Tarefa 6 – Curso EDH – Valdineia Chaves da Silva

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

Valdineia Chaves da Silva

Função

professora de educação infantil e ensino fundamental I

DRE / Unidade Educacional

Guaianases

Escola

Senador Luís Carlos Prestes

Curso: Educação em Direitos Humanos: Desafios do contexto atual

Tema:

Trabalhando os modos de subjetivação e marcadores de diferença no anos iniciais do ensino fundamental

Justificativa:

A escola sendo um direito para todos precisa proporcionar uma educação para todos que respeite a diversidade e seja pensada em direitos humanos. Escolhi esse tema, pois as crianças em suas vivências estão construindo suas relações.

Público Alvo:

Estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental – 1º ano

Intenção:

Promover atividades sequenciadas que auxiliem na reflexão sobre os modos de subjetivação e marcadores de diferença com ampliação do repertorio cultural, respeito a si e ao outro.

Objetivos:

Estimular:

Comunicação;

Responsabilidade e participação;

Pensamento cientifico, critico e criativo;

Ampliação do repertório cultural;

Autoconhecimento e autocuidado;

Aceitação da diversidade;

Resultados esperados:

Mudança de atitude em relação ao respeito ao outro, construção de identidade e reconhecimento de valores de solidariedade, respeito, autocuidado e cumprimento de deveres.

 

Duração:

Durante o ano letivo

Periodicidade:

Semanal

 

Avaliação:

Será por meio de observação e construção de portifólio, com os apontamentos dos estudantes durante as rodas de conversa e desenvolvimento de outras atividades.

 

Atividades:

  • Rodas de conversa sobre acontecimentos com os estudantes (momento de escuta, onde todo terão a oportunidade de falar e ouvir o outro);
  • Momento do brincar com representação de papeis sociais (com intervenção do professor)
  • Momento da beleza com um dia por mês destinado aos cuidados com a beleza para estimular o autocuidado, valorização e aceitação da beleza natural.
  • Vídeos educativos que ressalte a participação social de grupos menos favorecidos;
  • leituras semanais de livros com personagens principais que represente os grupos menos favorecidos para discussão e reflexão;
  • Registro de sentimentos e percepção de mundo dos estudantes;
  • Assembleia para mediar conflitos em sala de aula;
  • Construção de um diário de bordo com as atividades desenvolvidas para compor o portifólio;
  • Registros por meio de filmagens e podcast com a participação ativa dos estudantes;