Tarefa 6 – Curso REP! – ADRIANA PIMENTEL DA SILVA

Data

9 de julho de 2020

Cursista

ADRIANA PIMENTEL DA SILVA

Função

PEI

DRE / Unidade Educacional

Guaianases

Escola

CEI Jardim São Paulo

O presente trabalho tem por finalidade demonstrar a realidade vivida dentro dos Centros de Educação Infantil – CEIs, onde o território vivido no chão das unidades escolares deveriam ser espaços de incentivo e valorização de práticas pedagógicas e na verdade existe um mundo de vaidade, hostilidade e desvalorização da pessoa. A maior parte do grupo de professores e funcionários é composto por pessoas que ali estão há muito tempo, criaram raízes e dessa forma não aceitam o novo, urge a necessidade da abertura dessa ampla e continuada discussão acerca dos acontecimentos vividos nestes espaços, num caráter formativo e elucidativo, numa perspectiva de construção de diálogos sadios e respeitosos. Realmente, se faz necessária a abertura de espaços, para a conscientização de questões referentes a humanização, socialização e respeito pelo próximo. Dentro da PMSP, o número de pessoas que trabalham em unidades educacionais, que estão adoecendo vem crescendo absurdamente, os números de afastamento por tratamento psiquiátrico são enormes e muitas vezes estão relacionados as relações interpessoais vivida, dentro da escola. Gestores, não estão auxiliando nas necessidades de seus servidores, apenas os avalia através de um questionário no final do ano letivo, através de um sistema, nada pessoal. É necessário um olhar acolhedor e amigo, na intenção de auxiliar, ajudar a pessoa antes que ela adoeça e se afaste do ambiente de trabalho por longos períodos. Nessa linha de pensamento, precisamos elaborar mecanismos de ajuda para um todo, na percepção de uma rede de transformação de pessoas, sempre no sentido de melhorias e na valorização do ser humano, vamos ajudar, colaborar antes que a pessoa adoeça.

 

A presente ação, tem por finalidade abrir espaços de formação continuada, envolvendo todos os atores que participam e compõem o quadro de funcionários da EU, assim como seus estudantes, crianças, pais e comunidade, no sentido de fortalecimento das relações interpessoais, onde a aceitação pelo diferente seja respeitado e valorizado, com palestras com profissionais da saúde mental, rodas de conversa para troca de experiências, debates construtivos e possíveis encaminhamentos médicos, no sentido de antecipação e tratamento da doença, evitando futuros afastamentos. Essas ações deverão acontecer periodicamente, pelo menos um sábado por mês, durante todo o ano letivo.

Seria muito interessante que, pudesse haver momentos de descontração, onde os laços de amizade tivessem a oportunidade de estreitamento, um servidor feliz…uma pessoa feliz é capaz de transformar todo o ambiente, escola lugar de aprendizagem, de formação, então que seja de formação de pessoas felizes.