Tarefa 6 – Curso REP! – Erika da Costa Machado

Data

2 de agosto de 2020

Cursista

Erika da Costa Machado

Função

Professora Ens. Fund. II e Médio

DRE / Unidade Educacional

Pirituba / Jaraguá

Escola

EMEF José Kauffmann

Elaboração de um projeto como atividade de conclusão de curso
Elaborado por Erika da Costa Machado. RF 8462216

Tema do Projeto : EDH – O retorno as aulas na Educação Infantil – uma proposta de atividade e orientações para a pós-pandemia.

 

Justificativa: A epidemia Covid-19 promoveu uma série de reflexões sobre a transmissão e contágio do vírus que levaram à muitas mudanças de comportamento dos indivíduos e de regras de higiene nas práticas cotidianas. Nosso desafio aqui é propor ferramentas, reflexões e práticas de ensino e aprendizagem quando do momento da volta às atividades escolares. Consideramos que a educação que pretendemos trata de aspectos que são “permanentes e globais, complexos e difíceis, mas não impossíveis” (M. V. BENEVIDES in Orientações para a EI).

Por mais, que estejamos ainda no platô de contaminações no país, faz-se urgente e necessário repensar a volta às atividades escolares, já que o trabalho educativo tem que continuar, de uma forma ou de outra, que é o que pretendemos justificar no presente.

A criança, a partir de seu nascimento, é considerada como sujeito ativo quando nos referimos a Educação em Direitos Humanos. Considerar suas necessidades dentro de uma aplicação pedagógica que se pretenda justa e democrática equivale a assegurar o cumprimento de seus direitos básicos: o direito ao desenvolvimento infantil, à convivência na sociedade, ao aprendizado de qualidade, bem como a sua integridade física e emocional.

 

Quais organizações da UE estarão envolvidos como protagonistas: O projeto possa ser aplicado tanto em CEIs (Centro de Educação Infantil) quanto EMEIs (Escolas Municipais de Educação Infantil). Envolveremos alunos e a equipe pedagógica neste projeto.

Finalidade: Realização de atividades práticas de ensino e aprendizagem na volta as aulas após o período da pandemia, adotando-se práticas de prevenção em saúde a fim de conscientizar sobre o momento histórico sensível que vivenciamos.

Consideramos que o cotidiano escolar não será mais o mesmo de uns meses atrás. Neste intento, é preciso ter como princípio norteador que as crianças devem ser tratadas com dignidade e ética, tendo o educador em mente que apesar de todos os desafios e exigências impostas pela situação sanitária é preciso manter o respeito a infância e o seu momento de desenvolvimento.

A intervenção consiste em propor atividades lúdicas, jogos e interações. O professor atuará como mediador, alertando sobre as regras do jogo e motivando os alunos a atuar de forma ativa e responsável nas atividades propostas e à refletirem sobre suas práticas.

 

Objetivos/Resultados esperados:

O objetivo da atividade é permitir aos alunos o diálogo e a reflexão sobre o momento atual através de atividades lúdicas de ensino e aprendizagem. Por exemplo, em uma atividade de jogo, os alunos serão previamente advertidos sobre as regras de higiene antes, durante e após o término da atividade proposta. Assim, será preciso, por exemplo, o uso de álcool em gel para limpar suas mãos antes de manusearem os brinquedos, o uso de um tapete para que os objetos não fiquem em contato com o chão. Sendo que todas estas ações são precedidas de uma conversa entre professores e alunos, onde se explica o porque não deixar o brinquedo no chão, sobre o porque de limpar bem as mãozinhas, sobre o porque não levar a mão a boca durante a brincadeira, sobre o porque as pessoas na rua estão andando de máscaras, etc..

Certamente durante a conversa, as crianças irão querer comentar sobre o que elas viram em casa ou na rua. É importante escutar estas histórias que eles levam para a escola. É importante que os professores compartilhem histórias transformando a brincadeira em um momento sério (e divertido) de troca, de ensino e aprendizagem. Dar voz a criança equivale a que ele assuma o protagonismo, significa fortalecer o sentimento de pertencimento e de acolhimento na escola, permitindo ao seu tempo que ela entenda e aplique o que ela recebeu de orientação de pais e professores, por exemplo, quando nos referimos a saúde e bem-estar no pós pandemia.

 

Duração: O projeto pode ser desenvolvido nas horas de interação entre os alunos, por um período de 2 horas. De toda forma, as regrinhas de higiene valerão durante o período de permanência na escola.

 

 

Quais serão as ações :

A atividade pode ser desenvolvida em diversos momentos do dia no cotidiano escolar do aluno. Por exemplo, quando no CEI for a ocasião de atividades lúdicas e uso de jogos. Ou quando nos EMEIs for momento de desenvolver atividades de pintura, desenho e massinha.

 

Avaliação : As crianças serão avaliadas durante a atividade. O professor pode adequar a atividade conforme a necessidade singular do aluno, afinal é preciso perceber cada grupo e indivíduo em um contexto e na sua singularidade à fim de compreender seus modos de viver e aprender, conviver, brincar e divertir-se. Para isso, é necessário que os educadores permaneçam atentos e disponíveis para discutir e intervir perante as experiências e conflitos que possam ocorrer.