Tarefa 6 – Curso REP! – ANDREA CECÍLIA DA SILVA HESSEL

Data

27 de julho de 2020

Cursista

ANDREA CECÍLIA DA SILVA HESSEL

Função

Assistente de Direção

DRE / Unidade Educacional

Capela do Socorro

Escola

Emei Recanto C. Belo- Prof°Dirce Zillesg Borges dos Santos

                             PLANO DE AÇÃO: ” Educação em Direitos Humanos e a Pandemia”

JUSTIFICATIVA:

Considerando:

  • O CEI (Centro de educação Infantil) a primeira etapa de educação, espaço privilegiado para interações e múltiplas vivências;
  • As concepções de Infância e a educação para a equidade;
  • Os Cadernos do Projeto Respeitar é preciso!
  • O desenvolvimento das ações já realizadas na Unidade Escolar por meio de reuniões de formação com os Membros da Comissão de Mediação de Conflitos e nos momentos que se fizeram necessários;
  • A necessidade de aprimoramento constante visando ampliar e qualificar o espaço formativo dos atores e mobilizadores da organização, desenvolvimento e condução dos encontros voltados para a discussão e reflexão da Educação em Direitos Humanos e das ações cotidianas que acontecem nas relações, tempos e espaços da escola.
  • A situação atual causada pela pandemia da Covid- 19, o que trouxe a todos uma série de desafios  e expectativas que requerem novos contextos e vivências;
  • A necessidade de adaptação às novas exigências educacionais neste cenário tecnológico e aos novos modelos de comunicação á distância;

Proponho este Plano de Ação visando promover um diálogo coletivo de acolhimento com todos os envolvidos na comunidade escolar, antes e durante o retorno presencial de atendimento às crianças.  A proposta baseia-se na promoção de espaços de escuta, diálogos pautados no exercício do respeito mútuo, no exercício da fala e escuta sem julgamentos, possibilitando abertura para reflexões a cerca de conceitos e preconceitos, vivências e necessidades.  Inicialmente os Membros da Comissão de Mediação de Conflitos organizarão os encontros, as propostas de cada encontro e os meios para garantir o convite  a participação de todos. Posteriormente os Membros do Conselho de Escola ou aqueles que se sentirem à vontade para contribuir e apoiar o trabalho.

ENVOLVIDOS:

Todos os envolvidos no processo educativo: Equipe Gestora, Equipe de Apoio, Equipe Docente, crianças atendidas e seus familiares e, se fizer necessário, a Equipe da Rede de Proteção (Conselho Tutelar, Capsi, SUS, etc.)

FINALIDADE:

Promover um acolhimento abrangente de todos os envolvidos na comunidade escolar, durante e após a suspensão da aulas presenciais devido a pandemia do Corona-vírus, utilizando todos os recursos possíveis de contato. Mesmo diante dos desafios presentes é imprescindível que todos sejam bem acolhidos e assim contribuir para que possamos melhorar e valorizar as relações e os valores que permitem o exercício da democracia.

OBJETIVOS:

  •   Conhecer com profundidade a realidade na qual a escola está inserida e olhar para as dificuldades vividas pelas famílias, suas perspectivas e expectativas, possibilitando a construção de relações de confiança e respeito;
  • Aprimorar nosso olhar para o outro como um sujeito de direitos e que deve ser respeitado;
  • Construir um caminho a partir do diálogo com vistas a práticas democráticas na escola;
  • Ampliar a participação e o envolvimento dos familiares no contexto escolar;
  • Fomentar e qualificar os encontros de formação sobre a Educação em Direitos Humanos.

RESULTADOS ESPERADOS:

  • Que a escola esteja mais próxima da realidade e das famílias, das suas necessidades e anseios, para que juntos, busquemos alternativas para a realização de um trabalho pedagógico pautado em ações democráticas e solidárias;

Que o Projeto Respeitar é Preciso!, em consonância com o Projeto Político Pedagógico da unidade seja um dos princípios do trabalho pedagógico que envolva coletivamente toda a comunidade escolar como protagonistas do processo educativo.

DURAÇÃO:

O plano visa ser desenvolvido durante o período de distanciamento social e suspensão das aulas presenciais; no período em que houver o retorno das aulas, gradualmente ou não e após o início do retorno das aulas.

AÇÕES:

Durante o período da Pandemia:

  • Atualização dos dados cadastrais de todos os familiares e crianças;
  • Mapeamento da situação atual na qual a escola está inserida, identificando e refletindo sobre os problemas e potencialidades;
  • Contato com as famílias que se encontram em situação de extrema vulnerabilidade, na tentativa de propor algum tipo de apoio ou ajuda;
  • Realização de reuniões virtuais com a equipe escolar, coordenadas pelos membros da Comissão de Mediação de Conflitos para ampliar o conhecimento e potencializar as discussões sobre o Material do Projeto Respeitar é Preciso!;
  • Realização de reuniões virtuais para exercitar a escuta, dialogando sobre a situação a qual estamos passando, os sentimentos e emoções diante desse período de incertezas;
  • Realização de Palestra com um Psicólogo  e a equipe escolar para tratar de assuntos relacionados aos sentimentos e emoções e como lidar com os medos e a ansiedade;
  • Postagem nas redes sociais e canais digitais da escola de imagens e histórias que retratam situações de respeito e desrespeito para as famílias compartilharem suas impressões, emoções, e também as das crianças;
  • Conversas informais entre professores e famílias por meio de canais digitais, o que nos ajuda bastante a conhecer a realidade do estão passando, uma vez que os professores sempre estiveram mais próximos das famílias.
  • Enviar para as famílias um questionário sobre o retorno das aulas presenciais.

Durante e após o retorno das aulas:

  • Realização de encontros virtuais com as famílias para conversas informais sobre como está sendo este período pandêmico;
  • Atender individualmente ou em pequenos grupos as famílias que não conseguem atendimento virtual, respeitando todos os protocolos sanitários;
  • Realização de encontros virtuais com a equipe escolar para dar continuidade aos estudos dos cadernos do Projeto Respeitar é Preciso!

AVALIAÇÃO:

  • A cada encontro virtual, discutir ao final as considerações dos participantes;
  • Apresentar periodicamente os resultados das ações, ressaltando o que foi alcançado de maneira positiva e o que precisa ser revisto e redimensionado;
  • Registrar em  ata própria da Comissão de Mediação de Conflitos os principais resultados para análises posteriores.

 

Andrea Cecilia da Silva Hessel

São Paulo, 27/07/2020