Tarefa 6 – Curso EDH – VENERANDA ROCHA DE CARVALHO

Data

7 de julho de 2020

Cursista

VENERANDA ROCHA DE CARVALHO

Função

DES

DRE / Unidade Educacional

Butantã

Escola

EMEF THEODOMIRO DIAS

USO DA QUADRA NA ESCOLA: OCUPAÇÃO E EMPODERAMENTO DAS MENINAS

Resumo: Esta experiência foi realizada em 2018 (ano em que teve a Copa do Mundo da FIFA) com duas turmas de 5º ano na EMEF Desembargador Theodomiro Dias, no período da manhã. Elencamos como objetivos a reflexão do respeito quanto às questões de gênero dentro das relações escolares, tendo como comparativo o tratamento das mulheres no mundo do futebol; o encorajamento das alunas a ocupar a quadra da escola, bem como o seu empoderamento diante do machismo incutido na sociedade; visão crítica do paradigma de que a prática esportiva do futebol é exclusiva para homens e ampliação do repertório cultural dos alunos, através de análise linguística de música brasileira, visitas a espaços culturais essencialmente machistas e contato com as artes visuais. Percebemos que é possível a convivência num mesmo ambiente, mas sendo necessário reconhecer as diferenças e respeitá-las.

Palavras-chave: Gênero. Empatia. Respeito. Paradigmas. Machismo. Sexismo.

 

INTRODUÇÃO

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Desembargador Theodomiro Dias é jurisdicionada à Diretoria Regional de Educação do Butantã. Situa-se à Praça Dr. José Ória, s/nº, no Bairro da Vila Sônia, na Cidade de São Paulo, capital.

Atualmente, a escola atende aproximadamente 800 alunos, sendo que 418 estão matriculados entre o 6º e o 9º ano no período da manhã e 376 entre o 1º e 5º ano no período da tarde, 28 classes.

Em 2018 foi o ano da Copa do Mundo da FIFA e diante do uso restrito da quadra, imposto pelos meninos e culturalmente “aceito” pela sociedade, os professores desenvolveram abordagens reflexivas quanto às questões de gênero emergentes na escola e o que nos veio à mente: uma sequência didática abordando o tema.

Realizamos um trabalho interdisciplinar. Em Língua Portuguesa contemplamos a análise textual e semântica, ampliação de vocabulário, estruturação de texto em forma de poema. Matemática com análise comparativa de tabela, em Artes confeccionando elementos cênicos relacionados ao tema sobre gênero e futebol e apreciação de musical brasileira e em Educação Física a expressão corporal por meio de apresentação musical.

Optamos por definir dois campos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Pessoas: 4- Educação de qualidade; 5- Igualdade de Gênero. E Paz: 16- Promover sociedades pacíficas, justas e inclusivas. Além disso, considerando o Currículo da Cidade de São Paulo, utilizamos as Matrizes de Saberes quanto ao repertório cultural; pensamento, científico, crítico e criativo; comunicação; abertura à diversidade; responsabilidade e participação; empatia e colaboração.

Listamos os recursos didáticos necessários para desenvolver a sequência: Letra da música: “É uma partida de futebol” (Skank); Tabela comparativa entre Neymar e Marta; Livro – Malala: A menina que queria ir para a escola; Livro – A Revolta das princesas; Livro – Menino brinca de boneca? e os recursos materiais, materiais de papelaria: papelão, tinta guache, pincel, rolo, cola tesoura, folha de sulfite entre outros; celular para registro das atividades.

A definição das metodologias foram imprescindíveis para viabilizar a realização da sequência didática. Fizemos assembleias interclasses, rodas de conversa, aulas dialógicas; análise de textos; escuta de música e criação de coreografia; visita cultural ao estádio de futebol; revitalização da quadra esportiva com o auxílio da comunidade escolar; confecção de elementos cênicos; produção de texto coletivo; leitura de livros paradidáticos sobre o tema; análise de dados de tabela comparativa entre Neymar e Marta; conceituação, produção, registro escrito e gravação e reflexão de frases sexistas; ensaios para apresentação musical; apresentação cultural e manutenção contínua do trabalho desenvolvido.

 

ASSEMBLEIA E DEFINIÇÃO DAS REGRAS DO USO DA QUADRA

A fim de atender às demandas das alunas, realizamos uma assembleia interclasses para problematizar a situação relatada pelas meninas e definir as regras do uso da quadra.

