Tarefa 6 – Curso REP! – ANA PAULA BRITO SANTOS

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

ANA PAULA BRITO SANTOS

Função

Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental 1

DRE / Unidade Educacional

São Miguel Paulista

Escola

EMEI FAUSTO RIBEIRO DA SILVA FILHO

Respeitar É Preciso! Tarefa

Ana Paula Brito Santos

 

Tema

“Reflexões sobre a concepção de Educação Infantil na rede pública da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e as aulas remotas em tempos de pandemia”.

 

Justificativa

Educar no Centro de Educação Infantil (CEI), na Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI), nos Centros Municipais de Educação Infantil (CEMEI), nas Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos (EMEBS), nos Centros de Educação Infantil Indígena (CEII), nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEF) é oferecer situações e constituir propostas que estejam vinculadas às necessidades autênticas dos bebês e das crianças, às suas perguntas, aos seus gestos, às suas experiências, realizando articulações e tecendo configurações entre as culturas da vida e as culturas da escola. Para um bebê ou uma criança, ingressar numa escola de Educação Infantil significa aprender a conviver na esfera pública, reunir-se com outras crianças e adultos, participar de distintos universos materiais e simbólicos, compartilhar diversidades e constituir perspectivas comuns a partir de pontos de vista singulares.”

 

Diante  de algumas indagações feitas pelos responsáveis das crianças que estão matriculadas na Educação Infantil da rede pública do município de São Paulo sobre os conteúdos ofertados  para as crianças nas aulas remotas e até mesmo pelo material distribuído, o caderno Trilhas de aprendizagens, não configurarem “atividades”, as ações estabelecidas nesta tarefa poderão contribuir nas reflexões sobre a concepção de Educação   Infantil e como essa concepção ficou restrita diante das aulas remotas e do material. Discussão  com todos da escola, as crianças e com os responsáveis pelas crianças para que haja uma reflexão da importância da escola e de suas interações no desenvolvimento e nas aprendizagens da criança.

 

Organização da Unidade escolar

As ações serão realizadas por todos os funcionários da unidade escolar (EMEI), as crianças e por toda a comunidade envolvida nesse território do qual a escola é pertencente.

 

Finalidade

A intenção da proposta é trazer para o centro da discussão o papel da Educação Infantil e de suas interações no ambiente escolar e que muitas vezes a concepção dessa modalidade de ensino não tem uma compreensão por parte de alguns sujeitos, sejam eles funcionários (até mesmo professores) e  responsáveis pelas crianças que muitas vezes não conseguem compreender o sentido da ludicidade e a importância das vivências significativas para a construção do protagonismo, da autonomia e da identidade das crianças  que convivem no espaço escolar e que o momento da pandemia, com material impresso distribuído e as aulas remotas não alcançaram de maneira tão positiva e igualitária os princípios dessa concepção de criança e de Educação Infantil.

 

Objetivos

Contribuir para a valorização da Educação Infantil e de suas concepções e ações dentro do espaço escolar;

Possibilitar a escuta de todos os envolvidos   acerca de suas impressões desse momento de pandemia e como os envolvidos enxergam as ações desenvolvidas para a oferta de aprendizagens que muitas vezes não contemplaram o princípio das interações que são pautadas na concepção de protagonismo de nossas crianças;

Possibilitar a discussão do papel de cada um dos envolvidos no processo de educação de nossas crianças e como contribuímos, o que deixamos de contribuir e o que ainda poderemos contribuir para que esse processo seja cada vez mais significativo e que respeite a criança como sujeito de direitos e produtor do seu próprio conhecimento.

 

Duração

Caso as aulas presenciais voltem ainda neste ano, acredito que essa discussão poderá ser levada até o fim do ano letivo, meados de dezembro. Se as aulas presenciais retornarem apenas no início de 2021, acredito que o primeiro bimestre seria suficiente para as discussões.

 

Ações

Reuniões com um pequeno grupo de pessoas até que se alcance o maior número possível de participantes. O ideal é que nesses pequenos grupos haja uma diversidade de segmentos: professores, Agentes de Apoio, ATEs, funcionários da limpeza, da cozinha, secretaria da escola, gestão, famílias e a comunidade, crianças e até mesmo membros de redes de apoio (UBS, CEFAI, NAAPA, Conselho Tutelar, etc.).

Algumas reuniões podem ser feitas por videoconferência e gravadas para serem disponibilizadas no grupo de WhatsApp da escola para os demais funcionários e para a comunidade escolar.

 

Avaliação

A verificação dos resultados será feita a partir das anotações das falas dos envolvidos, de suas sugestões, críticas, dúvidas etc.;  A partir, também, de um mapeamento dessas dúvidas, das críticas, das sugestões para visualizarmos se foi possível ou não atender às crianças dentro da concepção de infância na Educação Infantil da rede pública municipal de São Paulo.