Tarefa 6 – Curso REP! – Camilla Zillig de Barros

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Camilla Zillig de Barros

Função

Professor de Ed. Infantil e Ensino Fund. I

DRE / Unidade Educacional

Capela do Socorro

Escola

EMEI Jardim Lucélia

Curso: “Respeitar é Preciso! – a Educação em Direitos Humanos e a atuação das Comissões de Mediação de Conflitos”

Camilla Zillig de Barros RF: 778.174.1

Professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental I

EMEI Jardim Lucélia

Construindo a identidade na Educação Infantil em um contexto de igualdade e diferença por meio da música

 Justificativa

Considerando que a educação infantil é a base inicial do processo educativo, esta deve ser um ambiente onde a infância possa ser vivida em toda sua plenitude, possibilitando o pleno desenvolvimento dos aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade, pois, ao nascer, o indivíduo encontra-se inserido em um grupo social alicerçado nos valores culturais presentes na sociedade.

Tendo em vista a necessidade de construção de um currículo integrador fundamentado no respeito à diversidade e no respeito às especificidades das crianças buscou-se propor um projeto de intervenção que abordasse a questão das diferenças por meio da Linguagem Musical, presente no cotidiano das Escolas Municipais de Educação Infantil da rede municipal de São Paulo.

 Público alvo

O projeto destina-se aos profissionais, familiares e crianças da EMEI em qual atuo, buscando que todos se sintam atuantes e pertencentes ao território do qual fazem parte.

Duração

A aplicação do projeto poderá ocorrer durante todo o ano letivo, visto que a Linguagem Musical está presente em todo o processo da Educação Infantil.

 Objetivo

Pretende-se desenvolver diversos aspectos e identidades, utilizando brincadeiras e jogos cantados, explorando o corpo, construindo pontes entre o ambiente familiar e institucional, ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros, levando em conta culturas de família e preferências na construção do currículo; expressar sentimentos através da arte e do brincar de modo que todos aprendam uns com os outros por meio de uma abordagem que exclua o preconceito e todos participem como cidadãos ativos.

 Material e Método

A pesquisa está sendo baseada em materiais diversos: livros, vídeos, fotografias, CDs e DVDs os quais abordam o tema, bem como no projeto “Grandes Pequeninos” desenvolvido pelo cantor Jair Oliveira o qual aborda desde os primeiros momentos da vida do bebê com seus pais e agregados, por meio da música e imaginação a comunicação do ser humano torna-se amor, arte e poesia.  Estão previstas, além das fontes citadas anteriormente, entrevistas com educadores e pessoas envolvidas na aplicação deste projeto.

Avaliação

A análise dos resultados ocorrerá a partir dos conteúdos apresentados e atividades desenvolvidas, por meio das entrevistas e oficinas realizadas com os educadores, funcionários, famílias e educandos envolvidos no Projeto, buscamos compreender que o conteúdo em questão, Linguagem musical será absorvido de maneira integradora, favorecendo a mudanças de posturas e práticas com relação a   exclusão de preconceitos e uma educação mais justa e igualitária para todos e valorizando as diversidades existentes.

Resultados Esperados

A Linguagem Musical propicia a interação entre a família e a escola, esperamos que ao valorizarmos as vivências e preferências das famílias haverá maior participação de todos e todas. Com a confecção dos instrumentos musicais, e com a realização de jogos e brincadeiras cantadas, será possível expressar sentimentos, brincar e aprender uns com os outros.  Acreditamos que esse projeto contribuirá para o enriquecimento a respeito de novas práticas de ensino, as quais favorecem uma educação inclusiva e pautada nos Direitos Humanos. Com a construção de um currículo integrador o qual leva em conta as culturas das famílias, toda criança, familiares e membros da equipe desenvolvem o sentimento de pertencimento, desse modo as diversidades e identidades são valorizadas levando todos a serem protagonistas de sua própria história.