Tarefa 6 – Curso REP! – Irene Emília Martins Alves

Data

15 de junho de 2020

Cursista

Irene Emília Martins Alves

Função

PEIF

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

EMEI ANITA GARIBALDI

Curso: CURSO RESPEITAR É PRECISO! 2020

Tema: Respeitar é Preciso! – a Educação em Direitos Humanos e a atuação das Comissões de Mediação de Conflitos.  Curso de formação, da área de educação do Instituto Vladimir Herzog, em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo.

Tarefa de encerramento: Elaborar uma proposta de ação para envolver toda a comunidade escolar no projeto Respeitar é Preciso!

Observação: Em função da Pandemia do Covid 19 e do cenário de isolamento social, deverá ser considerado uma situação imaginária de como poderá ser a situação com a volta às aulas.

Embasamento teórico: A Constituição Brasileira de 1988 traz em seu Art. 5º: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança […], porém a história marcada por graves episódios do não cumprimento da lei demonstra o desafio ainda a enfrentar. Reiterado pela LDB (Lei Diretrizes e Base Da Educação Nacional nº 9394/96) os princípios democráticos ao se ministrar o ensino, a escola se constitui como um local de formação de valores fundamentais como o respeito. A partir do aprendizado e direcionamento do curso Respeitar é preciso foi possível elaborar o plano de ação.

Público Alvo: A comunidade escolar, formada por professores, profissionais que trabalham na escola, alunos matriculados e seus pais e/ou responsáveis.

Objetivo Geral: Promover o respeito mútuo e a valorização humana dentro da escola.

Objetivos Específicos:

  • Elucidar e promover a reflexão sobre direitos humanos;
  • Ampliar o entendimento do respeito mútuo;
  • Auxiliar na elaboração de ações coletivas que favoreçam a socialização, expressão de pensamento e pertencimento;
  • Melhorar as relações de confiança e respeito.
  • Colaborar na consolidação do processo de implementação da cultura: Respeitar é preciso!

 

Ações:

  • Reunião para escuta e apoio à gestão, educadores e demais profissionais da escola, como cuidado e apoio emocional bem como uma troca de vivências durante o período de distanciamento;
  • Planejar a volta às aulas de modo que a função e responsabilidade pela acolhida seja responsabilidade de toda a equipe escolar;
  • Organizar uma recepção de boas vindas, no primeiro dia de retorno às aulas, para as crianças e suas respectivas famílias, com uma fala acolhedora da diretora e uma contação de história a fim de incentivar a participação da família no cotidiano escolar;
  • Incentivar a continuidade da rede social utilizada como meio de comunicação durante a pandemia, para participação, retorno dos momentos da rotina escolar e divulgações de ações extensivas à família e comunidade;
  • Promover uma roda de conversa com as crianças sobre como foi o tempo de isolamento e suas consequências, propiciando a oportunidade de todas falarem;
  • Levantamento de brincadeiras, jogos cooperativos, músicas, danças, temas para contação de histórias, oficinas e teatro que trabalhem a diversidade, autoestima, solidariedade, amizade, respeito e paz a serem abordados durante o segundo semestre;
  • Reuniões para reflexão com professores e demais funcionários da escola, a partir da Legislação: Constituição Brasileira, BNCC e a LDB quanto ao seu cumprimento em relação aos direitos sociais;
  • Utilização dos cadernos do Respeitar para estudos em horários coletivos dos professores, bem como troca de ideias e planejamento de novas ações;
  • Abrir os dias de reuniões de pais e o dia da família com uma contação de história, palestra, filme ou pequena peça teatral que promovam sensibilização e consciência sobre os direitos humanos e o respeito mútuo;
  • Utilização de dinâmicas que trabalhem respeito, diferenças, consciência e autocontrole;
  • Incluir no Conselho Escolar e Associação de Pais e Mestres, a abordagem de temas como violência, discriminação, problemáticas do bairro, planejamento e desenvolvimento de ações focando a resolução dos problemas;

Recursos:

  • Sala de reuniões;
  • Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988;
  • Declaração Universal dos Direitos Humanos. Organização das Nações Unidas (ONU);
  • LDB;
  • BNCC;
  • Pátio;
  • Parque;
  • Sala de leitura;
  • Vídeos.

IRENE EMÍLIA MARTINS ALVES