Tarefa 6 – Curso REP! – Honoria da Silva Costa

Data

16 de junho de 2020

Cursista

Honoria da Silva Costa

Função

Diretora de Escola

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

EMEI Professora Eudóxia de Barros

NOME: HONORIA DA SILVA COSTA

CURSO: RESPEITAR É PRECISO

 

PROPOSTA DE AÇÃO PARA O ENVOLVIMENTO DE TODA A COMUNIDADE ESCOLAR NO PROJETO RESPEITAR É PRECISO NO VOLTA  ÁS AULAS

Objetivos:

-geral: estimular ações e intervenções individuais e coletivas de acolhimento através de diálogos e escuta.

Para a equipe diretiva e a coordenação pedagógica:  Criar condições necessárias para que as ações sejam realizadas.

Para os professores: Acolhimento dos mesmos (rodas de conversa),  definição de conteúdos, atividades e abordagens metodológicas que tratem sobre ações com relação  aos sentimentos e a fala das crianças e da comunidade escolar.

– Para os funcionários: Acolhimento juntamente com toda equipe escolar (rodas de conversa), com a participação de ações educativas que visam melhorar o comportamento de todos com relação ao retorno às aulas e à diversidade de comportamentos e falas.

– Para os pais: Acolhimento com reuniões, assembleias e rodas de conversa, com o objetivo que estes  colaborarem com as ações propostas pela escola, ajudando na  promoção do desenvolvimento de atitudes de respeito à diversidade de falas e sentimentos expostos nas discussões e participações de grupo (nas reuniões, assembleias e rodas de conversa).

Conteúdos de Gestão Escolar
– Administrativo Levantamento dos sentimentos e falas dos alunos, elaboração de atividades com rodas de conversa,  escuta com dados do grupo de educandos e organização de atividades de socialização (retorno ás aulas)..
– Comunidade Estímulo à diálogos e  reflexão sobre o assunto.
– Estudo:  Estudo do momento pós- pandemia e discussões em rodas de conversa das emoções individuais da família e dos comportamentos das crianças. Elaboração de estratégias de combate a sentimentos de medo, angústias e necessidades familiares, para que haja  a informação aos professores, para o trabalho do todo com os educandos e comunidade escolar.

Tempo estimado:

Por volta de 4 meses ou mais, ou seja,  o tempo necessário para que todos (alunos e comunidade) possam estar com a auto-estima melhorada e com maior segurança para o enfrentamento de situações como a que surgiu (pandemia).

Material necessário
– Livros com histórias infantis sobre o assunto pandemia e os cuidados a serem levados em consideração (podendo ser construído pelo grupo), murais, cadeiras para as rodas de conversa, matérias pedagógicos para as brincadeiras (quadra, bambolês, e outros), sequências didáticas, questionários de diagnóstico (sobre os sentimentos e desabafos da comunidade/ responsáveis pelas crianças), acompanhamento e avaliação.

Desenvolvimento
1ª etapa – Diagnóstico
O diagnóstico será com base no acolhimento à professores, funcionários, pais e alunos, através de reuniões, assembléias e rodas de conversa. Num primeiro momento, a equipe escolar (equipe gestora), preparará  assembléias e rodas de conversa, para  um levantamento da escuta de todos os envolvidos. O primeiro acolhimento será com a equipe da escola (professores e funcionários), onde a fala e a escuta de cada um, será de extrema relevância para a continuidade dos trabalhos escolares. A equipe escolar em  horário de formação com os professores, depois da fala e da escuta de todos os educadores, planejará (equipe gestora, professores e funcionários) a reorganização do Calendário Escolar, e o  recebimento dos responsáveis/ pais na escola (reunião e rodas de conversa), e  fará análise com base nos relatos, nas atitudes, falas e comportamentos observados nestes momentos, sem fazer julgamentos. Os responsáveis pelos educandos  poderão responder a um questionário com perguntas sobre o enfrentamento familiar com relação a  pandemia e as dificuldades encontradas. Todas as informações servirão de base para o planejamento pedagógico, no retorno com os alunos, pós- pandemia.

2ª etapa – Participação dos funcionários
Todos devem ser envolvidos no projeto desde o início. Uma reunião com os funcionários do serviço de apoio/ cozinha e limpeza, deverá ser realizada,  para discussão sobre o trabalho que será desenvolvido na escola, no acolhimento aos alunos. A valorização e a participação deles é fundamental,  para que a escola se torne um lugar de respeito e de solicitude  quanto à fala, comportamentos, e á diversidade de atitudes dos educandos no pós- pandemia. Os funcionários poderão reunir- se entre os pares para estudarem o assunto e optarem por  modos de participação e elaboração de  uma ação pontual sobre o tema. O pessoal da cozinha e da limpeza, devem participar também, pois foram afetados por esta pandemia e estarão em contato com os alunos, no retorno ás aulas.

