Tarefa 6 – Curso REP! – Gladiston de Souza Coelho

Data

22 de junho de 2020

Cursista

Gladiston de Souza Coelho

Função

Professor Fundamental e Médio/ Professor

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

EMEF Dona Jenny Gomes

Proposta de ação para envolver toda a comunidade escolar.

Para se pensar a proposta de elaboração de um trabalho que envolva toda a comunidade escolar são necessárias ações que possam possibilitar a reflexão, discussão e concretização desse trabalho.

E imprescindível um debate inicial com a gestão, professores e todos os funcionários da Unidade Escolar, para que se possa pensar trabalho a ser desenvolvido, o modo, os espaços, tempos e os meios como essa ação será posta em prática;

Convidar, neste momento, a comunidade escolar, por meio de reuniões virtuais, ainda que muitos não possam participar, por diversos problemas aí envolvidos, a participar de um debate incipiente sobre a ação a ser posta. Para tal, os horários precisam ser pensados de maneira responsável, pensando os diferentes contextos da comunidade. A Unidade Escolar, com colaboração de professores, gestão e funcionários precisa fazer o máximo para entrar em contato com alunos e a comunidade escolar, por meio de telefones, e-mail, whatsapp, facebook, instagran, blogs, etc. Nós e nossa escola já estamos fazendo isso.

Discutir, inicialmente, os problemas envolvidos neste momento de pandemia, dando voz e vez a todos os participantes, a fim de que se possa conhecer as diversas realidades de nossa comunidade escolar, bem como conhecer e compartilhas as angústias dos envolvidos;

Explicitar o projeto a ser desenvolvido, convidando a todos a opinar, discutir, colaborar para se pensar as etapas a serem desenvolvidas;

Convidar a todos a repensar os problemas que afetam os alunos e toda a comunidade escolar, para, com isso, iniciar o processo de mapeamento. As ideias e reflexões discutidas precisam ser circuladas e compartilhadas para acomunidade escolar. Quando a comunidade escolar se sente participante, passa a colaborar, dar sugestões, valorizar o trabalho da unidade e a frequentar mais as reuniões;

Divulgar os estudos e pesquisas tratados para a comunidade escolar. Tentar envolver os diferentes atores sociais da escola, por meio de diálogos, reuniões ainda que virtuais, espaços de café pedagógico, rodas de conversas. É necessário ampliarmos a participação dos estudantes e da comunidade nos processos de decisão, com corresponsabilidade, diálogo e respeito;

Deixar claro quais são os problemas, nossos objetivos, nossos direitos e deveres e de nossos papéis na escola, para que se possa buscar o apoio dessas famílias na construção de ações para tentar minimizar os problemas da escola;

Além disso, é essencial criar e consolidar mecanismos e espaços de reuniões e de encontros, rodas de conversas, ainda que virtuais, devido ao momento de pandemia, propiciando a liberdade de expressão, com respeito ao outro e a nós mesmos;

Precisamos conhecer realmente nossa comunidade escolar e os problemas que a ela estão relacionados; a realidade econômica, social e cultural e das condições de trabalho de todos os funcionários da unidade escolar. Conhecendo nossa comunidade e ela tendo ciência de que a conhecemos, os laços estreitam-se e possibilita a participação maior;

Possibilitar a nós mesmo e à comunidade o questionamento de nossas práticas tradicionais e estarmos abertos à flexibilidade para mudanças e aceitação do outro;

De igual maneira, necessitamos de transparência nos processos administrativos e pedagógicos, transparência em nossas práticas e objetivos, para que posamos garantir acesso a informações e a legitimidade de fiscalização. Estarmos sempre abertos ao diálogo;

Outro fator também intrínseco é a formação gradual e constante, nos processos de ensino e de aprendizagem, de sujeitos políticos, críticos e solidários. Fortalecimento dos grêmios estudantis, criação de projetos que promovam a comunicação, divulgação e facilitação da participação dos pais e alunos nas reuniões escolares, podendo eles decidir também nos horários dessas reuniões, respeitando-se horários de trabalho de todos.

Creio que somente assim podemos realmente pensar práticas democráticas em nossos espaços escolares, o que pode ser o início de envolvimento gradual e constante dessa comunidade escolar. Nossa escola, felizmente, já realizou boa parte dessas ações, cuja participação da gestão, professores, funcionários, de alunos e pais de alunos está sendo muito importante.