Tarefa 6 – Curso REP! – ELIZAMA HELLEN MIGUEL BALBINO

Data

17 de junho de 2020

Cursista

ELIZAMA HELLEN MIGUEL BALBINO

Função

Professor de Ed infantil

DRE / Unidade Educacional

São Miguel Paulista

Escola

Cei Maestro Arturo de Angelis

Plano de Ação- Volta às aulas

Primeiramente, vale ressaltar que o retorno às aulas será encarado como um desafio para nós, professores, diretores e toda comunidade escolar. Em um primeiro contato, será importante validar o impacto emocional nos bebês, crianças, famílias e profissionais da Educação e buscar um retorno gradual com devidas precauções. Será necessário saber como será cumprida a carga horária exigida por Lei, manter comunicação frequente com os pais e responsáveis. Durante esse período encontramos um fortalecimento da relação família-escola e a  tecnologia como uma forte aliada, podendo ser usada de forma contínua.

Não será uma “retomada de onde paramos”.  Teremos que resgatar memórias afetivas das crianças em relação aos espaços da escola, da relação com os professores, com os pais e consequentemente relembrar todas as regras de convivência.

O plano de ações deve contemplar diversas frentes e demandará intensa articulação e contextualização na unidade escolar. O contexto da pandemia criou um cenário completamente novo para nós, que deixará marcas a médio e longo prazos e exigirá cuidados, como o retorno gradual das aulas, levando em conta as orientações para a saúde e o bem-estar. Quando se trata do cuidado com bebês e crianças tão pequenas, esse trabalho se torna ainda mais difícil e deve ser considerado com  atenção redobrada.

Será necessário, também, estabelecer medidas de saneamento para o retorno das aulas, pois, a partir do momento que recebemos a criança, tudo o que acontece com eles é responsabilidade da instituição. E perante o retorno pós pandemia, esse relacionamento será ainda mais sensível. Assim, penso que os gestores, professores e funcionários, precisam preparar o ambiente escolar, seguindo todas as medidas de saneamento, recomendadas pelos órgãos oficiais da saúde, especialmente com a disponibilização dos materiais como álcool gel e máscaras. Ao tocar nesse assunto, vale pensar que muitas crianças não permanecerão com a máscara no rosto ( julgo uma das minhas maiores preocupações, e no caso, dos bebês, tocam em tudo o tempo todo e permanecem no chão por longo período para que possam explorar todos espaços, brinquedos e vivências propostas.

Será preciso, e de grande importância elaborar e desenvolver um plano de capacitação para toda equipe da escola com relação aos procedimentos e protocolos recomendados para o Covid-19.

Vale ressaltar a prudência de já preparar um plano alternativo para o cenário com o retorno às aulas parcialmente, ou seja, com escalas por turma ou por “alunos”, e montar o plano de comunicação para o retorno das aulas, comunicando essas ações e programações, de maneira objetiva, clara e transparente para toda a comunidade escolar, utilizando como ferramenta campanhas de comunicação nas redes sociais (posts, vídeos, comunicados, animações) e na escola (cartazes e orientações gerais) com relação aos procedimentos a serem adotados e seguidos por todos, utilizando linguagem e conteúdo motivadores, estimulantes e que passem confiança a toda a comunidade escolar, ajudando na conscientização e motivação de todos para o enfrentamento da crise.