3ª etapa –  Envolvimento dos pais
O diálogo (roda de conversa) a respeito da pandemia, deve ocorrer  com os pais/ responsáveis (no acolhimento, solidarizando as pessoas que perderam seus entes queridos), para que eles relatem situações vividas por eles e pelos  filhos (pontos positivos e negativos com o isolamento social). A equipe escolar, poderá elaborar  um questionário para que os pais (ou responsáveis) respondam em casa (Como está sendo esse processo de isolamento social? Quais as expectativas das famílias com o retorno à escola? Quais as angústias?). Os relatos deverão ser  colocados em reunião do Conselho Escolar, onde todos poderão debater o assunto e pensar em maneiras de acolher melhor os educandos. Nas rodas de conversa/ reuniões ou assembleias,  os pais devem tomar ciência sobre  a responsabilidade que todos têm, na manutenção de um convívio salutar e seguro na escola e no lar, e que neste primeiro momento até que a vacina esteja a disposição de todos, em prol da segurança da saúde dos alunos, haverá um revezamento de frequência dia dos educandos (com número limitado de alunos por sala) com a obrigatoriedade do uso de máscaras, para que não haja perigo de contágio pelo corona- vírus.

4ª etapa – Encontros em reuniões/ rodas de conversa/ assembléias
Com a análise da reunião/ rodas de conversa realizada com os pais ou responsáveis (sobre os problemas, angústias e desabafos pós- pandemia),  serão dados pela equipe escolar esclarecimentos e agradecimentos a respeito da compreensão do isolamento social, aos responsáveis (pais/ comunidade), sendo que depois de realizados os diálogos e escutas, e de posse dos diversos questionários respondidos pelos pais/ responsáveis, a equipe gestora deverá realizar reuniões com a equipe pedagógica, para discutir um plano de trabalho e elaborar propostas para o acolhimento, recepção e encaminhamento do ensino- aprendizagem dos educandos. O objetivo é fazer com que o grupo formule sugestões para serem colocadas em prática, ou seja como receber os educandos, dando lugar às falas, angústias e sentimentos destes, elaborando rodas de conversa e atividades recreativas que possam socializá- los e trazê- los a um universo seguro, de paz e feliz (dentro da Unidade Escolar). Devem surgir algumas idéias, como eleger um dia da semana para rodas de conversa, de como poderemos melhorar o mundo- ou ainda promover momentos de contação de histórias para a conscientização de respeito aos colegas/ pais, professores, etc, e melhorias no planeta.

5ª etapa – Definição de conteúdos disciplinares
Sob a orientação do coordenador pedagógico, as professoras devem introduzir conteúdos ligados  á roda de conversas e atividades recreativas voltadas à adaptação à volta às aulas (socialização dos educandos), no planejamento das aulas, assim como a leitura de histórias e a análise de pinturas e desenhos pós-  pandemia, e a posterior produção (que pode ser exposta nos murais da escola).

6ª etapa – Documentação e acompanhamento
A equipe de gestão deve acompanhar de perto as atividades. Ao longo da proposta de ação, os relatos de pais, funcionários e professores devem ser registrados, assim como os questionários respondidos pelos responsáveis (pais), os quais serão compartilhados entre os educadores. Os alunos podem registrar/ expressar  através de desenhos, seus sentimentos e angústias que consideram importantes para combater corona- vírus.  Sempre que houver manifestações excessivas no comportamento das crianças de medo/ isolamento, etc , é importante realizar  reuniões / rodas de conversa com os envolvidos (pais/ responsáveis, professores, funcionários, alunos e equipe gestora).  O diálogo e a escuta entre as partes, é o melhor caminho  para a solução dos problemas no retorno ás aulas pós- pandemia.

Avaliação
As atitudes, os comportamentos de medo, angústia, falta de segurança pós- pandemia, etc  devem diminuir na escola e na comunidade. Ao fim de um período, toda a comunidade (pais/ responsáveis), podem responder a um novo questionário: como está o cotidiano da família em relação do início das aulas até o presente momento, pós pandemia? Que mudanças foram observadas? As respostas servirão de orientação para novas práticas pedagógicas e rodas de conversa.