Primeiramente, ouvimos as alunas sobre o que estava acontecendo na hora do recreio e elas relataram que muitos meninos não deixavam que elas jogassem bola junto com eles ou quando escolhidas, ficavam na reserva. Diante disso, estabelecemos, conjuntamente, os combinados antes de iniciar o jogo: 1) Todos em roda colocam a bola no centro da quadra; 2) As meninas escolhem o time; 3) Com todos de acordo, inicia-se o jogo.

Por fim, as professoras acompanharam por alguns dias a aplicação dos combinados e o efeito durante o intervalo.

Imagens 1 e 2.

 

APRESENTAÇÃO DA TEMÁTICA DE GÊNERO DENTRO NO FUTEBOL

Trabalhando a música, as crianças ouviram a música “Uma partida de futebol”, acompanhando a letra. Em seguida, trabalhamos a letra da canção destacando as palavras que eles não conheciam e o sentido de cada verso, relacionando com o repertório dos alunos.

Apresentamos os dados do Neymar e Marta, analisando os números e refletindo sobre as desigualdades existentes. Fonte: http://www.goal.com/br/news/3982/jogos-ol%C3%ADmpicos/2016/08/08/26327902/coloca-a-marta-camisa-10-supera-neymar-no-futebol-na-atitude

 

ELABORAÇÃO DE COREOGRAFIA PARA A APRESENTAÇÃO DA MOSTRA CULTURAL

Nesta etapa, ouvimos a canção e pensamos os elementos coreográficos. Nos ensaios, tivemos como participantes tanto meninas quanto meninos. Ensaiávamos inicialmente, todos os dias depois do almoço e fomos reduzindo os dias na medida em que as crianças foram aprendendo a coreografia. Vale ressaltar que de início, alguns meninos não gostavam de dançar, mas com o passar do tempo foram se adaptando, quebrando mais um paradigma imposto de que meninos não dançam.

 

VISITA AO ESTÁDIO DO MORUMBI

Com o propósito dos alunos aumentarem seu repertório cultural, visitamos o estádio de futebol. Foi feita uma parceria com os condutores escolares, fato que possibilitou que o passeio acontecesse. Nossa escola fica bem próxima ao Estádio e algumas crianças também moram perto, mas muitas não conheciam.

Imagens 3 e 4.

 

REVITALIZAÇÃO DA QUADRA ESPORTIVA

Com a parceria do comércio local e de pais e alunos, pintamos uma das quadras esportivas da EMEF, tornando nosso espaço mais acolhedor e a comunidade escolar mais próxima de nossa unidade de educação.

 

LEITURA DE LIVROS

Utilizamos também como recursos didáticos os livros: Malala: A menina que queria ir para a escola, A revolta das princesas e Menino brinca de boneca?.

O livro da Malala foi feita a leitura permanente, uma vez por semana e o da Revolta das Princesas e Menino brinca de boneca?, lidos para trabalhar os recontos e aprofundar as discussões.

 

PRODUÇÃO DE TEXTO COLETIVO AUTÔNOMO

Enquanto discutíamos sobre inferiorizar as meninas, as meninas traziam demandas e falas que ouviam durante o intervalo. Uma menina ouviu de um menino que ela não podia ser goleira, pois era pequena e noutro dia, outra menina escutou que seria incapaz de defender a bola, já que ele não o fez. Estes dois exemplos resumem o quanto ainda era difícil para os meninos compreenderem que aquele espaço também era das meninas e de forma muito natural, criaram uma paródia com a música “Era uma casa”, ficando “Era uma quadra”:

Era uma quadra

Era uma quadra bem bagunçada,

Não tinha regra, não tinha nada.

Menina não, chegava ali,

Porque menino dava “piti”.

Eles corriam recreio inteiro,

E elas todas de escanteio.

As meninas jogavam não,

Porque os meninos eram “machão”.

Mas as meninas se rebelaram,

Por seus direitos elas lutaram.

Os meninos mudaram a mente.

E todo mundo joga contente.

 

ELABORAÇÃO E GRAVAÇÃO DE FRASES SEXISTAS

Dando continuidade ao nosso trabalho, explicamos aos alunos o que eram frases sexistas e o impacto dessa expressão para nossa sociedade. Em seguida, elaboramos frases sexistas e um texto de resposta, a fim de que fosse mais um elemento para compor nossa Mostra Cultural. Trecho do texto:

[…] Talvez você não perceba, mas no dia-a-dia estas frases são faladas constantemente. Quem nunca disse: ‘rosa é para menina’, ‘carrinho é de menino’?

Incapazes! Isso é como as mulheres se sentem quando alguém toma as decisões por elas. Não somos inferiores por sermos mulheres, quem nos diminui são as pessoas.

