais; Promover encontros culturais na unidade escolar (apresentação de danças típicas, amostras culturais, degustação de comidas típicas, etc.); Aproveitar a data comemorativa dos educadores (dia do professor) para uma atividade que surpreenda e eleve a auto-estima do profissional da educação, lembrando que todos são educadores.

 

AVALIAÇÃO: Registrar todos os acontecimentos na escola e a repercussão que causou. Registrar por escrito a impressão de cada membro da equipe escolar, para avaliar e verificar se há necessidade de reformulação dos projetos. Observar a participação da família, verificando se os objetivos propostos estão sendo alcançados e se os combinados e as normas de conduta estão sendo seguidos, coletar as impressões da comunidade por escrito nas reuniões de pais ou caixa de coleta de sugestões exposta na escola e nos eventos escolares. Acompanhar constantemente, orientando e estabelecendo combinados, nos casos de problemas de interação e convivência do grupo e nos casos dos educandos, relatados pelos educadores, possibilitando acolhimento e estreitamento dos laços afetivos para o membro da equipe com dificuldades e para o educando com dificuldades.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CADERNOS DO RESPEITAR!

Disponível em: <  http://bit.ly/cadernos-do-respeitar-e-preciso> Acesso em Junho de 2020

ANEXOS

Dinâmicas de grupo, atividades e avaliações

Círculos de cadeira

Objetivo: interação e conhecimento de cada membro do grupo.

Recursos Materiais: Espaço amplo, cadeiras, CD musical, crachás de cartolina, lápis de cor, caneta hidrográfica, giz de cera, barbante, tesoura.

Desenvolvimento: Fazer dois círculos de cadeiras, o de fora voltado para dentro e o de dentro voltado para fora, de modo que quando sentados, cada pessoa fique de frente para outra. Apenas a roda de fora irá se movimentar. Colocar uma música e enquanto ouvir a música a roda de fora se movimenta em círculo para a esquerda, ao parar a música as pessoas que estão de frente devem conversar, saber o nome, de onde vem, qual a formação e etc. O coordenador deve estar atento para que no decorrer da brincadeira todos possam conversar. O tempo de parada da música para a conversa deve ser de no máximo 30 segundos.

Após a dinâmica formar duplas e cada um fará um crachá para o outro e lhe dará de presente.

 

Desenho da mão

Objetivo: Saber as expectativas pessoais de cada um

Recursos materiais: Papel, lápis de cor, giz de cera, caneta hidrográfica.

Desenvolvimento: Pedir que cada pessoa desenhe as duas mãos numa folha de sulfite. Solicitar que escreva em uma mão o que a pessoa está trazendo para a equipe escolar e na outra mão escrever o que a pessoa espera da escola.

Após esta dinâmica estabelecer combinados e procurar pensar em como cada um poderá colocar em prática o que foi combinado.

 

O que sabemos

Objetivo: Conhecer o que cada membro da equipe sabe sobre o trabalho educacional e de como sua função contribui para o trabalho coletivo educacional.

Recursos materiais: CD musical, cartolina e canetão permanente.

Desenvolvimento: Montar grupos de pessoas, colocando uma música e ao parar a música pedir que formem grupos de 6 (ou o que achar mais viável). Pedir para discutirem o que sabem sobre o trabalho que cada um vai exercer e como contribuirá para o andamento do trabalho coletivo. Pedir que façam cartazes expondo o que foi discutido e apresentem para o coletivo.

Após a dinâmica, esclarecer a importância do trabalho de cada um e eventuais divergências de pensamento.

 

Casa, terremoto, inquilino

Objetivo: Demonstrar que podemos formar novas regras para o bom andamento do trabalho em grupo e trabalhar a solidariedade, interação e o companheirismo.

Recursos Materiais: Espaço amplo e CD musical.

Desenvolvimento: Pedir para formar grupos de três, sendo que dois formarão a casa e um o inquilino. As pessoas que estiverem sobrando deverão tentar se abrigar numa casa no decorrer da brincadeira. Colocar uma música e ao parar a música dar os comando: quando dizer ‘casa’, todas as pessoas que fazem parte da casa devem mudar de lugar, quando dizer ‘inquilino’, todos os inquilinos devem mudar de casa e quando dizer ‘terremoto’, todos devem mudar sem exceção.

No final da brincadeira discutir em grupo:

  • Por que não encaixar mais de uma pessoa na casa?
  • Por que somos tão presos a regras? (Note que em nenhum momento foi dito que era proibido ter mais de uma pessoa na casa).
  • Não podemos mudar as regras?

 

Dançar com o olho fechado

Objetivo: Descontrair e interagir o grupo.

Recursos materiais: Espaço amplo e CD musical.

Desenvolvimento: Vendar os olhos das pessoas e pedir para não falarem. Colocar uma música e pedir para dançarem. Ao dançar terão de escolher uma pessoa apenas pelo tato. Após o término da música terão de descobrir quem é o par apenas pelo tato.

 

Falar o nome

Objetivo: Reconhecer os sentimentos envolvidos e descontrair o grupo.

Recursos Materiais: Espaço amplo

Desenvolvimento: Formar um círculo e pedir que cada um fale o seu próprio nome como se estivesse chamando e depois como se estivesse brigando. Após isso pedir que fale uma qualidade.

Após a dinâmica conversar sobre o que cada um sentiu.

O que você faria se…

Objetivo: Lidar com mudanças e descontrair o grupo.

Recursos materiais: Papel e caneta.

