Tarefa 6 – Curso REP! – GISELLE APARECIDA DE PAULA OLIVEIRA

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

GISELLE APARECIDA DE PAULA OLIVEIRA

Função

Professora de educação infantil e ensino fundamental I

DRE / Unidade Educacional

São Mateus

Escola

EMEI CLÓVIS BEVILÁCQUA

São Paulo,05 de agosto de 2.020

 

  • Nome: Giselle Aparecida de Paula Oliveira

 

  • R.F : 824.789-7

 

  • Unidade de lotação e exercício: E.M.E.I Clóvis Bevilácqua

 

  • Diretoria de ensino : São Mateus

 

               TEMA:  REFLEXÕES E AÇÕES ANTIRRACISTAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

 

  • Justificativa:

As escolas da rede pública de São Paulo  possuem grupos heterogêneos, com suas distintas histórias e vivências. Diante disto, torna-se imprescindível  a reflexão sobre as possibilidades que os espaços de ensino oportunizam para que as crianças e  comunidade escolar possam expressar-se contemplando os direitos de fala e propriedade em se partilhar relatos que são vivenciados distintamente por grupos que são historicamente silenciados.

 

  • Finalidade:

 

 Estimular a reflexão sobre  práticas  e metodologias pedagógicas na educação infantil, contemplando os conteúdos oriundos deste ciclo, mas  também refletindo sobre a subjetividade das crianças e a necessidade de possibilitarmos ações e atividades  antirracistas de  forma permanente nos espaços de ensino.

 

  • Objetivo:

 

  • Oportunizar momentos formativos aos educadores da unidade escolar (horários coletivos, reuniões pedagógicas, entre outros);
  • Possibilitar reflexões à comunidade escolar  sobre a diversidade étnica e cultural presente em nossa unidade de ensino, assim como a importância de valorizarmos esta pluralidade e dialogarmos permanentemente os fatos vivenciados pelas crianças, familiares e educadores no espaço intraescolar e extraescolar.
  • Construir vivências pedagógicas com as crianças embasadas no seu protagonismo, e na escuta de suas falas como ponto de partida  para o desenvolvimento de ações de mediação e de reflexão dos educadores sobre o entendimento e respeito a identidade e subjetividade de cada indivíduo.

 

  • Duração:

 

Poderá acontecer durante todo o ano letivo. Sugere-se que os encontros formativos dos membros da comunidade escolar sejam mensais ;as atividades construídas com as crianças a partir das reflexões alcançadas pelo grupo de educadores e familiares poderá ser  realizada semanal ou quinzenalmente.

 

  • Quais serão as ações:

 

  • Encontros formativos para partilha  de relatos e experiências de pessoas com propriedade em práticas e vivências antirracistas;
  • Apresentação de expressões culturais que valorizam o repertório histórico plural do nosso país (desenvolvimento de festas culturais, “dia da família”, entre outros momentos que forem oportunizados);
  • Rodas de conversa, rodas de música, leitura deleite e atividades artísticas de livre expressão das crianças para que tenham acesso a diferentes formas de manifestação cultural, contemplando sempre a subjetividade de cada pessoa;
  • Passeio extraescolares ao museu Afro Brasil, museu do Índio e museu da Imigração;
  • Exposição no final do ano letivo das atividades realizadas em fomento a reflexão e desenvolvimento de ações e iniciativas antirracistas.

 

  • Avaliação:

A avaliação será contínua e coletiva, realizada pelos educadores, comunidade escolar e crianças, pelo desenvolvimento de ações antirracistas e reflexões sobre os avanços subjetivos e grupais alcançados.