Tarefa 6 – Curso EDH – Viviane Andrade Bento Botareli

Data

27 de julho de 2020

Cursista

Viviane Andrade Bento Botareli

Função

Professor fund II e médio

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

Emef Arthur Alvim

Raça e relações étnicas – racial

Justificativa: Atualmente o tema da desigualdade se coloca na ordem do dia. Os dados estatísticos demonstram que vem aumentando, principalmente com a pandemia, as diferenças sociais se tornaram mais visíveis. Assim para construir uma sociedade que tenha a perspectiva de uma igualdade de direito entre todos, é necessário que a escola discuta e construa conhecimentos relacionados a étnico racial e as questões da “branquitude” e que visem formar pessoas que não reproduzam relações de preconceitos e discriminação. Levando os alunos a pensar, que essas relações de preconceito atingem cada um de forma violenta.

Público alvo: 8º ano

Finalidade: Levar os nossos alunos a compreenderem e discutirem racismo nos tempos atuais e compreender como essas diferenças ficaram evidentes durante a pandemia, compreender e analisar as consequências do racismo na sociedade de hoje. Refletir qual o papel da escola ao combate ao racismo, identificando os problemas com a diversidade racial, levantar com os alunos o que eles entendem por “branquitude”, superando o racismo, combatendo ao preconceito e discriminação, eliminando as desigualdades raciais e trabalhando as relações étnico – raciais respeitosas, trabalhando inclusive a negação, entendendo que se calar diante de uma atitude preconceituosa é fazer parte do problema, portanto, precisamos reconhecer que o problema existe.

 

Duração: 5 aulas

Metodologia

Nessa aula deve ser discutido de forma reflexiva junto aos alunos, objetivando iniciar um processo de desconstrução dos processos que resultam em posturas preconceituosas em nossa vida cotidiana. Esta atividade pretende mostrar que o preconceito racial está muito mais próximo do cotidiano de nossos educandos. Refletir com os alunos, o fato de vivermos em uma sociedade ainda racistas, com preconceitos e discriminações naturalizadas. Por meio dessa mesma atividade, podemos levar a uma discussão de como devemos nos portar frente a um caso a um caso de discriminação racial, buscando em cada aula aprofundar o processo de sensibilização de nossos educandos sobre a questão da discriminação racial. Para isso, apresentaremos alguns dados estatísticos e ações de discriminação e os efeitos que isso trouxeram a todos e porque a “branquitude” é tão nociva a sociedade.

1º aula: Conversar com os alunos sobre a necessidade do diálogo para a socialização e concretização dos direitos humanos na comunidade escolar, levantar com eles o que entendem de preconceitos e se eles já vivenciaram ou presenciaram atitudes preconceituosas em seu cotidiano na escola ou fora dela, coloca-los em grupo para uma roda de conversa, analisando e anotando os comentários feitos por eles.

 

2º aula: Após as discussões e reflexões feitas pelos os alunos na primeira aula, adotar uma pesquisa-ação na fase de explorar e levantar informações acerca da temática “branquitude” e preconceitos e das possibilidades destes debates inserir-se na escola com potencial de contribuição para a identificação dos problemas a serem solucionados.

3º aula: Na aula, em grupo, os alunos compararem e discutirem as informações e as imagens que cada um trouxeram, planejando as ações com vistas ás sugestões expressas pelo coletivo envolvido (estudantes, professores, gestores e funcionários em um todo) e definição de estratégias para a superação de dificuldades iniciais, após as discussões os alunos vão construir cartazes informativos, mostrando dados estatísticos e analisando questões como:

– Você acha que existe um genocídio negro no Brasil?

– Você acha que existe um extermínio (assassinato) de negros no seu estado?

– Você tem amigos que foram assassinato?

– Eram negros?

Essa pesquisa foi feita entre os alunos da unidade escolar, entre todos do fundamental II e dados estatísticos foram apresentados em cartazes.

4º aula: Apresentação dos grupos e de suas conclusões para a sala. Discussão geral sobre as consequências do racismo, discutir que o racismo atinge de modo violento, discutir os vários tipos de violência que surgem do racismo (psicológica, física, econômico). Apresentar dados estatístico para finalizar a discussão, concluir que o racismo é ruim e prejudicial para a sociedade e que todos devemos discutir o assunto e assumir que o problema existe.

5º aula: Terminar com o levantamento de sugestões dos alunos para se combater o racismo e fortalecer as discussões sobre o tema, finalizando o trabalho no momento, com as apresentações dos grupos, dados estatísticos e principalmente colocando o que os educandos entenderam nessas pesquisas e o que nós como sociedade podemos fazer para mudar esses dados, levando os educandos a compreenderem que juntos somos fortes e que cada atitude, por mais singela que possa parecer, pode trazer grande diferença positiva para cada pessoa que passou por essa violência física ou moral.

Avaliação: A avaliação das ações ocorrerá ao longo da formalização das etapas de formação em rodas de conversas e ao final, por meio de consulta por escrito aos participantes, avaliando constantemente a participação efetiva dos alunos.

Essa avaliação e a atividade prosseguirá após a pandemia com o retorno dos alunos, incluindo a uma reflexão sobre as diferenças sociais que se tornaram mais evidente nesse momento e levando discussão observadas na live da Luciana Alves.

 

 

 

Fotos dos alunos na apresentação sobre racismo, antes da pandemia

Apresentação em sala de aula

Apresentação dos dados estatísticos realizados pelos alunos com todo o fundamental II