Desenvolvimento: Pedir para cada um pegar a folha e escrever o restante da pergunta ‘O QUE VOCÊ FARIA SE… ’, pegar o papel e virar para que ninguém leia a pergunta, depois trocar com outra pessoa que ao pegar o papel irá dar uma resposta sem ter lido a pergunta. Após todos colocarem as respostas, pedir para que cada um leia a pergunta e a resposta que colocaram.

É interessante que muitas vezes as respostas se casam com as perguntas. Importante que as respostas sempre comecem com ‘EU’. (Exemplo: O que você faria se ganhasse na loteria? – Eu viajaria bastante!).

Após a dinâmica discutir sobre mudanças, porque as vezes nos incomodam e mostrar que nem sempre as mudanças são ruins, é só uma questão de se adaptar ao que temos no momento.

 

Escrevendo qualidades

Objetivo: Interação do grupo e elevação da autoestima.

Recursos materiais: Papel e caneta.

Desenvolvimento: Colar uma folha nas costas de cada um, pedir que circulem no ambiente sempre procurando um olhar e pensando nas qualidades de cada um. Pedir que escrevam nesta folha uma qualidade que vemos no colega. Assim cada um irá escrever as qualidades do outro. Após a dinâmica pedir que cada um retire o papel e leiam o que foi escrito e o que acham sobre o que foi escrito.

 

Reconhecer as fotos de infância

Objetivo: Conhecimento de si, do grupo e espontaneidade.

Recursos materiais: Fotos de infância.

Desenvolvimento: Pedir para cada um trazer uma foto de quando era criança. Não deixar que ninguém veja. O coordenador recolhe as fotos, mistura e espalha no chão. Pedir que o grupo circule e veja as fotos e tente descobrir quem é quem. Quem reconhecer alguém pega a foto e diz quem é.

Complete as frases

Objetivo: Conhecimento de si e do grupo

Recursos materiais: Papel e caneta.

Desenvolvimento: Pedir que cada um complete as frases: Uma coisa que me faz sentir bem em um grupo é…; Sinto que sou bastante aceito quando…; Acho que as pessoas ao meu lado demonstram solidariedade quando…; Quando ocorre um conflito no grupo eu prefiro…; Sempre sinto insegurança quando….

Após cada um responder para si, pedir que socializem com o grupo.

 

Falar sobre

Objetivo: Conhecimento de si.

Recursos materiais: Papel e caneta.

Desenvolvimento: Pedir que cada um fale sobre: Um fato importante realizado pela família; Uma realização pessoal; Uma realização profissional; A coisa mais importante que pretende realizar nos próximos dois anos.

Após a dinâmica, socializar com o grupo.

 

Árvore do bem estar

Objetivo: Reconhecer a interdependência que temos de outros e conhecimento de si próprio.

Recursos materiais: Papel, lápis de cor, giz de cera, caneta.

Desenvolvimento: Pedir que cada um desenhe uma árvore. Na raiz escrever algo marcante que ocorreu na vida, no tronco escrever com o que gastamos mais o nosso tempo e dinheiro, nas folhas, flores e frutos escrever nossas esperanças quanto ao futuro.

Após a dinâmica socializar com o grupo e falar sobre cooperação, pois para as nossas realizações sempre precisamos da colaboração do outro.

 

Projeto de Vida

Objetivo: Lidar com mudanças e o sentimento de frustração.

Recursos materiais: Papel, caneta ou lápis de cor.

Desenvolvimento: Formar um círculo. Pedir que cada um desenhe o seu projeto de vida em todos os sentidos. A cada 10 segundos pedir para parar e rodar a folha para a esquerda, de modo que cada um continue a desenhar na folha de outro de acordo com o que já tem ali. Fazer esta parada até que todos terminem. Importante que em cada folha pelo menos 5 pessoas desenhem. Após o término voltar à folha para a pessoa que iniciou o desenho. Pedir que todos socializem seu projeto e digam o que foi mudado e se gostou das mudanças ou não.

 

Avaliação pessoal e inter-pessoal

Objetivo: Conhecimento de si e do grupo.

Recursos materiais: Papel e caneta.

Desenvolvimento: Solicitar que cada um responda as questões: Como tem sido sua atuação no grupo, no que você contribui? ; Como pretende trabalhar futuramente? Tem algum planejamento em mente que ainda não pôde ser trabalhado? ; Identifique três qualidades e três dificuldades de sues colegas de trabalho; Quais qualidades de seus colegas você não tem e gostaria de ter? ; Com que e com quem você gostaria de trabalhar no próximo ano? ; Desenhe um coração e divida-o em quatro partes, desenhe ou escreva em cada parte: Qual a sua maior habilidade como pessoa, qual a sua maior habilidade como profissional, qual a sua maior dificuldade como pessoa e como profissional e qual a maior habilidade do grupo de trabalho.

 

Confecção de livro “Equipe Escolar”

Objetivo: Conhecimento de si e do grupo.

Recursos materiais: Foto da infância e Foto atual.

Desenvolvimento: Solicitar que cada um traga uma foto de quando era criança e responda a pesquisa: Qual é o seu nome? ; Quem escolheu o seu nome? Por quê? ; Qual é a origem e o que significa? ; Você gosta do seu nome? ; Como gostaria de ser chamado (a)?

 

Caixa Postal na escola

Objetivo: Interação do grupo e elevação da auto-estima.

Recursos Materiais: Painel contendo um envelope no nome de cada membro da equipe escolar.

Desenvolvimento: Apresentar o painel a equipe escolar e informar que cada pessoa poderá utilizá-lo para enviar bilhetes, cartas, lembranças e etc. para a interação e estímulo de cada membro da equipe. Incentivar que a caixa postal seja usada de modo saudável e educado para a elevação da autoestima de cada um, por meio de elogios e agradecimentos.