Tarefa 6 – Curso REP! – Caroline Machado Angelini Fernandes

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

Caroline Machado Angelini Fernandes

Função

Professora de ensino fundamental e médio

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

EMEF Hercília de Campos Costa

PLANO DE AÇÃO

 

Tema: Discriminação

Local: EMEF Hercília de Campos Costa

Tempo Previsto: Um ano, com uma roda de convivência no final de cada bimestre.

Público: Comunidade escolar (gestão escolar, professores, alunos e funcionários)

Professor Responsável: Caroline Machado Angelini Fernandes RF.:846.912-1

Introdução:

Art. 3º: Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: IV- promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação (Brasil 1988).

Justificativa:

Diante da constatação da existência de atitudes de discriminação e preconceito enraizados na cultura social, que são contrárias a um convívio pacífico, saudável, respeitoso, e que tais atitudes são precursoras da agressividade e de violência, faz se a necessidade de estabelecer procedimentos e condutas no sentido de diminuir essas atitudes até alcançar a total eliminação destes problemas.

Entendemos que o agente de mudança é o aluno, que adequadamente incentivado e orientado pode se transformar no cidadão agente que a sociedade necessita.

Torna-se necessário o envolvimento do corpo discente, corpo docente, gestão, grupo de apoio, todos trabalhando de modo conjunto, usando a escola como um lugar de formação integral do cidadão, tendo em mente que a diminuição destes problemas impactará no rendimento escolar de modo positivo.

Objetivos:

Objetivo Geral

O objetivo principal é a realização de uma roda de convivência que consiste na leitura aleatória de depoimentos escritos e colhidos entre os alunos da escola, de forma anônima, durante a semana que antecede a realização da roda de convivência.

Após a leitura, juntos, refletir e discutir estratégias para combater, diminuir ou até mesmo evitar a discriminação dentro e fora da escola.

Objetivos Específicos

  • Combater toda forma de discriminação;
  • Oferecer ao aluno oportunidades de expor conflitos entre o indivíduo e o círculo social que está inserido;
  • Propiciar momentos de reflexão;
  • Estruturar e treinar a escuta qualificada;
  • Observar atentamente acontecimentos na sala de aula, na escola, na comunidade, que sugiram estereótipo, discriminação ou preconceito;
  • Incentivar o respeito às diferenças;
  • Articular com outros projetos em andamento, ou novos projetos, de tal modo a incentivar a construção de intervenções educativas que instaurem ações transformadoras para melhoria social.

Fundamentação metodológica:

  •  Constituição da República Federativa do Brasil – 1988
  •  Currículo da Cidade (São Paulo: SME/COPED, 2019)

Metodologia e Procedimentos:

  •  Orientação de professores, alunos e funcionários sobre o plano de ação;
  •  Elaboração da caixa coletora dos depoimentos;
  •  Coleta de depoimentos anônimos;
  •  Realização de uma roda de convivência, no pátio, ao final de cada bimestre;
  •  Leitura dos depoimentos;
  •  Reflexão e discussão dos temas abordados.

Avaliação:

A avaliação será contínua para o dia a dia e para todos os momentos observando o envolvimento e evolução do corpo discente durante todo o processo.

Considerações Finais:

Esse plano pretende incentivar e elevar a participação do aluno na sua evolução pessoal, com apoio da comunidade escolar, incentivando-os à apropriação de valores que excluam da sua vida ações de discriminação.