Tarefa 6 – Curso REP! – Flavio Medeiros da Silva

Data

22 de julho de 2020

Cursista

Flavio Medeiros da Silva

Função

Professor de Educação Infantil e Fundamental I

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

EMEF VISCONDE DE CAIRU

Tarefa – Curso Respeitar é Preciso

Flavio Medeiros da Silva

Tema proposto – A Empatia no Chão da Escola

Justificativa

            Uma das problemáticas da minha unidade escolar se concentra na falta de sensibilidade e empatia em relação ao outro. Essas questões têm gerado grandes problemas de relacionamento, como bullying. A partir do mapeamento realizado na escola se identificou essa questão como um desafio a ser enfrentado dentro da perspectiva do Respeitar é Preciso. A partir das demandas que a unidade escolar apresenta, verifica-se a necessidade e possibilidades de trabalho que qualifique as relações na escola e desenvolvendo a empatia e a cooperação entre os sujeitos escolares.

A palavra “empatia” tem origem grega, empatheia, que significa paixão ou ser muito afetado. A empatia é compreendida, de outro modo, como a capacidade de considerar e respeitar os sentimentos alheios, de se colocar no lugar do outro, ou vivenciar o que a outra pessoa sentiria caso estivesse em situação e circunstância similar (Silva, 2008). É por meio da empatia que construímos o respeito e a solidariedade no seio da escola. Nesse sentido, essa proposta de trabalho se justifica como necessária para a construção dos direitos humanos e de relações harmônicas e fraternas.

Quais organizações da UE estarão envolvidas como protagonistas:

Nessa proposta estarão envolvidos como protagonistas o Grêmio Escolar, juntamente com os docentes e equipe gestora, intervindo em toda a escola.

Finalidade

A intenção de se promover essa proposta é desenvolver um trabalho na perspectiva do respeitar é preciso que melhore as relações humanas na unidade escolar, construindo um ambiente mais harmonioso, que favoreça a aprendizagem dos educandos e a experiência deles com a escola.

Objetivos/Resultados esperados

Os objetivos dessa proposta de trabalho se concentram em desenvolver a humanidade e a empatia entre os indivíduos da unidade escolar, melhorando as relações humanas. Espero que esse trabalho conduza a todos os envolvidos na unidade a refletir sobre si e o outro, ampliando os laços, desenvolvendo a empatia e a tolerância, o espírito crítico e reflexivo na construção de relações colaborativas e solidárias.

Duração

Para essa ação o tempo previsto é de 1 bimestre.

Quais serão as ações

  • Sensibilização: A proposta inicial é sensibilizar os estudantes do Grêmio Escolar a respeito das relações humanas, das diferenças e particularidades de cada indivíduo e a importância das relações. Para essa sensibilização será apresentado o vídeo “A importância de cada um no grupo e o respeito”, bem lúdico que vai aguçar a reflexão dos gremistas. Após a exibição se abrirá a discussão, ampliando o debate, favorecendo a reflexão do grupo. Em seguida a proposta é exibir o curta-metragem de animação Dia Mundial da Gentileza, impulsionando a participação dos estudantes.
  • Formação: Nesse momento a proposta é desenvolver um momento de formação com os gremistas e equipe docente em relação a empatia no contexto da escola. Essa palestra será desenvolvida por professores da unidade que realizaram o curso Respeitar é Preciso, que instigará a comunidade a refletir sobre as relações humanas na escola.
  • Mapeamento: a proposta é mapear os principais problemas de relacionamento que afetam as relações entre os sujeitos da escola. Os estudantes gremistas vão observar o contexto educacional e realizar pesquisa com os demais estudantes sobre os problemas humanos que mais afetam as relações na escola. A ideia aqui é desenvolver o protagonismo estudantil e não chegar com tudo pronto, mas desenvolver um projeto flexível e em consonância com a realidade escolar.
  • Reflexão e Construção das Ações: Embasados com as discussões, reflexões e dados das pesquisas, os gremistas vão sistematizar esses dados, analisar, refletir e construir ações que sensibilize a comunidade escolar e a leve a refletir visando qualificar as ações e relações humanas. Toda essa ação será mediada pelos professores e equipe gestora.
  • Mãos à Obra na Escola: A proposta é que os gremistas desenvolvam atividades, dinâmicas e propostas de trabalho com os estudantes da escola que estejam alinhadas com os princípios do respeitar é preciso. Não será explicitado as ações nesse plano, pois a ideia é que essa etapa seja construída e elaborada pelos gremistas, com a mediação dos docentes. O objetivo não é vim com ações prontas e impositivas, mas construir juntamente com o coletivo de gremistas e docentes ações viáveis e necessárias as necessidades da unidade escolar, identificado no mapeamento. Essa etapa consiste em realizar práticas que permita a reflexão, sensibilização e mudança de postura da comunidade escolar, possibilitando a construção de relações mais próximas e harmônicas.

Avaliação

Os resultados serão verificados por meio da avaliação de todo o grupo, através da discussão, práticas desenvolvidas, reações dos educandos e clima construído no ambiente escolar. Em todo processo será avaliado as atividades e ações desenvolvidas.

 

Referência Bibliográfica

Silva, A. B. B. (2008). Mentes perigosas – O psicopata mora ao lado. Editora Fontanar, p.15-40.