Gostaríamos de lembrá-los que brinquedos e brincadeiras são feitos para crianças, e para que sejam felizes. Não estraguem nossa infância, assim nos tornaremos adultos bem resolvidos.

Lugar de mulher é onde ela quiser! Da cozinha para o mundo […]

 

CONFECÇÃO DE PLACAS COMO FORMA DE REIVINDICAÇÃO

Propomos também às crianças, a confecção de bolas de futebol escritas de um lado mulheres e do outro lado igualdade. Simbolizando nossa luta pela igualdade de gênero. Este elemento cênico foi utilizado na apresentação cultural.

Imagens 5, 6 e 7.

 

GRAVAÇÃO DE PARÓDIA E EDIÇÃO DE VÍDEO-CLIPE

Com a paródia da Música Era uma Casa, fizemos a edição de um vídeo intitulado Era uma Quadra, disponibilizado no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=3TZAL8pdRdY

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Após este trabalho, sempre que necessário, nos reunimos em assembleias para avaliar a aplicabilidade dos combinados estabelecidos bem como a observação diária da convivência dos alunos envolvendo o uso da quadra e possíveis intervenções em situações cotidianas.

Acompanhamos vários intervalos com uso da quadra, e até participei de algumas partidas com as crianças. Uma das coisas que mais me marcou foi o que uma aluna me disse: “Eu estou muito feliz e encorajada! Nunca imaginei que minha professora pudesse jogar futebol”. Isso é marcante, mostra que de alguma forma fui referência, inspiração. Contei que eu já joguei futebol, eles não acreditavam, ficaram incrédulos. O dia em que fiz algumas embaixadinhas, eles enlouqueceram, queriam me desafiar e eu entrava na brincadeira, sempre para incentivar as meninas e mostrar aos meninos de que é possível compartilhar os espaços com respeito.

O movimento de ocupação da quadra foi tão significativo que todas as turmas da escola, tanto no período da manhã quanto no período da tarde, teve algum tipo de mobilização. Os estudantes dos Anos Finais do Ensino Fundamental enxergavam na gente uma referência de organização e pioneirismo na escola, solicitando auxílio para organizar um campeonato interclasses, e lá fomos nós para mais um trabalho. Em todos os times tinham meninas! Foi muito proveitoso, parecia uma Copa do Mundo dentro da nossa escola, mas em 20 minutos.

Descobrimos talentos e potencialidades de meninas como zagueiras, atacantes e goleiras. Era fantástico ver o brilho nos olhos quando recebiam elogios pela atuação em quadra. As comemorações quando os gols eram feitos, pareciam o Maracanã vibrando! Passaram-se quase 2 anos de nosso trabalho, mas com a certeza de que marcamos uma geração dentro de nossa escola. Nunca mais a quadra foi a mesma, nem as meninas, nem os meninos… Éramos uma coisa só: União.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALTIMIR, David. Escutar para documentar. In: MELLO, S. A.; BARBOSA, M. C.; FARIA, A. L. G. de (Org.). Documentação pedagógica: teoria e prática. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017. pp. 57-76.

BRASIL. Presidência da República Casa Civil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 04 de maio de 2018.

CARRANCA, Adriana. Malala, a menina que queria ir para a escola. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2015.

GOAL. Coloca a Marta! Camisa 10 supera Neymar no futebol, na atitude e nos números. Disponível em http://www.goal.com/br/news/3982/jogos-ol%C3%ADmpicos/2016/08/08/26327902/coloca-a-marta-camisa-10-supera-neymar-no-futebol-na-atitude. Acesso em 04 de maio de 2018.

LAMOUR-CROCHET, Celine. A revolta das princesas. Campinas: Saber e Ler, 2011.

RIBEIRO, Marcos. Menino brinca de boneca? Rio de Janeiro: Salamandra, 2001.

SKANK. É uma partida de futebol. Belo Horizonte: Sony Music: 1996. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=7Ie4oL17Nwc  (4’30). Acesso em 04 de maio de 2018.

um dos registros das assembleias, as duas turmas juntas para dialogar sobre o problema. Em pé, estão os representantes de cada sala, expondo suas ideias e sugestões.

Professoras fazem algumas intervenções sobre o repertório dos estudantes, explicando significados e rompendo com alguns pensamentos e atitudes machistas.

Estudantes visitam o Estádio Morumbi.

Estudantes visitam o Estádio Morumbi.

Elementos cênicos reivindicando igualdade de gênero e respeito.

Elementos cênicos reivindicando igualdade de gênero e respeito.

Elementos cênicos reivindicando igualdade de gênero e respeito.