Tarefa 6 – Curso REP! – Beatriz Cirina Carvalho Machado

Data

23 de julho de 2020

Cursista

Beatriz Cirina Carvalho Machado

Função

PEI

DRE / Unidade Educacional

Campo Limpo

Escola

Gumercindo de Pádua Fleury

Proposta de Ação para EDH

Proposta: Espaço de Cultura dentro da Escola – CEI Gumercindo de Pádua Fleury

Justificativa:

Nos espaços de CEI algumas normas impedem que as crianças saiam para espaços culturais da cidade, como parques, teatros, museus, etc.

Assim eles ficam privadas de ocupar esses espaços, não reconhecendo essas atividades tão importantes como conhecimento e aprendizado. Ficando assim limitadas ao seu território. Mas isso não pode nem deve ser empecilho para tornar o espaço escolar um promotor de cultura.

Finalidade:

A proposta é mapear o território onde se localiza o CEI Gumercindo de Pádua Fleury e articular parcerias para que as crianças tenham acesso as culturas periféricas ao seu entorno. Promovendo ações dentro do ambiente escolar.

Objetivo:

Como a locomoção dessas crianças exige uma organização muito complexa o objetivo é que a escola proporcione para as crianças e suas famílias ações culturais de seu próprio território. Essas ações também podem acontecer por parte da equipe escolar articulando ações onde possamos compartilhar saberes.

Ações:

No mapeamento do território onde está localizado o CEI Fleury, se encontro várias instituições culturais: Fábrica de Cultura Jardim São Luiz, Casa de Cultura e Educação São Luiz e Casa do Zezinho.

A intensão é trazer para a escola propostas culturais que acontecem nesses espaços para dentro do CEI. Proporcionando assim o acesso a cultura é valorização do seu próprio território.

Planejar ações também juntamente com a equipe escolar, interlaçando todas as áreas e espaços. Transformando a escola em um espaço de partilhas.

Duração:

A ideia é que a proposta faça parte da identidade da escola, procurando sempre articular ações em parceria com a comunidade escolar.

Avalição:

Transformando o espaço escolar em um ambiente que promove e valoriza a cultura do território, surge uma consciência de pertencimento daquele espaço. Assim a comunidade se sentirá parte dele, porque ali acontece ações que dialogam com as produções de cultura que eles valorizam e reconhecem.