Tarefa 6 – Curso REP! – Flavia Aparecida dos Reis Boy

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Flavia Aparecida dos Reis Boy

Função

Coordenador Pedagogico

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

Cei Santa Tereza

CEI SANTA TERESA – PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO DE  EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS 

Sou coordenadora pedagógica na rede municipal, iniciei  meu trabalho na unidade escolar em janeiro de 2020, infelizmente só tive  relacionamento presencial , com toda equipe. até meados  do mês de março. No entanto neste pequeno período percebi, através de observações, registros em livros de ocorrências e termos de visitas e conversas com varias pessoas da unidade escolar que existe um grande problema de relacionamentos entre  funcionários, professores, famílias e gestores. Encontrei vários registros de discussões entre professores e entre funcionários onde se imperou a incivilidade e o desrespeito, registros e relatos de várias discussões aos gritos entre professoras e familiares de bebês e crianças. relatos de grande dificuldade da diretora em conseguir falar com o grupo de professores.  Percebi também, Comissões de Mediação de Conflitos, CIPA e Conselhos de Escola esvaziados. e na unidade escolar não se tem o hábito de registrar as reclamações dos pais e familiares,  há ainda ausência de espaço para se atender os responsáveis, estes muitas vezes são atendidos no corredor, no momento de entrada e saída. Percebi também, uma grande animosidade por parte de alguns professores com relação as famílias dos bebes e crianças e por ultimo percebi por parte de alguns poucos professores, Graças a Deus, uma rispidez e falta de zelo no cuidado com as crianças.

A partir dai pensei que dentro de minhas pautas formativas se fazia necessário  abordar aspectos, como dialogo, respeito, fortalecimento da gestão democrática e acolhimento das famílias, Devido ao inicio  do isolamento  social eu só tenho conseguido atingir o grupo de professores,  pois uma parte da equipe de apoio está afastada e outra foi demitida com a diminuição dos contratos de merendeiras e limpezas. a ideia inicial era não só trazer essa temática nos horários de estudos coletivos, mas nas reuniões pedagógicas e reuniões de Conselho de Escola, envolvendo professores, funcionários e famílias. Devido a Pandemia do COVID 19 e ao numero de problemas encontrado penso agora, após  a finalização do curso RESPEITAR  È PRECISO que o desenvolvimento dessa proposta de trabalho deve se dar em 2020 e 2021.  envolvendo todos os profissionais da unidade escolar e todos os espaços formativos, organizando esses espaços  de maneira que possamos refletir sobre nossas dificuldades enquanto instituição, perceber os problemas, mapear os pontos críticos ondem acontecem os conflitos, melhorar a comunicação, trazendo o ouvir, acolher, o não julgamento.

Nesse momento em horário de formação com as professoras tenho trabalhado sempre com o objetivo de acolher as famílias de bebes e crianças, de conhecer essa família, dialogar, e evitar o julgamento, mas nesse momento só tenho o grupo de professores, Temos nos esforçado para fazer um plano de trabalho virtual trazendo acalento para as famílias, respeitando as situações onde cada uma delas se encontram, Temos discutido também o   cuidado e acolhimento da volta as aulas. Mas para além do acolhimento que se faz necessário agora, a finalidade dessas pautas formativas é formar uma comunidade escolar que realmente entenda  cada sujeito como um ser de direitos:  bebes, crianças, funcionários , famílias  todos e todas  tem direito a dignidade, ao respeito, a ser ouvidos,  a não serem discriminados ou humilhados a serem respeitados em sua diversidade  e principalmente a uma convivência democrática que acolhe a todos e a cada um.

E finalmente penso que o objetivo maior desse trabalho e  criar uma cultura de respeito mutuo, de convivência  harmônica que leva a criação de uma comunidade educativa que tem a responsabilidade de educar e cuidar de bebes e crianças  de forma plena, feliz e integral.

As ações devem ser voltadas para pautas formativas em reuniões pedagógicas , de pais, comissões e conselhos voltadas para diversidade, discriminação, dialogo, respeito, humilhação e direitos humanos, bem como o mapeamento por parte da equipe escolar dos estopins de conflitos, a fim de reorganizar tempos e espaços que minimizem estes conflitos e criem uma cultura de acolhimento, dialogo e respeito.  e avaliação deve se dar durante todo o processo se utilizando de varias formas de dialogo e registros,

 

Flavia A R Boy/agosto de 2020

Desejos de dias melhores para todos!