Tarefa 6 – Curso REP! – Camila Martins Moreno Barja

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

Camila Martins Moreno Barja

Função

Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental 1

DRE / Unidade Educacional

São Miguel Paulista

Escola

Ceu EMEI Dr. Carlos Olivaldo de Souza Lopes Muniz

Curso Respeitar é Preciso! Comissões de Mediações de Conflitos. – Uma parceria do Instituto Vladimir Herzog e da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo.

Camila Martins Moreno Barja, RF: 722666-7

Data:05 de agosto de 2020.

Elaboração de uma proposta de ação para envolver toda a comunidade escolar.

Justificativa:

Trabalho no CEU EMEI Dr. Carlos Olivaldo de Souza Lopes Muniz, com crianças entre 4 e 6 anos de idade, na periferia de São Miguel Paulista, de classes sociais diversas e algumas em situação de extrema vulnerabilidade social. Diante dessa questão de voltar ou não as aulas presencias ou continuar com o ensino remoto emergencial. Surge a opor­tu­ni­da­de de ­pen­sar novas es­tra­té­gi­as pa­ra esse momento de retomada e não simplesmente voltar ao que era antes. Precisamos de um planejamento que preserve as condições sanitárias dos profissionais e também das crianças, há diferenças sensíveis entre as realidades de cada criança/família, bem como profissionais da educação, marcadas sobretudo quando se fala em ensino público, infelizmente essa pandemia vem ressaltar as desigualdades que já conhecíamos, mas que não conseguimos ainda superar. Almejando desencadear reflexões e ações que potencialize esse momento de retomada, no intuito de garantir, valorizar e preservar a dignidade de todos, bem como a educação em direitos humanos e direitos, equidade e ressignificação das nossas práticas pedagógicas.

 

Envolvidos:

Pretendo envolver como protagonista nesse processo de discussão e reflexão os vários membros da equipe escolar, primeiramente funcionários (equipe gestora, professores e quadro técnico), uma vez que se faz imprescindível dar “voz e ouvidos” à todos nesse momento de retomada das atividades presenciais. Através das reuniões semanais pelo “Teams”, reuniões de Conselho Escolar e Associação de Pais e Mestres (APM). “Uma vez que na democracia há que se ter espaço para diferenças, compromisso com o bem comum, possibilidade de diálogo dos diferentes sujeitos políticos e possibilidades de diferentes opiniões, porém imperando o respeito mútuo, diálogo, negociação e confiança.

Finalidade:

Visando a formação de uma cultura de respeito à dignidade humana em todos os aspectos e diante da perspectiva de mudanças e transformação da realidade social. Acredito que quando as decisões são tomadas coletivamente se partilham também as responsabilidades, uma vez que em algumas situações vivenciadas na minha unidade escolar, vejo que algumas pessoas tiram a sua responsabilidade quando não se colocam em alguma situação existente nas dinâmicas escolares e assim de eximem de seu compromisso com o fato, mas acredito que um dos papéis da Comissão de Mediações de Conflitos seja o de identificar,  provocar,  certas reflexões coletivas em prol do bem comum. Todos precisam de fato perceber o quanto sua participação, a escuta qualificada, a construção de uma relação de confiança, acolhida, o pensar juntos são fundamentais para uma educação de qualidade e sintam-se responsáveis e se apropriem de fato das várias nuances existentes no dia a dia escolar.

Objetivos/Resultados Esperados:

Garantir a participação de todos, o diálogo permanente e projetar novas possibilidades.

Espero que haja uma discussão coletiva de quais providencias devem ser tomadas para esse momento de retomada as aulas presenciais, sejam elas este ano ou somente em 2021, mas o fato é que a escola deve desde agora se preparar para o acolhimento seguro de nossas crianças, funcionários e famílias, planejando as mudanças necessárias no espaço físico da unidade escolar. Uma vez que a equipe gestora conduz as várias situações de forma aberta, democrática e possibilita o diálogo. Mas percebo que nem sempre todos participam mesmo havendo hoje essa abertura e que alguns não se abrem para a mudança, não aceitam, assim como no curta-metragem “O dia em que Dorival encarou a Guarda” e me vejo algumas vezes cumprindo regras, sem refletir porque são de tal maneira nem porquê se perpetua no ambiente escolar. Espero que haja um espírito de coletividade e responsabilidades compartilhadas.

Ações:

Disponibilizar os Cadernos do Respeitar é Preciso! (Diversidade e Discriminação; Respeito e Humilhação; Mediação de Conflitos; Democracia na Escola; EDH para todas as idades; Sujeitos de Direito e Respeito na Escola), para ampliar a reflexão e almejando um ação transformadora diante das relações vivenciadas no cotidiano escolar. A fim de problematizar discursos e práticas existentes no chão da escola.

Contribuir e compartilhar com minhas reflexões e vivências no decorrer do nosso curso. Procurando sempre me remeter aos ensinamentos diante dos Direitos Humanos na Educação, valorizando e preservando a dignidade humana.

Realizar as mudanças necessárias para a acolhida das crianças, tendo a opinião do grupo, mesmo que saibamos que o conflito é parte desse processo de tomada de decisões. Tarefa está trabalhosa, porém necessária para obtermos uma escola democrática.

 

Avaliação:

Pensando que os espaços também são educadores e fazem parte das questões educacionais, muito se tem a melhorar, pois o que ontem acreditávamos ser bom, hoje já não pensamos da mesma maneira, está diferente, o mundo está em constante transformação e a escola, o espaço escolar, também deve ser ativo, dinâmico. Acredito que a participação, a ampliação do meu olhar e a mudança de comportamentos seria uma maneira de verificar os resultados.

 

“O principal objetivo da educação é criar pessoas capazes de fazer coisas novas e não simplesmente repetir o que outras gerações fizeram…” (Paulo Freire)